quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

PRENDO E ARREBENTO MORREU


O Vereador Marcelo Krauss, presidente da comissão de obras, serviços públicos, habitação e política urbana, da Câmara Municipal, dentro do seu estilo diplomático, insistiu no convite aos Secretários Municipais de Obras e Planejamento, para participarem de reunião e esclarecer sobre as providências tomadas em relação as contantes enchentes que vêm acontecendo na cidade. 
No primeiro convite feito não encontrou exito.
Ontem, devidamente autorizados, creio eu, os Senhores Teixeira compareceram. 
Tudo indica que, entre os mortos e feridos, salvaram-se todos.
Esse relacionamento é importante para cidade. Guardem as facas.
Na atual gestão, a Administração tem muito é que se preocupar com o pavio curto e o jeito estourado de ser adotado pelo Prefeito em suas intervenções.
Tem errado na mão. 
Ou exagera no positivismo, no qual ninguém acredita mais, ou parte direto para o pau.
Ainda bem que não tem contaminado os seus assessores.
Calma e juízo moçada. Riam um pouco.

Viver é Perigoso   
  

3 comentários:

Remy andrade disse...

Caro Edson,

O Vereador Marcelo Krauss, entre outros poucos, tem tido uma postura exemplar no que se espera da atuação de um representante da população.

Referente a receptividade de críticas pela administração municipal , cabe lembrar três afirmações e orientações dadas pelas altas instâncias da justiça , empoderando a população para praticar um comportamento questionador :

1- A Ministra Cármen Lúcia, presidente do STF afirmando que : “ O cala boca já morreu - Deixa o povo reclamar “ .

2- A mesma ministra alertando que o princípio da Publicidade na vida pública, é claro na constituição federal.

3- O TSE que através de peças publicitárias na televisão incentiva a população a cobrar seus eleitos no cumprimento das promessas de campanha e fiscalizar suas ações.

Respostas, portanto, no estilo de “ No seu nariz “ , não são condizentes com o comportamento que espera-se de um representante do povo. Faz parte de seu significativo salário, saber reagir , responder e prestar contas adequadamente a quem lhe remunera .

As palavras e frases interrogativas soam como ofensas aos ouvidos da atual administração.

Preferem, sem dúvidas as frases exclamativas ditas literalmente com a “ boca cheia” pelos amigos, beneficiados e simpatizantes .

Tenho o aval da dona Carmen e do TSE . Foi-se o tempo das baionetas, coronéis e sinhozinhos . Goste ou não ,o chamado " prefeitão" , O Brasil é livre. Seu povo também.

Tenha mais respeito com quem lhe paga .

Um abraço,

marcos.caravalho disse...

Sexta-feira é dia de "criar casóides":

Acho que o vereador - e a Câmara - está(ão) muito "multifuncional(ais)".
Ou os cargos/funções foram criados por superposição excessiva?
Parece, se me permite o grafismo, general de cartum: peito abarrotado de medalhas tão inúteis quanto desconhecidas...
.Obras (OK, delas estamos sempre precisando);
.Serviços Públicos (não seriam também "obras"??);
.Habitação (cosa fai??)
.Política Urbana (importantíssima, se apresentasse planejamento concreto de longo prazo).

Diálogo com a turma do prefeito: OK, indispensável desde que feito de maneira civilizada.
É a Câmara cumprindo seu (dela) papel e a Prefeitura o seu (dela).

Edson Riera disse...

Remy,

Às vezes chego a pensar que essa moçada não sabe de nada mesmo. Não devem ler nem jornais e os três livros já foram devidamente pintados.

Por uns tempos ainda estaremos lascados. O destempero indica desconhecimento, desinformação e temor.

Abraço

Edson