sexta-feira, 1 de setembro de 2017

EM OUTRA OCASIÃO


No final dos anos 80 e início dos anos 90, quando da Administração Rosemburgo Romano, fomos informados que a fiscalização da prefeitura estava se dirigindo a uma tradicionalíssima pastelaria da cidade, localizada no Mercado Municipal. Por divergências outras, inclusive autoritarismo e pitadas políticas de uma parte e rebeldia de outra, o prestigiado empreendimento seria interditado.

Um amigo e eu corremos até o Secretário Municipal de Obras, conhecido de longa data, conseguindo o adiamento, por algumas horas, da operação. A interdição seria por 3 dias e até o cumprimento das exigências.

Visitamos o comerciante, que chateado estava irredutível em providenciar qualquer nova pintura e adequar frigideiras e o depósito de óleo. Os tempos eram outros e existia no episódio um viés político.

Estivemos na Prefeitura e no comércio por diversas vezes em poucas horas tentando um armistício. 
Com muito custo, foi conseguido, com o compromisso da pintura interna da pastelaria, com início às 17 horas do mesmo dia e o encerramento até às 06:00 da manhã do dia seguinte. Os equipamentos seriam revitalizados dentro de uma semana.

Tudo resolvido e quase ninguém ficou sabendo. Muitos dos personagens desse filme já tomaram o barco.

Em tempo, o comerciante, ativo e participativo cidadão, não era proprietário de jornal e nem diretor de alguma Ong. Era dirigente de uma entidade de classe e de um operante clube de serviços. Ah! e tinha posição definida.

A vida seguiu normalmente, sem processos e sem grandes ressentimentos.

Viver é Perigoso    

10 comentários:

Anônimo disse...

Zelador,
Esquece isso, hoje é ferro na buneca...
Agora que o "outro" anda numa felicidade , anda...

Quanta maldade, é vida que segue...

Do bem

Anônimo disse...

Zé,

Vi um anuncio da Fiemg dizendo que estão trazendo a SIVA para Itajubá? Acredita?

Itajubense, desacreditado.

Anônimo disse...

Cara, o Presidente da Camara disse que vai mesmo fazer o "puxadinho" ?
E ai?

Edson Riera disse...

Do Bem,

Em outros tempo...

Zelador

Edson Riera disse...

Itajubense Desacreditado,

A Siva, empresa americana, é dona de tecnologia de ponta em painéis foto-voltaicos. Seria muito bom se viessem para Itajubá. Estão muito próximos dos diretores da Fiemg, que já têm interesses industriais por estas bandas, além de, por ligados ao Senai, conduzirem o Laboratório de Teste em Alta Tensão. Tudo ajuda, exceto pela existência de uma pedrinha no sapato: O investimento é alto e contam com a participação/financiamento da Codemig.
A Codemig é do governo estadual, que por sua vez, imagino eu, não fala a mesma linguagem do governo municipal (processos, etc).
Oremos.

Zelador

Edson Riera disse...

Puxadinho,

Não acredito que o Presidente da Câmara consiga fazer o tal "puxadinho".

Por incrível que pareça, seria mais viável, e receberia o apoio do Executivo, se partisse direto para construção da sede definitiva e própria lá pelos lados do Centro Administrativo. Em termos de pensamentos e mentes já estão longe do povo. Só falta, fisicamente.

Zelador

Anônimo disse...

Zelador,
A devolução sistêmica anual da verba da CM que não foi usada, para o Executivo realmente é estranha.Todo ano a mesma coisa, ha anos....
Ou o legislativo não tem competência para investir estes valores, ou o executivo exige a devolução, ou realmente eu não sei o que acontece.
Penso que os vereadores não querem saber do assunto, não é possível tanta ignorância.Será?
É preciso fiscalizar isso. Mas quem...?

Fiscal de araque

Anônimo disse...

Meu caro zélador, no caso da empresa demos vexame quando da última reunião com os americanos. Não respondemos quase nada do que eles queriam saber. Converse com quem participou.
outro observador da cena

Edson Riera disse...

Fiscal de Araque,

Não creio que possa existir qualquer possibilidade de choque entre o Presidente da Câmara e o Chefe do Executivo. São aliados.

Para mim não passa de uma jogada ensaiada.

Zelador

Edson Riera disse...

Observador da Cena,

Investidores, de forma geral, são atentos aos detalhes. Normalmente num momento de decisão contratam uma consultoria para tomar pé da situação política na cidade. Querem saber o que vai e o que pode acontecer. Buscam contato com outras empresas instaladas no local para saber a quantas anda o relacionamento publico/privado. Precisam que exista um bom acesso junto aos órgãos estaduais. Tudo isso pesa.
Só boa vontade não basta. Envolve muito interesse.
Tomara que dê certo. Itajubá não pode perder esse empreendimento. Se para isso for preciso elogiar a Administração, o Blog começa amanhã.

Zelador