sábado, 12 de agosto de 2017

TOMOU O BARCO


Max, ou melhor, Carlos Franklin Paixão de Araújo, esquerdista e ex-marido da ex-presidente Dilma Rousseff, tomou o barco hoje em Porto Alegre, onde vivia. Partiu aos 79 anos. 

Na década de 1950, ingressou na Juventude Comunista e integrou a delegação brasileira para o Festival da Juventude de Moscou em 1957. Anos mais tarde, integrou a organização guerrilheira VAR-Palmares, na qual em 1969 conheceu a futura mulher, Dilma Rousseff, com quem viveu até 2000. e depois seguiu como amigo.

Max, codinome pelo qual era conhecido nos tempos de luta armada, foi preso pela ditadura militar em julho de 1970, meses após a captura de Dilma. Ele deixou a cadeia em 1974.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: