sexta-feira, 10 de março de 2017

MARAVILHA !


Milagres acontecem. Informou o Elcio Ferreira no Grupo Fala Itajubá:

ATA DE CLASSIFICAÇÃO E HABILITAÇÃO DA CONCORRENCIA PÚBLICA 001/2017 

OBJETO: ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS, SITUADOS À RUA TIAGO CARNEIRO SANTIAGO E RUA CEL. FRANCISCO BRAZ, 42 NO BAIRRO CENTRO E RUA JOÃO BATISTA RICCI, LOTEAMENTO REAN, QUADRA II, BAIRRO VARGINHA – ITAJUBÁ/MG.

Aos oito dias do mês de março de dois mil e dezessete às 14 horas, na Sala de Reuniões da Secretaria Municipal de Planejamento, foi realizada o julgamento do processo acima identificado. Presentes a Comissão Permanente de Licitações, designada pela Portaria nº 083/2016, Giovani Vinicios Raponi, Presidente da CPL; Glória Maria Ribeiro, Olívia da Silva Simplício Donizete, Walquiria Aparecida Vieira da Silva, Membros da CPL.A Comissão faz constar que a presente licitação foi declarada DESERTA. Devido à importância da contratação do serviço pela Administração, e no uso de suas atribuições, atendendo a solicitação do representante da Secretaria solicitante, determinou-se à prorrogação do certame, estipulando nova data para entrega e abertura dos envelopes das empresas interessadas em participar do certame para dia 12/04/2017 às 14 horas, no mesmo local. Nada mais havendo a considerar, após lida e achada conforme, esta Ata vai assinada por todos os presentes.

Viver é Perigoso

RETRATO ATUAL E REAL DE ITAJUBÁ


“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia.” 

W. E. Deming

Graças a um colaborador do Blog Viver é Perigoso tivemos acesso ao importante trabalho, realizado pelo Núcleo de Pesquisa de Dinâmicas Empreendedoras da Universidade Federal de Itajubá, "Indicadores de Referência de Bem-Estar do Município de Itajubá", coordenado pelo Professor Dr. Elzo Alves Aranha.
Trabalho realizado com o desafio de investigar, gerar conhecimento e propor novos modelos de cidade, empreendedora, criativa, inovadora, inteligente e sustentável.

O Núcleo de Pesquisa de Dinâmicas Empreendedoras da Universidade Federal de Itajubá (NPDE/UNIFEI), com o apoio da Rede Nossa São Paulo, realizou a pesquisa de percepções inédita com o objetivo de construir os Indicadores de Referência de Bem-Estar do Município de Itajubá – IRBEM, referentes ao ano de 2016.
O relatório tem o objetivo de apresentar os resultados da pesquisa diagnóstica realizada no período de julho a novembro de 2016 por meio de instrumento de questionário. Em seguida, os resultados foram apresentados à comunidade itajubense para reflexão, discussão e coleta de dados qualitativa no 1º Workshop do Projeto IRBEM Itajubá 2016, em dezembro de 2016. 
O conhecimento gerado neste relatório poderá ser utilizado pelos formuladores de políticas públicas, legisladores, instituições governamentais, não-governamentais e educacionais (educação infantil, fundamental, média e superior), associações empresariais, de classe e filantrópicas, fundações, diretórios e associações estudantis, business startups, entre outras instituições, para múltiplas finalidades.

A consulta pública foi realizada no período de 13 de julho a 23 de novembro de 2016, com a participação de 380 pessoas com idade superior a 16 anos, que contribuíram para a construção da primeira base de indicadores de 26 áreas da cidade de Itajubá. A pesquisa ocorreu por meio de questionários, aplicados à população de diversos bairros da cidade (57 bairros), e englobando pessoas com poder aquisitivo, trabalho, escolaridade e tempo de moradia em Itajubá. O questionário é composto de diversas questões, envolvendo 26 temas. O respondente atribui a sua percepção a cada uma das áreas utilizando uma escala de 1 a 10. A margem de erro estimada da pesquisa realizada é de 5 pontos percentuais para mais ou para menos, com intervalo de confiança estimado em 95%.

Os resultados da pesquisa integram pela primeira vez no município de Itajubá, uma base de dados de indicadores de bem-estar. O levantamento dos Indicadores de Bem-Estar do Município (IRBEM) de Itajubá, referentes ao ano de 2016 contribui em diversas direções. Destacaremos aqui somente três contribuições. 

Primeiro, contribui para a construção do banco de dados de indicadores de referência de bem-estar do município de Itajubá. Particularmente, sendo um banco de dados construído sob a ótica dos moradores da cidade de Itajubá, permite revelar as potencialidades e fragilidades pela percepção dos moradores do município nas mais diversas áreas. 

Segundo, contribui para estabelecer um conjunto de métricas que permitem comparar, avaliar, analisar e aprender a partir dos resultados obtidos, e ao longo do tempo e espaços do município. 

Por fim, contribui para fomentar o surgimento de novos sistemas e ferramentas de comunicação, por meio de indicadores de referência de bem-estar entre os cidadãos que residem na cidade.

Nossos cumprimentos e agradecimentos às instituições e empresas pelo apoio na coleta de dados do Projeto IRBEM Itajubá 2016: 

B2ML Sistemas - Escola de Enfermagem Wenceslau Braz - Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Sul de Minas - Frigorífico Vale do Sapucaí Ltda - Lojas Cem - Mercadinho Padre Nicolau - Sisvôo Sistemas Eletrônicos Ltda - Supermercados Alvorada - Supermercados Bretas - Supermercado Pilar - Universidade Federal de Itajubá

(retirado da própria apresentação do trabalho)

O Blog tomará a liberdade de apresentar no decorrer dos dias os resultados obtidos, iniciando, iniciando, por ser um assunto atual e muito discutido, a Seção 24 -Transparência e Participação Política.

Viver é Perigoso

É DISCO QUE EU GOSTO



Viver é Perigoso

PREFERENCIAL

Numa pequena e pacata cidade do interior, sabe-se lá por qual razão resolveram colocar toda a sinalização de trânsito no próprio piso das ruas e avenidas. Caprichosamente pintados com tintas brancas e amarelas.
Os apoiadores deram vivas pela praticidade e provável economia do projeto. Uma meia dúzia de oposicionistas que já foram de esquerda e da direita e atualmente se situam no centro, murmuram que se trata de tentativa de levar o povo a andar olhando para baixo. Já a maioria absoluta constituída de neutros, simplesmente, acham que tal decisão se deu pela necessidade da Administração de colocar em uso um equipamento próprio, adquirido sabe-se lá por quem, para pintar ruas.
Precavidos, os responsáveis pela sinalização providenciaram a marcação de gigantescos "Pare" em movimento cruzamento. Claro, talvez por dúvida, a marcação foi feita nas quatros esquinas.
Como tão somente poderia acontecer num lugarejo de motoristas cuidadosos e educados, aconteceu.
No horário de pico (pequenas cidades também os tem), carros vindos das quatros direções, se encontraram.
Os motoristas, chamaremos de 1, 2, 3 e 4, obedeceram a nova sinalização e pararam. Silêncio somente tolhido pelo ruído dos motores em marcha-lenta.
Nada de decisão.
O motorista 1, um senhor com todo o jeito de funcionário do Bradesco, gentilmente fez um aceno com a cabeça para a simpática motorista 2, sugerindo que ela fosse adiante. Ela, com um sorriso enigmático de Monalisa, agradeceu, ia partir, mas foi levada a frear bruscamente. A motorista 3, já aparentando certa idade, havia entendido que os idosos teriam preferência e avançou meio aos solavancos (o carro não tinha câmbio automático). Suspendeu o avanço e fez um gesto de pedido de desculpas. Tudo voltou ao normal, com mais veículos acumulando-se.
O jovem motorista 4, de roupa branca, possivelmente Residente de Medicina indo para o hospital (claro, atrasado), resolveu avançar imaginando-se ser dotado de maior iniciativa. Errou, uma vez que o funcionário do Bradesco (imaginamos), agradecendo a todos, com o braço estendido fora da janela, avançou e conseguiu frear de imediato.
Todos respiraram fundo e voltaram a estaca zero.
Segundos para meditação e reiniciaram os procedimentos. O motorista 1 ...

É a vida...

Viver é Perigoso      

É ISSO AÍ !



Viver é Perigoso

AQUI, ALI E ACOLÁ


O Presidente Donald Trump disse sobre os jornais: As pessoas já não acreditam neles. Acrescentou: “São inimigos do povo”.

É curioso que todos os caudilhos populistas de esquerda ou direita apresentem uma mesma obsessão pelo povo e a mesma pretensão de denegrir a informação que gostariam de controlar.

Trump deveria saber que entrar em confronto com a mídia é brincar com fogo. O novo líder americano só conseguiria domesticar a imprensa americana dando lugar a um regime autoritário.

Nada, porém, está mais distante de um país como os EUA, que cultivaram ao extremo o culto à liberdade de expressão, e onde surgiu a maioria dos movimentos de libertação do planeta, da política à ciência, passando pelas artes.

A afirmação de Trump de que as pessoas já não acreditam nos jornais, embora falsa, deveria nos fazer, porém, refletir sobre a categoria, já que até os melhores jornais podem perder sua credibilidade, algo que se conquista dia a dia.

O jornalismo tampouco está imune às críticas que hoje as instituições sofrem. Como escreveu sobre os jornais Victor Sampedro, catedrático de Ciências da Comunicação: “Estamos em trânsito. Não é fácil ver para onde se vai”. Ele se refere ao novo protagonismo que estão adquirindo as redes sociais, onde os cidadãos “também criam notícias”.

Será preciso, então, reinventar o jornalismo ou deveria ser esta a hora de defender a ideia pétrea para a qual nasceu?

Podem mudar as plataformas, as formas de escrever e as novas sensibilidades do cidadão moderno. O que permanecerá imutável são os princípios da informação, que exigem contar a verdade sem manipulá-la.

Não são as redes sociais que se alimentam, em boa parte, dos jornais de referência do mundo? Muitas vezes encontro notícias no Facebook nas quais se especifica, por exemplo, “publicado no New York Times” ou “Le Monde”, como garantia de credibilidade.

A imprensa não é, contudo, “inimiga do povo”, como ele diz. Pelo contrário, são os poderes autoritários que preferem que esse “povo”, tão idolatrado por eles, continue sem ler os jornais.

Juan Arias (resumo) - El País

Viver é Perigoso

E AGORA ?


Viver é Perigoso

AGORA VAI !


Prefeitura entra firme no combate ao desemprego. Projeto de Lei 4161 enviado à Câmara Municipal cria 14 novos cargos.
4 administradores, 8 coordenadores, 1 agente e 1 secretário adjunto.
De imediato deverá provocar um certo alívio nas pressões decorrentes de compromissos assumidos.

É a vida...

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA

Bella
Viver é Perigoso

ÊPA !


O Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade – Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV é resultado da parceria entre o Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/EAESP). Com este Índice, são reveladas as atuais condições de 498 cidades brasileiras, tendo em vista sua capacidade de atender às necessidades básicas de vida, destacadamente dos adultos mais idosos.
Com base nesse perfil optamos por considerar 498 cidades brasileiras organizadas em dois grupos: 
As Grandes, representadas pelas 150 cidades de maior população.
As pequenas, representadas pelas cidades com menos de 100.000, e pelo menos 50.000 habitantes, o que permitiu identificar 348 cidades.

Sobre Itajubá, 36ª posição no ranking das pequenas cidades.
Nos índices gerais:
Agressão a vida - Posição 107
Distribuição de renda - 115
Expectativa de vida ao nascer - 6
Taxa de desemprego - 244 

A capital mineira do canto coral é reconhecida também pela tradição do culto ao folclore do Saci-Pererê, principalmente na zona rural, onde vivem parte dos seus 90.658 habitantes. Banana, café, milho e pecuária movimentam a economia, também impulsionada pelo ecoturismo, que atrai adeptos da escalada esportiva e das paisagens formadas pelo rio que serpenteia pela cidade de 95.491 habitantes, nascida em 1819 da corrida em busca das pedras preciosas do sul do Estado.

A cidade é exemplo em:
A cidade encontra-se entre as 20 de melhor desempenho em matéria de Bem-estar, já que detém elevada quantidade de estabelecimentos dedicados ao condicionamento físico, e a sua população de idosos está entre as 30 cidades de maior acesso a serviços de planos privados de saúde. Habitação apresenta-se carente de atenção, especialmente pela situação do acesso aos serviços de esgoto e pela reduzida disponibilidade de condomínios residenciais para idosos, assim como instituições de longa permanência para idosos.

A cidade precisa melhorar em:
O alcoolismo, a violência sob diversas formas, e a incidência de mortes causadas por cirrose hepática sugerem a necessidade de políticas específicas com o fim de melhorar o nível de Bem-estar da população, colaborando para a qualidade de vida na cidade.

Blog: Sei não, dados e informações estranhas. Capital mineira do Canto Coral ? Culto ao folclore do Saci ? Economia movimentada pela banana, milho, café e pecuária ? Ecoturismo ? Alcoolismo e incidência de mortes causadas por cirrose hepática ?
Onde está passando esse filme ?
A Prefeitura de Itajubá gostou da pesquisa. Está lá no site. Estão catando notícias aparentemente boas em qualquer canto.
Sei lá...

Viver é Perigoso