sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

TOMOU O BARCO


Tomou o barco em Itajubá um dos seus mais dedicados cidadãos. João Mauro Moraes. Um itajubense de Brasópolis. Amigo chegado há quase 60 anos. Jogamos futebol no Estrela Azul, quando ele já pendurava as chuteiras. Trabalhou uma vida no SAMDU, atendendo e salvando pessoas. Político íntegro e apaixonado pelas causas. Atuou com vereador e foi um farol na defesa do meio ambiente e da história de Itajubá. 
Trabalhamos juntos no Clube Itajubense nos anos 90. 
Certa tarde, o João, o Califa e eu, estávamos apreciando a Alameda em construção na sede campestre ligando o estacionamento ao campo de futebol. Foi praticamente levantada pelos braços do João Mauro, que inclusive, plantou uma a uma as árvores que a cercam. Combinamos: 
Aquele de nós três que tomasse o barco primeiro daria o nome para o belo caminho. Os dois que ficassem lutariam para que isso acontecesse.
O José Luis Chiaradia, o nosso Califa, foi na frente. E lá está o seu nome.
Não registramos nenhuma futura homenagem para os remanescentes.
Para mim, a partir de hoje, o nosso rio passa a ser "Sapucaí do João Mauro".
Um dos pioneiros na luta pela implantação da Faculdade de Medicina de Itajubá. Ambientalista, longe de ser chato, escreveu o livro "Rio Sapucaí. Vereda da visão de uma alvorada". 
Deixa a Dona Léa, filhos e netos bonitos, no mais amplo sentido.
Foi-se João, um dos maiores amigos. Uma das unanimidades de Itajubá, que ficou mais pobre hoje.

Viver é Perigoso

2 comentários:

Celem disse...

Realmente um perda enorme pelos seus conhecimentos e por ser nossa inspiração.
Celem

Edson Riera disse...

Celem,

Um homem de bem. Espécie em extinção.

Abraço,