quarta-feira, 15 de novembro de 2017

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA EM ITAJUBÁ


Somente no domingo, 17 de novembro de 1889, foi que os itajubenses tomaram conhecimento, com a chegada do Correio, da Proclamação da República ocorrida na sexta -feira, 15 de novembro de 1889.

À tarde, o povo (os republicanos) se reuniram na Praça Theodomiro Santiago, então chamado de Largo dos Passos, para comemorar com banda de música e foguetório. No mesmo dia o Clube Republicano aclamou o Dr. Antonio Maximiano Xavier Lisboa, Luis Dias Pereira e Julião Florêncio Meyer Junior para constituírem o Governo Trino provisório do município.

Já no dia seguinte, dia 18, numa segunda-feira, o Trino provisório republicano do município exige que a Câmara Municipal dissolvida lhe entregue os livros, papéis, cofre e arquivo da municipalidade.

Já na terça-feira, dia 19, aconteceu a memorável reunião na Câmara Municipal, presidida pelo Cel. Antonio José Rennó, a fim de deliberar como proceder com a queda da Monarquia e a implantação da República e sobre a intimação do Governo Trino provisório municipal, que lhes exigia a entrega do poder. Decidiu-se aderir pacificamente ao novo Governo e regime determinado pelo Clube Republicano.

No dia seguinte, numa quarta-feira como hoje, O Dr. Xavier Lisboa, o farmacêutico Julião Florêncio Meyer Junior e o industrial Luis Dias Pereira, sob juramento, tomam posse do Governo Municipal. Ficava assim, instalada a República em Itajubá.

Mais adiante, em 29 de novembro de 1889, o Clube Republicano elege seis membros para o seu Diretório, e dissolve o Governo Trino provisório do município, devolvendo os poderes à Câmara, que aderira ao regime republicano.

O momento político seguiu tenso. Ainda no dia 24 de dezembro e 1889, grandes e provocadoras explosões de dinamite ocorreram na Praça Getúlio Vargas, então chamado de Largo dos Andradas, atribuídas aos adeptos do Partido Conservador.  Na madrugada do dia 29 de dezembro, do mesmo ano, ocorreu uma grande explosão de dinamite em frente a residência do Sr. Frederico Schumann, ali posta pelos seus adversários políticos, conservadores.

Custou um tempo para que os ânimos fossem arrefecidos.

Dados do historiador Armelim Guimarães 

Viver é Perigoso

2 comentários:

Anônimo disse...

Novos tempos virão ! É melhor já ir se acostumando ....

Edson Riera disse...

Ja Ir,

Não será fácil.

Zelador