segunda-feira, 3 de abril de 2017

LIVRO, PRESENTE DE AMIGO


Sonho dos meninos da Boa Vista, é claro. Completar idade para assistir filmes censurados até 14 anos. Controle rígido com os temíveis fiscais de menores sempre ao lado dos porteiros. Linha dura. Nem o macete de entrar após o início das sessões funcionava.
Em 1962, com minha recém conquistada maioridade de 14 anos e botando banca por isso, fui assistir a um filme no Cine Presidente. A sessão iniciava ás 20:15 horas, mas às 19:30 já estava sentado numa das poltronas "pé de palito", rosa e azul, da sala de espera. Saquinho de pipoca nas mãos e balas Dulcora no bolso.
Foi quando fiquei encantado com a moça mais bonita que já tinha visto. Estava acompanhada por um personagem conhecido e admirado na cidade por ter pertencido a Força Aérea por ocasião da 2ª Guerra Mundial. Piloto, casaco de couro e óculos ray-ban. Hilário Dastre.
Com toda a sua presença e história, o aviador sumiu ao lado da moça deslumbrante. Dona Yedda Dastre, então, com  29 anos.
Li no final de semana o livro "A Menina com Sandálias de Gladiadora", escrito com a categoria de sempre, pelo Nino Dastre, filho da Moça Bonita, Yedda, que tomou o barco em 2015, aos 81 anos, na Boa Vista, onde morava há muitos anos.
Leiam. Editora AM.
Um perfil traçado com muito amor sobre uma pessoa admirável. Uma parte da história de Itajubá como cenário. 
Encontrávamos sempre pelas ruas do bairro. Ela sempre atenciosa, gentil e dona de uma classe e beleza, marcantes. 
O imperdível livro do Nino Dastre não menciona um presente deixado pela família Dastre para a cidade. O mais bonito passeio (calçada) de Itajubá, na Rua Major Belo Lisboa, em frente da antiga Fundição Dastre.

Viver é Perigoso  

Nenhum comentário: