terça-feira, 12 de setembro de 2017

SANTA RITA DO SAPUCAÍ


Teve início hoje, em Santa Rita do Sapucaí, a 14ª Feira Industrial do Vale da Eletrônica com o tema Com “Impactando o mercado, gerando negócios e grandes parcerias”.

Com vários produtos inovadores, que vão desde um modelo mais eficaz para as tornozeleiras eletrônicas, até pulseiras que dispensam o uso do dinheiro e cartões em festas, a expectativa dos organizadores é de que a feira movimente cerca de R$500 milhões em transações envolvendo as novas tecnologias.

O evento que teve início nesta terça (12) e vai até a próxima quinta-feira (14), é promovido pelo Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica (SINDVEL) e pela Associação Industrial de Santa Rita do Sapucaí, com o apoio da Fiemg e do Sebrae.

A todo são 66 expositores, que atraem investidores de todo o país. Os empresários enxergam na feira, o espaço ideal para conseguirem inserir ou reafirmar seus produtos no mercado.

Maior polo tecnológico do país, o Vale da Eletrônica reúne 153 empresas em um Arranjo Produtivo Local (APL), produzindo mais de 14,5 mil produtos, além de empregar 14,7 mil pessoas. Esse valor representa cerca de 29% da mão de obra da indústria eletrônica de Minas Gerais.
 
Declarou o Presidente do Sindvel, Roberto de Souza Pinto:

“A capacidade de inovar e de investir dos empresários de Santa Rita do Sapucaí fizeram com que ficássemos sem fechar nenhuma empresa, sem demissão em massa, sem férias coletivas. Regredimos sim, mas em porcentagem muito baixa. O que nós regredimos em faturamento e número de funcionários nos últimos anos, em 2017 já recuperamos. Voltamos a ter o faturamento anterior – devemos fechar 2017 com R$3,2 bilhões de faturamento”. 

(deu na imprensa de BH)

Viver é Perigoso

9 comentários:

Anônimo disse...

Zelador,

Bom vou ter que encher o saco de novo da ACIEI, PM !
Durante anos aos trancos e barrancos promoveram a FRICI na cidade, queira ou não queira movimentou bastante, principalmente naqueles tempos de vacas magras, dificuldades enfim.
Agora, depois que a Prefeirtura na gestão do RR começou a dar verba para fazer a feira desandou e transformaram o evento numa feirinha ridícula,horrível, olha que antes sem dinheiro da PM eles se viravam e faziam o evento.
Acostumaram com a mamata e isso foi motivo para inviabilizar a anos este evento pois parece que não deram mais a verba? Que absurdo.....
Então que merda de entidade empresarial é esta que vive de palestrinhas, mensalidades , e não se preocupa em incentivar, promover a cidade, seu comercio, suas indústrias estas coisas que qualquer entidade medíocre que seja faz pela comunidade e associados.Mudaram a missão? Unidos para fortalecer? ou unidos para esquecer....

Congratulações e moço~es de REPUDIO a nossa ACIEI, CDL e também a Secretaria de indústria e comercio que ficou pequena ultimamente, acompanhando a mediocridade dos parceiros, alias nem sei se existe.
Lembrando, omo diz o presidente eterno do Sindicato das industrrias de itajubá,( o fodão), o metido, o chato, "precisamos dar um jeito de tirar o umbigo dos itahjubenses quando nascem, pois só olham pra si e seus interesses pessoais".Ta certo ele.
Presidente da Ac, vamos trabalhar? mais um ano sem a FRICI? Que vergonha. Nas crises e dificuldades é que se deve levantar a bandeira com criatividade, força, garra, voces estão decepcionando o nosso DIDI PEREIRA. Virou o que a AC um clubinho? E ai CDL só almocinho?
É Bixsacot, voce precisa colocar esta gente no trilho, ou será que......

Associado


Edson Riera disse...

Associado,

Entendo a sua revolta e em parte faz todo o sentido. Uma feira tem que ter o que mostrar e o que vender. Santa Rita do Sapucaí encontra-se na crista da onda com a eletrônica. A Indústria a cidade e a cultura caminham juntas. Dizem, pois não conheço, que o mais famoso e organizado bloco de carnaval é de lá. Durante o anos fazem eventos de artes e de música universal, como blues e Jazz. O empreendedorismo é latente.
Itajubá, como todos nós sabemos, passou a navegar na esteira deixada por navios mais potentes, organizados. E isso não é errado.
Participe das reuniões da CDL, ACIEI e SINMEI e exponha firmemente as suas posições.

Mas que dá uma certa dor de cotovelo, isso dá. Não gosto nem de lembrar que Itajubá virou uma forte parceira de Santa Rita do Sapucai, recebendo o lixo diário de lá. Simbolicamente é doído.

Zelador

Anônimo disse...

Zelador! Outro dia assisti um vídeo de sua participação na Comissão de desenvolvimento da CM onde falavam da importsncia do Parque Tecnológico e etc! Enquanto isso estavam assinando a criação da Inovai e sequer deram conhecimento ao pessoal da comissão e seus convidados! Conclusão , realmente não da , o trem já passou esta gente perdeu a vontade sao realmente uns bundoes! Ex

Anônimo disse...

Participe das reuniões da CDL, ACIEI e SINMEI e exponha firmemente as suas posições.


"Panelas" meu caro!!.

Associado

Edson Riera disse...

Ex,

Como diz o Joesley Batista, "nóis já era". Entendi que nesse campo, a experiência não vale nada. Tomara que consigam sucesso. Adeus às Armas.

Vou procurar saber um pouco mais da Inovai e quem são os condutores do desenvolvimento de Itajubá. Lógico, que todos sob a regência do Executivo.

É a vida.

Zelador

Anônimo disse...

Pessoal da Retic rede de inovação, muito bem estruturada, ficou de fora da Inovai. Sabe pro que? Participaram ativamente da candidatura Ricardo Melo. Retaliação pura!
observador da cena

Edson Riera disse...

Observador da Cena,

Estou tentando descobrir os nomes que estarão conduzindo a Inovai.

Não é novidade que o pessoal ligado ao Executivo, sequer, comparece a uma reunião que tenha a participação de cidadãos constante do Index da Prefeitura.

Zelador

Anônimo disse...

Zé,

Eu tenho pena do Santi que fica indo na conversa do grandão e só se ferra.
Não tão nem ai com ele e eles...kkkkkk

Veja ai.

http://www.itajuba.mg.gov.br/noticias.php?id=12414

Nãovai

Edson Riera disse...

Nãovai (boa observação)

O Santi tem muita experiência. Não creio que alguém possa influenciar seus posicionamentos.

Zelador