sexta-feira, 31 de março de 2017

GOLPE OU REVOLUÇÃO ?


A história conta: 

Na madrugada do dia 31 de março (1964), as forças do general Mourão Filho deixaram Juiz de Fora, sede da IV Região Militar, indo em direção ao Rio de Janeiro sem encontrar resistência.
A IV Divisão de Infantaria, reforçada por dois outros regimentos vindos de Belo Horizonte e São João del-Rei, terminaram por se confraternizar no meio do caminho com as guarnições do I Exército que haviam partido da ex-capital federal com a missão de confrontá-la.
Revolução, até então, sem tiros, feridos ou mortos.

O General Olympio Mourão Filho declarou certa vez:
"Em matéria de política sou uma vaca fardada". Também escreveu:

"Ponha-se na presidência qualquer medíocre, louco ou semi-analfabeto e vinte e quatro horas depois a horda de aduladores estará à sua volta, brandindo o elogio como arma, convencendo-o de que é um gênio político e um grande homem, e de que tudo o que faz está certo. Em pouco tempo transforma-se um ignorante em um sábio, um louco em um gênio equilibrado, um primário em um estadista. E um homem nessa posição, empunhando as rédeas de um poder praticamente sem limites, embriagado pela bajulação, transforma-se num monstro perigoso".

Olympio Mourão Filho l

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA

Ava
Viver é Perigoso

PP EM AÇÃO

Na primeira ação por improbidade proposta contra um partido político e parlamentares, a força-tarefa da Lava Jato cobra, individualmente, cinco deputados federais do Partido Progressista e pede ainda a suspensão dos direitos políticos por dez anos, proibição de contratar com o Poder Público e a vedação de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, além da cassação da aposentadoria especial dos parlamentares ou perda do direito à contagem do tempo como deputado para a aposentadoria.

Somando o ressarcimento, que é a propina que o MPF aponta que o partido e seus membros teria recebido, as multas cível e por dano moral, a Lava Jato cobra um total de R$ 2,3 bilhões do PP e de 10 políticos da sigla, incluindo os já condenados no mensalão Pedro Corrêa e Pedro Henry, ambos ex-deputados.
O MPF pede o ressarcimento de R$ 2.303.182.588,00. Deste total, R$ 460.636.517,60 são equivalentes à propina paga ao PP, R$ 1.381.909.552,80 de multa e R$ 460.636.517,60 por danos morais coletivos.

Nesta ação, a Procuradoria considera os valores que o partido e suas lideranças na Câmara dos Deputados teria recebido no esquema de corrupção da Petrobrás, tanto por meio de pagamentos no exterior, entregas de dinheiro vivo no Brasil, quanto por meio de doações oficiais. Veja quanto a Lava Jato cobra individualmente de cada parlamentar:

São citados na ação os deputados federais:

Nelson Meurer 
Mário Negromonte Júnior 
Arthur Lira 
Otávio Germano 
Luiz Fernando Faria 
Roberto Britto 

Os ex-deputados federais:

Pedro Corrêa 
Pedro Henry 
João Pizzolatti 
Mário Negromonte 

E também:

João Claudio Genu, ex-assessor parlamentar
José Janene, deputado federal falecido

O coordenador da força-tarefa, procurador Deltan Dallagnol, afirmou que, além dos citados nesta ação, há, pelo menos, mais 21 políticos que receberam propinas a título de mesadas. Ele não descartou a possíbilidade de outros partidos serem alvos de ação similar.

O PP tem na nossa região o Deputado Dimas Fabiano.

A verdade é que todos, mas todos os partidos terão que encerrar as sua atividades. Como não devem possuir recursos, a grana deverá sair do Fundo Partidário. Resumindo, o povo pagará, mais uma vez, a conta.

Viver é Perigoso