domingo, 29 de janeiro de 2017

NOVOS TEMPOS


Ainda restam esperanças. 
O Juiz Marcelo Bretas da 7ª Vara Criminal Federal, No Rio de Janeiro, tem mostrado serviço e impressiona nesse momento de mudanças. Segue na mesma linha do Juiz Sérgio Moro.
Já mandou para a cadeia o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, seu ex-secretário de governo, Wilson Carlos, o ex-assessor Wagner Jordão Garcia, e o ex-secretário de Obras, Hudson Braga. Além da mulher de Cabral, Adriana Ancelmo. Na última quinta-feira mandou prender o Eike Batista. O juiz defende as prisões preventivas e diz que não se pode tratar a corrupção como um crime menor.
Marcelo da Costa Bretas nasceu em Nilópolis, na Baixada Fluminense, em 1970. Filho de um comerciante e de uma dona de casa, estudou em Nova Iguaçu e cursou direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro. 
Bretas é casado com uma juíza federal que conheceu no segundo período da faculdade e com quem tem dois filhos, de 13 e 15 anos.
O juiz carioca é evangélico desde criança e tem um irmão pastor. Faz parte da igreja Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul. 
É fervoroso e, na decisão que prendeu Cabral, citou Eclesiastes 8:11: 

" Visto que como se não executa logo a sentença sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto a praticar o mal "

Ao chegar ao Rio, o primeiro passo foi devassar a Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras, que operava licitações fraudulentas para prestação de serviços de construção em Angra 3. O presidente Othon Luiz Pinheiro da Silva recebia no acordo repasses de Andrade Gutierrez e Engevix. Em julho de 2016, foram apresentadas 15 denúncias contra funcionários da Eletronuclear e, em agosto, outras 11.
Em novembro, quando prendeu Cabral, Bretas classificou o “custo-corrupção” como fator determinante para a crise que o Rio de Janeiro está vivendo. A crise só aumentou desde então e, ao que tudo indica, ele estava certo.

Um juiz não tem o poder de deixar de cumprir o que a lei determina" - Marcelo Bretas

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA


Carmen Dell´Orefice, personifica a elegância, o porte impecável e a beleza. Capa da Vogue há 70 anos, quando mal tinha 15. 
Sete décadas depois, continua no centro das atenções ee arrancando suspiros de inveja. Na quarta-feira (25), ela voltou a fazê-lo quando apareceu no desfile da Alta Costura parisiense de Guo Pei. Lá, Dell’Orefice fechou o desfile.
Filha de um violinista italiano e uma bailarina húngara, esta nova-iorquina ( de 1931) ganhou a vida como pôde nos anos 30, depois que o músico bateu asas e as deixou na mão. Dançarina de balé (quase abandonou a dança aos 12 anos, depois de uma febre reumática), foi descoberta aos 13 por um agente num ônibus no caminho para o trabalho.
Dois anos mais tarde, foi capa da Vogue. 
Foi fotografada por Avedon, Penn, Horst e todos os grandes. E não parou de trabalhar. Apenas neste inverno protagonizou as campanhas da Sephora, H & M e Philip Plein e não parece que vá parar. 
Longa vida à imperatriz da moda. (El País)

Viver é Perigoso

PRÁ NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES


A safra de grãos deste ano, puxada por soja e milho e deve bater recorde. A Confederação Nacional da Agricultura espera produção de 215 milhões de toneladas e projeta renda de R$ 237,7 bilhões, quase 14% mais do que 2016, descontada a inflação.
O resultado deve impulsionar a economia e ser injeção de ânimo a comerciantes e prestadores de serviço de cidades do interior por causa do aumento do dinheiro em circulação. A safra recorde também deve reduzir preços de alimentos.
O clima também ajudou muito.
Isso é bom. (Estadão)

Viver é Perigoso

PORQUE HOJE É DOMINGO




14 Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens.

15 E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

16 E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

17 Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

18 Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

19 E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

20 Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

21 E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

22 E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

23 Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

24 Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

25 E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

26 Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

27 Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

28 Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

29 Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

30 Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.


Viver é Perigoso