sábado, 28 de outubro de 2017

SOB A LUZ DE VELAS


Eu desisto. 

Não existe essa manhã que eu perseguia. Um lugar que me dê trégua ou me sorria. E uma gente que não viva só pra si.

Só encontro, gente amarga mergulhada no passado, procurando repartir seu mundo errado, nessa vida sem amor que eu aprendi.

Por uns velhos vãos motivos, somos cegos e cativos no deserto do universo sem amor.

Taiguara

Viver é Perigoso

4 comentários:

Anônimo disse...

Eu também .... Chega.

Edson Riera disse...

Chega,

Talvez a saída seja comprar uma chacarazinha afastada, para não dar ladrão, criar galinhas, ajeitar um horta, uma vaquinha jersey,ter uma caminhonete saveiro velha, fazer um estoque de mantimentos de primeira necessidade, um reduzido laguinho, instalar um aquecedor solar, algumas caixas de remédio para pressão, dores e diabetes, discos, livros. Uma vez por mês uma visita na cidade para comprar sal e azeite. Receber a visita dos filhos, netos e dos amigos.
Sem jornais, revistas e TV aberta.

Zelador

Anônimo disse...

Sei não .... O ibama enche o saco, a polícia florestal é difícil , o sindicato não da sossego, o INCRA nem se fala, a secretaria de agricultura é dose, a administração da receita não perdoa, tem um monte de cadastros para fazer, taxas para pagar, ITC e o escambau ITR, sei não se vale a pena , no fim meu camarada é tudo uma merda mesmo ! Da roça

Edson Riera disse...

Da Roça,

Talvez então, uma chácara situada no lado oculto da lua.

Zelador