sábado, 30 de dezembro de 2017

BOM PRÁ CACHORRO !


Sem dúvida nenhuma, a Vereadora Mônica, de Itajubá, é uma pessoa determinada e coragem é o que não lhe falta. Há séculos luta pela proteção dos animais. É público e foi a sua principal bandeira quando da campanha eleitoral.
Pelo seu posicionamento, lúcido e claro, contra o costumeiro foguetório que permeia na terrinha, tem sido atacada na internet. Foguetes digitais.
Dizem que autoridades adoram o espoucar de foguetes. Enquanto o povo olha para cima, não atenta para o que anda acontecendo aqui em baixo. Faz sentido.

Escreveu hoje no site da Folha de São Paulo, a Lívia Marra :  

As festas de Réveillon serão diferentes neste ano em algumas cidades do país. Para alivio dos animais, prefeituras afirmam que haverá menos barulho de fogos.

É o caso de Campos do Jordão, no interior paulista. A administração municipal diz que o show pirotécnico na virada do ano será silencioso e terá 12 minutos apenas de cores e de brilho. A medida é resultado de lei sancionada neste ano, que proíbe a queima de fogos com estampidos na cidade. A medida vale para todos, sob risco de multa que varia de R$ 952,66 para pessoas físicas a R$ 2.256,30 para empresas. O objetivo da lei é respeitar crianças, idosos e evitar danos aos animais, sensíveis aos ruídos causados pelos fogos de artifício tradicionais. Os danos por conta do barulho atingem tanto animais domésticos quanto os silvestres.

Ubatuba e Ilhabela, no litoral paulista, também terão espetáculo só com efeitos visuais.

Em Santos, lei aprovada no começo do ano sobre a utilização de fogos com barulho está suspensa desde 15 de maio devido a uma liminar obtida por fabricantes.

Em Matão, no interior de São Paulo, a prefeitura afirma que não realizará queima de fogos em respeito aos idosos, enfermos, crianças e animais.

O mesmo acontecerá em Alfenas (MG). A administração municipal informou que não fará queima de fogos no Réveillon, “atendendo solicitação de diversas associações de protetores de animais no município”.

Em Estiva, também em Minas, fogos também foram abolidos, e a prefeitura afirma que a decisão vai gerar bem-estar, além de economia ao município.

A virada do ano na chácara de Maurício de Souza, “pai” da Turma da Mônica, também vai ser sem a tradicional queima de fogos, em respeito aos animais domésticos e silvestres que são muito maltratados com essa prática”.

Como a audição muito mais sensível que a dos humanos, os animais, sofrem com barulhos extremos. Coração acelerado, salivação excessiva e tremores são indicativos de que algo não está bem. Em pânico, os bichinhos podem ter reações inesperadas e se machuca. No caso de animais doentes, o quadro de saúde pode se agravar – e podem ocorrer mortes.

Viver é Perigoso

:

7 comentários:

Anônimo disse...

Pois é , festas não mas para futebol pode? Ah vai!

Edson Riera disse...

Ah vai !

Nem em futebol. Fogos, tão somente os coloridos e sem ruídos.

Pensando bem, uma tremenda bobeira queimar dinheiro.

Zelador

Anônimo disse...

Zelador, vamos fazer uma análise fria dos vereadores, um cuida de cachorros, outro de igreja, outro de farmácia, outro de aulas, outro de servicinhos, outro de vendas, outro de aposentadoria , outro de pesca, outro de bananas, outro de doenças, outro de ouvido, e assim por diante , cuidar e representar o povo mesmo ? Ah ...bobagem! Feliz 18!

Edson Riera disse...

Ah...bobagem,

Perdão, mas como você disse, bobagem.

O Legislativo é formado por gente vinda de todos os segmentos da sociedade. Gente honrada, no dia a dia de seus trabalhos e de seus interesses.
Muitos se perdem por desconhecer a razão porque foram lá colocados. Suas funções. É o poder maior.
Alguns mais preparados, mais corajosos, mais desprendidos, agem de forma independente do Executivo. Não contra o Executivo e sim independente dele. Atentos aos interesses do povo.

Zelador

Edson Riera disse...

Anônimo feroz fogueteiro,

Não sou contra festas e comemorações. Mas é sempre bom atentar para o que está acontecendo em sua volta. O foguetório programado pela prefeitura de Itajubá, segundo as autoridades, deverá durar mais de 20 minutos. É fogo que não acaba mais.
Será pago pela Remo, uma empresa que cuida da manutenção elétrica urbana e tem vultoso contrato com a prefeitura. Como disse o economista americano, "não há mais almoço grátis". Quem no fundo acaba bancando a festa, como sempre, é o povo.
Todo o custo disso (consideram investimento), numa cidade que sonha em ser um centro tecnológico, com altos pensamentos, pegaria melhor se fosse direcionado para entidades beneficentes ou algo assim.
Foguetório desse tipo está sendo banido. Algumas cidades já saíram na dianteira.
Dianteira há muito deixou de ser a nossa posição.
20 minutos efêmeros, vazios e barulhentos.

Mas... é a vida.

Zelador

Anônimo disse...

O Zezinho para de achar que somos uma cidade tecnológica meu, somos uma cidadezinha igual a todas cidadezinhas sendo q a única diferença é q aqui tem uma meia dúzia de babacas q acham que são os entendidos de tudo; o povao gosta de festa, pão e circo e assim continuará sendo, é samba, pagode, mortadela , futebol e igreja ; claro tudo com cerveja, para meu! Relaxa .

Edson Riera disse...

Relaxa -

De certa forma sou levado a concordar.

Zelador