domingo, 28 de maio de 2017

CORTINA DE FUMAÇA


Existe um instrumento legal que estabelece as condições para homologação premiada. O tal "prêmio", vem do detalhamento, comprovações, ressarcimento de recursos, pagamento de multas, perspectivas de elucidação de outros mal-feitos, afastamento de políticos e funcionários corruptos, limpeza nos fundos de pensões, em bancos e empresas públicas. O delator obtêm pena mais branda e assume seríssimos compromissos. Alguma prestação de falso testemunho, mentiras ou omissões sujeitam ao rompimento do acordo.
Para quase todos os brasileiros, os membros da família JBS saíram-se muito bem na negociação com as autoridades brasileiras responsáveis.
Não penso assim. Qualquer conjetura nesses sentido surge como possível desvio de foco.
Uma quadrilha foi desarticulada. Níveis de relacionamento jamais imaginados. Palácios, bancos oficiais, fundos de pensão, políticos mentirosos, assessores maleiros.
Provas, gravações, documentos, atas, comprovantes de depósitos, filmes. O que falta ?
Agora sim, a capina deve ser iniciada. Contratos analisados, nomeações escusas, tráfico de influências, emfim, serviços para muitos anos nos tribunais.
Tribunais sim, que também deverão ser investigados. Por que não ?
Na certa, o Grupo JBS se afastará, de forma definitiva, dos seus negócios no Brasil. Será punido por ganhos oriundos de informações privilegiadas junto ao câmbio e a bolsa. Viverão no exílio, saltando em gaiolas douradas e sob observação da justiça americana.
Não sentiremos falta de Jowesleys, Odebrechts e etc. Mas muitos engravatados e usando cabelo cor de pelo de camelo, sem dúvida.

Viver é Perigoso  
  

Nenhum comentário: