sábado, 25 de março de 2017

OS TRAPALHÕES - O RETORNO


A Prefeitura nos fica devendo essa:

O Diário Oficial do Município, publicou no dia 22 de março de 2017 o Decreto 6465/2016 fixando os valores reajustados da tarifa de transporte público. Tal Portaria foi assinada no mesmo dia 22 de março de 2017.
O que chamou a atenção foi o ano de 2016 considerado no Decreto. Foram alertados

Ontem, dia 24 de março, foi publicado no Diário Oficial, o Decreto 6464 / sem citar o ano, com o mesmo teor, apenas mencionando em seu texto o erro acontecido na redação do Decreto 6465/2016 e o seu cancelamento.

A gentileza poderá ser paga pela Prefeitura ao Blog Viver é Perigo com o fornecimento de duas respostas de futuros questionamentso.

Viver é Perigoso

2 comentários:

marcos.caravalho disse...

Zélador,
Assunto+ divagações em cima do tema.

Esse minúsculo "Perdão, erramos", da PMI é o reflexo do que acontece hoje na grandissísima maioria dos éditos (ôôôpa!!), decretos, leis, dispositivos etc das três plataformas do poder.

Um cara lá, que tá jogando búzio, é chamado pelo "superior imediato" e mandado criar uma regra nova, uma disposição ou fixar "procedimentos operacionais e processos" para uma coisa coisa qualquer que um cidadão muita vezes humilde faz e vive disso há gerações.

O cara, sem o menor interesse/idéia sobre o que irá pontificar, desconhecendo aquilo que o Doutor Sarney chamaria de "ritos do poder", vai lá e escreve um "negoço" mais ou menos.
Depois, publica e decreta: cumpra-se.
Contestado por algum motivo, léxico, gramatical ou mesmo legal, corrija-se (ou não). Sem pedido de desculpas, sem reconhecimento do engano - tudo na base daquela arrogância do "sabe com que está falando?".

O novo édito, corrigido (!!!) necessita fiscais (de municípios próximos à Capital), cadeia de comando (funcionários), verbas vinculadas, recursos para exercício da função, etc. Tradução livre da xêpa: granolina!!
Tudo sempre visando a "segurança e conforto da população..."

Quanto a nós, tólos (manter o acento, por favor), nada a acrescentar: um tólo nasce a cada dia, disse T.P. Barnun, o inventor do circo que substituiu o antigo "circo de toriada".
Aqui, um minuto de silêncio pros circos de turiada (Turquinho, Pipoca...) que circulavam o Sul De Minas o ano todo. Hipotenuza (apud Ciro Monteiro) da sessão : representação da Paixão de Cristo.

Parêntese: a esquadrilha da fumaça usava, em priscas e não retornáveis eras, fumaça colorida. Até em municípios bagrinhos, tipo SRC. Era bonito.
Essa fumaça branca usada hoje será que não faz parte do "esforço fiscal" do Doutor Henrique?? Pena... Notei também uma certa apresentação soporífera, tipo " - Vâmo no piloto automático, turma. Daqui há meia hora acabamos com mais essa e podemos ir para casa comer nosso feijão preto com entulho de porquinhos interioranos" (de Guará??) Fim do parêntese.

Resumo da diatribe: somos legislados na galega.
Ameaçados que entrem em cena discípulos e descendentes do Alí-Babá depois do abre-te Sésamo.

Abraços Munícipo-Relaxo-Redacionais

Edson Riera disse...

Marcos,

Com a devida vênia, vai virar post.

Abraço