quarta-feira, 22 de março de 2017

JANOT, FALOU E DISSE !


Rodrigo Janot pegou o tucano Gilmar Mendes de jeito. Provocou, levou:
"...é uma mentira, que beira a irresponsabilidade, afirmar que realizamos, na Procuradoria-Geral da República, coletiva de imprensa para “vazar” nomes da Odebrecht.
Só posso atribuir tal ideia a mentes ociosas dadas a devaneios, mas, infelizmente, com meios para distorcer fatos e desvirtuar instrumentos legítimos de comunicação institucional. Refutei pessoalmente o fato para os próprios representantes do veículo de comunicação que publicou a matéria inverídica.
Procuramos nos distanciar dos banquetes palacianos. Fugimos dos círculos de comensais que cortejam desavergonhadamente o poder político. E repudiamos a relação promíscua com a imprensa.
Ainda assim, meus amigos, em projeção mental, alguns tentam nivelar a todos à sua decrepitude moral,   e  para   isso  acusam-nos  de condutas que lhes são próprias, socorrendo-se não raras vezes da aparente intangibilidade proporcionada pela posição que ocupam no Estado.
Infelizmente, precisamos reconhecer que sempre houve, na história da humanidade, homens dispostos a sacrificar seus compromissos éticos no altar da vaidade desmedida e da ambição sem freios.
Esses não hesitam em violar o dever de imparcialidade ou em macular o decoro do cargo  que exercem; na sofreguidão por reconhecimento e afago dos poderosos de plantão, perdem o referencial de decência e de retidão.
Não se impressionem com a importância que parecem transitoriamente ostentar. No fundo, são apenas difamadores e para eles, ouvidos moucos é  o que cabe e, no limite, a lei. Não somos um deles, e isso já nos basta.
Para encerrar, compartilho com os senhores a advertência do mestre Montesquieu que sempre tive presente comigo: o homem público deve buscar sempre a aprovação, mas nunca o aplauso. E, se o busca, espera-se, ao menos, que seja pelo cumprimento do seu dever para com as leis; jamais por servilismo ou compadrio."
Rodrigo Janot
Viver é Perigoso

2 comentários:

marcos.caravalho disse...

"Procuramos nos distanciar dos banquetes palacianos. Fugimos dos círculos de comensais que cortejam desavergonhadamente o poder político. E repudiamos a relação promíscua com a imprensa."

Boa, Janot.

Perguntinha impertinente:
Que horas do dia, da tarde, da noite será que o Prof. Dr. Mendes trabalha ou examina processos pendentes em seus (dele) escaninhos?
Trabalha, quero dizer.
Prá justificar a grana alta que fatura.
Sempre o vemos flanando sobranceiro pelos palácios e residências funcionais, não se negando, nunca, a dar um pitaco, mesmo que seja sobre um clássico Smart x Yuracan da década de 60, 50. Prá luzinha da sua (dele) geladeira que se acende quando a porta é aberta.

Abraço Jurisprudencial

Edson Riera disse...

Caro Marcos,

O cara é dono de uma faculdade de direito. O STF é bico e mordomia. Apegado ao Aécio, Sarney, et caterva.

Advogado de defesa do poder e guru adorado do Reinaldo Azevedo.

Fazer o quê ?