sexta-feira, 24 de novembro de 2017

VENTOS DE GUERRA


Como sempre, decisões tomadas em Belo Horizonte, podem provocar mudanças na terrinha. Eleições deverão acontecer na Federação das Indústrias de Minas Gerais, entre fevereiro e maio de 2018.
Desta vez, segundo comentários publicados nos principais jornais da Capital, a disputa será acirrada. Faz sentido. 

O sistema Fiemg (incluindo o sistema S) tem orçamento anual de R$ 1,2 bilhão. Sendo R$ 600 milhões em receitas próprias e o restante em repasses e convênios com a Confederação Nacional da Indústria, além de parceiras com diversas instituições. O colégio eleitoral tem 139 votos, representando sindicados pequenos a grandes de variados setores e que congregam 80 mil empresas registradas na Junta Comercial de Minas Gerais.

Comentam-se sobre dois candidatos: Alberto Salum, situacionista e ex-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Pesada de Minas Gerais e Flávio Rosco e presidente do Sindicato da Indústrias Têxteis de Malhas de Minas Gerais.

O racha na Fiemg começou justamente quando o Presidente Olavo Machado quis candidatar-se pela terceira vez. Os associados tiveram que votar para mudar o estatuto, permitindo o terceiro mandato. 

O candidato da situação, Alberto Salum, lembrou que, na ocasião, apoiou Olavo Machado quando ele quis mudar o estatuto da Fiemg para candidatar-se a um terceiro mandato, mesmo não concordando com a medida.

Flávio Roscoe coordenou a oposição à alternativa. Conseguiu derrubar Machado nas urnas com maioria dos votos, o que o fortaleceu como candidato oposicionista. 

O candidato Salum passa uma mensagem aos outros presidentes de sindicatos com direito a voto: participaram da gestão anterior e têm compromisso com ela. Seria o caso do Sindicato da Indústria Metalúrgica de Itajubá.

O candidato Roscoe passa uma mensagem que está na moda no Brasil: o de mudança, oxigenação, descontinuidade.

Se não ocorreu nenhuma alteração de bastidores, o quadro é esse aí.

Viver é Perigoso

3 comentários:

Anônimo disse...

Enquanto isso nosso eterno presidente do Simmei segue em frente e provavelmente só mudará quando morrer; o q não entendo é porque a Fiemg em Danta Rita, PA ? Pocos etc sempre está na frente , ou não ?

Edson Riera disse...

Ou Não,

Não costumam mudar times que estão ganhando. Ou não ?

Zelador

Edson Riera disse...

Obedece quem tem Juízo,

Concordo com você. Não faz muito sentido. Fui um dos fundadores do Sindicato e caso não esteja enganado, o seu primeiro diretor financeiro ou secretário. Naquela ocasião o assunto foi discutido.

Zelador