segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

SUSTO E PREOCUPAÇÃO NA NAVEGAÇÃO


Andre Carlos Alves da Silva - Secretário Municipal de Finanças - Interino

Buscando confirmação de um nome no site da Prefeitura deparei com a informação acima, no quadro "nossa equipe" da Secretaria de Finanças. Susto e principio de pânico.
O Secretário titular, pelo menos do meu conhecimento, é o amigo de tantos anos Peter Rennó, com quem não me encontro pessoalmente há quase cinco anos. 
Falamos algumas vezes por telefone.
Pessoa competente, segura e extremamente leal.
Sempre imaginei as dificuldades que devia e deve enfrentar no seu trabalho pelo estilo límpido e transparente. A sua presença na finanças municipais nos dá, dava e dará, assim esperamos, um certo conforto.
Tentei contato com o Peter e não consegui. Também não saberia dizer se em razão de férias ou algum contratempo, seria usual a publicação do nome do Secretario interino, no caso, pessoa de altíssima confiança do Chefe do Executivo.
Sinceramente ? Seria importante a confirmação de que o Peter Rennó siga à frente do comando das finanças.
Espero que as amizades e o relacionamentos mantidos há séculos, sempre respeitando posições, não sejam prejudicados.
Como , certamente, para o Blog nenhum esclarecimento será fornecido, aguardemos pois a publicação no jornal.

Viver é Perigoso 

BONS VENTOS


Todos conhecemos a família do Vereador Fabrício Machado. Pessoal do bem. Lembro-me do Dr. Heitor Machado, muitas vezes advogado do pai e quem conduziu o inventário do Sr. Zé Riera. 

O pai, o Beto da Farmácia um craque do futebol desde o afamado Cruz Preta de Alfenas. A mãe, a Dona Rosarinha, uma vida dedicada a Apae. A irmã, a sempre combativa e transparente e ex-vereadora, Leandra.

Está o Fabrício, em reportagem do jornal O Sul de Minas, confirmando seus posicionamentos no primeiro mês de mandato. Bons ventos.

Primeiro por estar no O Sul de Minas, veículo de comunicação listado no "index", de certa forma, mostrando-se desatrelado do Executivo. Isso é bom.
Segundo, por se mostrar que eventuais proposições "não necessárias" vierem do Prefeito, irá votar contra. Caso julgue importante, votará a favor. Citou o Fabrício:

- Tenho o meu pai e minha mãe para honrar e sempre vou fazer que meus filhos tenham orgulho de mim.  Os poderes são independentes e se eu não tiver o poder de fiscalizar, eu não posso agir como vereador.

Citou de passagem, a tentativa do Prefeito de impor um seu assessor próximo como diretor da Câmara Municipal, de imediato escorraçada por alguns dos novos vereadores, bem como a frustrada jogada, também vinda do Centro Administrativo, de impor uma chapa própria para formação das Comissões da CMI. Tudo sem demonstração de raiva. 
Manifestou-se contra o número de 17 vereadores. Assunto para mais adiante.

Uma nova geração de políticos que surge, atualizados e principalmente, mostrando independência. 

Esperanças existem.

Viver é Perigoso

PRÁ PENSAR


Eu sou dos que preferem continuar acreditando que o Brasil será capaz de se reconciliar com o melhor de si mesmo, após saber se livrar da escória que hoje o ofusca e machuca. Porque, além disso, como escreveu o lúcido e crítico ecologista, Fernando Gabeira, “esse é o tempo em que nos coube viver”. Não podemos desprezá-lo.

Juan Arias

Viver é Perigoso

O SILÊNCIO DIZ MAIS


Lá pelo início dos anos 60, tomou o barco na Boa Vista, claro, assim de repente, uma querida Senhora. Embarcou com muita antecedência aos 54 anos. Antigamente, passou dos 50 já era considerado "de idade". Hoje, muitos ainda estão serelepes depois dos 70. Pelo menos à vista do público.
Dona Soledade (nome não mais usado e em alguns lugares até evitado), cumpriu a sua trajetória terrestre da melhor maneira possível. Colaborou, lógico que em conjunto com o marido Lucas, com parte da explosão demográfica acontecida no período. Treze filhos, com saúde e encaminhados na vida. Doceira prendada participou ativamente do orçamento familiar. Nada desses doces modernos, nos quais, o leite condensado, cremes, achocolatados e outras invenções, enganam a criançada.
Era só na base do açúcar cristal, cravo e canela. Vez por outra, uma especiariazinha encontrada no armazém do Sô Bertino.
Doce de abóbora com côco, arroz doce, figo, casca de laranjas, cidra ralada, banana caramelizada, doce de batata doce,doce de fita, de amendoim e até sagu. Tudo embalado em embalagens de vidro vai e volta. Lógico, exceto os doces individuais caramelizados. Tudo de encarar de joelhos e lamber os dedos.
Religiosa, solidária e sempre, de um jeito ou de outro, buscando um modo de ajudar o próximo.
O Senhor Lucas se virava como desse.
Pedreiro, pintor, desentupidor de chaminés (na época os fogões eram à lenha), marceneiro, bombeiro encanador, ferreiro dos animais da frota de charretes da Dona Mariquinha Guedes e vez por outra providenciava mudanças na sua bagageira.
Gente de bem, mas tirando a Dona Soledade, todos estourados e pavios curtos. Claro, que em defesa de boas causas. Por exemplo, partidas de futebol do Vasquinho.
Velório na casa simples e com amigos saindo pelo ladrão. Enterro seguindo a pé, com centenas de amigos acompanhando.
Trilha sonora triste, com ruídos secos e esganiçados de portas das lojas fechando e murmúrios de orações comandadas pelas amigas, irmãs de Maria, durante todo o trajeto..
Estava lá, ainda menino, quando ouvi do bravo e enérgico Senhor Lucas:
Teremos eleições no ano que vem e se aquele desgraçado e oportunista do Jair, candidato de plantão, vier a falar alguma coisa antes de baixarem o caixão da Soledade irei cobri-lo de pancadas. Arrebento a fuça dele.
- Deixa Pai, completou o Otávio, filho mais velho, vou botá-lo para correr é agora. Nunca foi nosso amigo.
Avisaram e o Jair sumiu de fininho entre os túmulos.
O lugar e a hora exigiam respeito.

Viver é Perigoso   

AGORA VAI !


Tom Brady para Presidente. Gisele, Primeira Dama !

Clarin da Boa Vista

PISTOLÃO


Viver é Perigoso