segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

NÃO HÁ O QUE TEMER

Viver é Perigoso

NA MESMA PRAÇA, NO MESMO BANCO, AS MESMAS FLORES, NO MESMO JARDIM...

Formada a nova equipe do governo municipal com a renovação de 6%.  Como única novidade, conforme já informado, apenas a presença do Fernando Bissacot.

As nomeações deverão ser anunciadas, como sempre acontece, no Diário Oficial de quarta-feira.  

Alguns continuaram direto no cargo desde as eleições, outros gozaram de 90 dias de férias. Voltam com baterias recarregadas.

Volta, agora como Secretário da Comunicação, o otimista Rodrigo Melo, que anunciou em fevereiro de 2016, que as ações da Prefeitura Municipal para o desenvolvimento econômico da cidade estavam surtindo efeitos e que Itajubá era a primeira cidade da região a sair da crise.

Parece que não combinaram com os russos, como citou magistralmente  o fenômeno Garrincha em 1958 na Suécia.

Conforme praxe, na certa passarão a anunciar mensalmente a vinda de uma nova empresa para a cidade. Três estariam praticamente acertadas. Uma européia, outra americana e uma terceira chinesa. Os investimentos estarão na ordem dos US$ 200 milhões e gerarão acima de mil novos empregos especializados.

Só esperamos que não seja emitida pela Prefeitura, nota impedindo os Secretários de conceder entrevista por 90 dias, período necessário para tomarem conhecimento da situação em que foi encontrada a Administração.

Pela nova formação da Câmara Municipal, cansarão de serem convocados ou convidados para a prestação de informações. Será interessante.

Viver é Perigoso 

CONTINUA VALENDO !



Do "O Coronel e o Lobisomem" do José Cândido de Carvalho. Cairia bem em Itajubá um tipo de Lulu Bergantim como prefeito. Perto disso já tivemos.

"No dia da posse, depois dos dobrados da Banda Carlos Gomes e dos versos atirados pela professora Andrelina Tupinambá, o novo prefeito de Curralzinho, Lulu Bergantim, sacou do paletó na vista de todo mundo, arregaçou as mangas e disse:
— Já falaram, já comeram biscoitinhos de araruta e licor de jenipapo. Agora é trabalhar!
E sem mais aquela, atravessou a sala da posse, ganhou a porta e caiu de enxada nos matos que infestavam a Rua do Cais. O povo, de boca aberta, não lembrava em cem anos de ter acontecido um prefeito desse porte. Cajuca Viana, presidente da Câmara de Vereadores, para não ficar por baixo, pegou também no instrumento e foi concorrer com Lulu Bergantim nos trabalhos de limpeza. Com pouco mais, toda a cidade de Curralzinho estava no pau da enxada. Era um enxadar de possessos! Até a professora Andrelina Tupinambá, de óculos, entrou no serviço de faxina. E assim, de limpeza em limpeza, as ruas de Curralzinho ficaram novinhas em folha, saltando na ponta das pedras. E uma tarde, de brocha na mão, Lulu caiu em trabalho de caiação. Era assobiando "O teu-cabelo-não-nega, mulata, porque-és-mulata-na-cor" que o ilustre sujeito público comandava as brochas de sua jurisdição. Lambuzada de cal, Curralzinho pulava nos sapatos, branquinha mais que asa de anjo. E de melhoria em melhoria, a cidade foi andando na frente dos safanões de Lulu Bergantim. Às vezes, na sacada do casarão da prefeitura, Lulu ameaçava:
— Ou vai ou racha!
E uma noite, trepado no coreto da Praça das Acácias, gritou:
— Agora a gente vai fazer serviço de tatu!
O povo todo, uma picareta só, começou a esburacar ruas e becos de modo a deixar passar encanamento de água. Em um quarto de ano Curralzinho já gozava, como dizia cheio de vírgulas e crases o Sentinela Municipal do "salutar benefício do chamado precioso líquido". Por força de uma proposta de Cazuza Militão, dentista prático e grão-mestre da Loja Maçônica José Bonifácio, fizeram correr o pires da subscrição de modo a montar Lulu Bergantim em forma de estátua, na Praça das Acácias. E andava o bronze no meio do trabalho de fundição quando Lulu Bergantim, de repente, resolveu deixar o ofício de prefeito. Correu todo mundo com pedidos e apelações. O promotor público Belinho Santos fez discurso. E discurso fez, com a faixa de provedor-mor da Santa Casa no peito, o Major Penelão de Aguiar. E Lulu firme:
— Não abro mão! Vou embora para Ponte Nova. Já remeti telegrama avisativo de minha chegada.
Em verdade Lulu Bergantim não foi por conta própria. Vieram buscar Lulu em viagem especial, uma vez que era fugido do Hospício Santa Isabel de Inhangapi de Lavras. Na despedida de Lulu Bergantim pingava tristeza dos olhos e dos telhados de Curralzinho Novo. 
Lulu foi embora embarcado em nunca-mais. Sua estátua ficou no melhor pedestal da Praça das Acácias. Lulu em mangas de camisa, de enxada na mão. Para sempre, Lulu Bergantim."
J.C.C

Viver é Perigoso

TUDO O QUE GOSTARÍAMOS DE OUVIR


O prefeito eleito de São Paulo, João Dória, citou no seu discurso de posse dez temas que irão nortear a sua gestão, todos precedidos pela palavra "respeito". 

Ele prometeu respeito ao Legislativo e ao Judiciário e reafirmou seu compromisso de despachar com os parlamentares uma vez por mês. Além disso, voltou a defender a necessidade de transparência, ética e eficiência na gestão pública, bem como respeito aos cidadãos. Frisou: "Em todos os níveis vamos ter demonstrações claras de transparência e de ética".

O novo prefeito também adotou tom de conciliação, e disse que sustentará o diálogo e a capacidade de estar aberto a todas correntes e manifestações. Disse: "Não importa se são da oposição ou contrárias às nossas convicções".

Doria repetiu que não será candidato à reeleição "em qualquer circunstância".

Falou e disse.

Viver é Perigoso

LUZ NO FIM DO TÚNEL


Viver é Perigoso