sábado, 15 de abril de 2017

NÓS MINEIROS


Constam da lista do BJ - Benedito Junior, da Odebrecht, somente daqueles, de Minas Gerais, que receberam ajuda. São quarenta os prestigiados pela empresa.

Mineirinho (Aécio), Do Reino (Fernando Pimentel), Da Casa (Alberto Pinto Coelho), Dengo (Antonio Anastasia), Wanda (Antonio Andrade), Navalha (Arlete Magalhães), Igreja (Bernardo Santana), Sino (Bruno Siqueira), Barão (Carlin Moura), Da Hora (Carlos Meles), Francês (Célio Moreira), Filhinho (Dimas Fabiano Jr), Silo (Alexandre Postal), Jornalista ( Elismar Prado), Barrigudo (Fábio Ramalho), Gordo (Dimas Fabiano), Sábado (Domingos Sávio), Padrinho (Eduardo Azeredo), Fazendão (Elbe Brandão), Poste (Márcio Lacerda), Jogador (Márcio Reynaldo), Montanha (Marcos Montes), Lagarto (Gil Pereira), Dentada (Gustavo Correia), Tio (Gustavo Valadares), Asfalto (Jaime Martins), Triangulo (João Bittar), Azeitona (Jose Fernando Oliveira), Doutor (Juarez Amorim), Zagueiro (Julio Delgado), Lima (Luis Fernando Faria), Castor (Rodrigo de Castro), Fósforo (Tarciso Caixeta), Fragmentada ( Welinton Prado), Bateria (Maria do Carmo Lara Rezende), Cintinho (Mauro Lopes), Metalúrgico (Nilmário Miranda), Calvo (Pablito), Diamante ( Paulo Abi Ackel), Bronca (Paulo R. Santiago).

Quer saber mais detalhes ? Como valores e justificativa para a doação ? Veja no www.poder360.com.br.

Viver é Perigoso 

POR DETRÁS DA NOTÍCIA


Fala-se muito nos últimos dias sobre a "mãe de todas as bombas" lançada pelos americanos no Afeganistão. 
Passará para a história o espetacular "furo" jornalístico de autoria do Breno Pires, publicado às 16:00 horas  da última terça-feira (11/4), no Blog do Fausto Macedo, no jornal O Estado de São Paulo.
A "mãe de todas as bombas brasileiras", chamada de Lista do Fachin.
Aconteceu uma correria danada. 
Comeram bola a Folha, O Globo, emissoras de rádio e da televisão. A luta nos bastidores da notícia é desenfreada e a chave está na relação dos importantes contatos.
Pode parecer pouco, mas o meio jornalístico foi extraordinário. Todos os outros importantes órgãos de comunicação, eticamente, tiveram que, ao repassar a importante notícia, citar a fonte "O Estado de São Paulo".
É o que vale.
Tão somente à noite do mesmo dia é que o Tribunal oficializou a publicação.

Viver é Perigoso

MALHAÇÃO

Viver é Perigoso