quarta-feira, 4 de outubro de 2017

CANTINHO DA SALA

Edward Hopper
“O grande homem é aquele que, no meio da multidão, mantém com perfeita doçura a independência da solidão” 

Ralph Waldo Emerson

Viver é Perigoso

8 comentários:

Anônimo disse...



Zelador,
E ai? Nosso Chicão vai ou não vai?
E a Helibras, vai ou não vai?
O negocio é vender jornal. kkkkkkkkk

Factoides!


Purgatorio

Edson Riera disse...

Factóides,

Não sei da realidade da situação, mas creio que o Chico irá levando o seu legítimo mandato adiante, ainda que pese toda a luta, empenho, determinação e gastos dos seus inimigos políticos.
Quanto a Helibrás, estão fazendo a pressão normal de mercado. Podem até voltar a ser apenas uma montadora, sem nenhuma nacionalização. Mantem uma certa quantidade de funcionários, importam a aeronave desmontada (não viria mesmo voando), dão um lustro e participam do mercado. Ah!, devem estar chateados também, porque a Prefeitura arquivou o Projeto do Parque Municipal (que teria custado quase 1 milhão) doado pela empresa ao município. Magoou.

Zelador

Anônimo disse...

É o fim da linha para o Chico. Com a decisão de ontem ele tá inelegível até 2022.

É a roda da vida!

Edson Riera disse...

Roda da Vida,

Creio que não. Segundo li, a decisão de 4x3 no STE lhe dá o direito de recorrer. Daí, se três acharam que o seu mandato é intocável, mais para diante outro pode pensar melhor e resolver conforme foi decidido nas urnas, com a 2ª maior votação para vereador.

Caso os seus adversários/inimigos vençam, a vida segue. O Chico tem uma enorme bagagem de benfeitorias feitas para Itajubá.

Zelador

Anônimo disse...

Zelador, o inferno q ele vive de ter que dia a dia acompanhar este processo já o colocou fora do contexto e tirou totalmente sua capacidade de pensar ou planejar alguma outra acao a não ser é claro tentar a todo custo destilar o ódio que carrega! Isso deve fazer um mal danado a ele a família , enfim! Lamentável este final! Anjo

Edson Riera disse...

Anjo,

O Chico, no final do seu primeiro mandato sofreu uma grande agressão, que foi a implantação de escuta clandestina dentro da sua própria casa. Os filhos eram jovens e se conversava muito no telefone. O maior mal que podem fazer a um cidadão é a invasão do seu lar, da intimidade de sua família. Imperdoável. Na época parte da escuta foi publicada até um jornal de BH e distribuído gratuitamente na cidade.
Nunca se soube quem foi ou foram os responsáveis e por essa razão, ninguém foi punido. Serão um dia, claro, de algum modo. Certamente, o tresloucado gesto teve motivação política.
Pelo seu princípio cristão, creio que ódio ele não guarda, mas sim uma grande tristeza. Ele foi prefeito por duas vezes e realizou um bom trabalho e sua continuação na política é bom para a cidade. Não fosse ele, teríamos um grupo se revezando no poder e mais ninguém. Claro, uma vez que ninguém é perfeito, exageros acontecem.

É a vida...

Zelador

Anônimo disse...

Desculpe Zezinho, a cidade não tem culpa disso, votamos nele para trabalhar e não ficar o tempo todo remoendo este episódio e ódio, além da Copasa, Valonia, e estas maldições q ele carrega! Até qusndo isso vai durar? Pelo jeito até um fos dois morrer? Que que eu tenho com isso? Por favor, já não sao crianças , vamos crescer! Que merda de cristão nos somos? Indignado

Edson Riera disse...

Indignado,

Concordo em grande parte com você. Lembro-me do contrato com a Copasa. A situação era outra e a empresa, em contra-partida, investiu muito na cidade. Não faria se não tivesse um contrato de longo prazo. Todos os candidatos e logicamente os eleitos, prometeram buscar a renegociação do contrato. Esqueceram ou foram levados a esquecer. A Copasa esteve séculos sob a responsabilidade do Dep Bilaquinho, aliado do atual Prefeito. Nada foi feito ou melhor, as tarifas (esgoto) foram aperfeiçoadas para pior. A fiscalização sobre os serviços da Valônia tem que ser rigorosa e feita pela Prefeitura e Itajubá não suporta mais de uma empresa no transporte público. Com duas, ficaria muito mais caro, óbvio.
A função principal de um vereador é fiscalizar e nesse aspecto, o Chico é um dos que mais trabalham. Sinceramente, não acredito que possa acontecer, mas um dia, para mim, muito feliz, seria o dia que os inimigos políticos da cidade fossem apenas adversários e pudessem sentar ao redor da mesma mesa.

Zelador