sábado, 18 de fevereiro de 2017

COMPACTAÇÃO E CONTUNDÊNCIA



Nós brasileiros sabemos que o futebol não é só um jogo ; tem ensinamentos variados que aplicam-se em outras áreas . 
Em apenas 6 meses, Tite transformou uma seleção brasileira, até então amuada e cabisbaixa em uma equipe que vem colhendo excelentes resultados .

A base de seu sucesso , segundo sua avaliação, não são os nomes, mas conceitos de jogo da equipe . Jogue quem jogar , a compactação e a contundência deverão ser praticadas. 

De forma simples, diz que a compactação é o jogar bem próximo , agrupado, um jogador apoiando o outro , seja em momentos de se defender ou atacar. Já a contundência diz respeito à capacidade de ser letal , intenso , incontido, nas ações de ataque. 

Trazendo estes tópicos para a realidade de nosso País , que inicia-se em nossa cidade , onde cada cidadão deveria dar vazão e amplificar sua voz , vejo enorme aplicação destes conceitos já vitoriosos . 

A sociedade civil deveria trabalhar compactada, próxima, auxiliando-se e lutando para fazer prevalecer seus desejos. Não basta delegar a um vereador ou prefeito suas vontades através de um voto ; É necessário atuar junto , gritando ao ouvido , ao longo dos quatro anos de trabalho dos mesmos. A compactação daria forças e evitaria a exposição excessiva de alguns setores ou pessoas. Imagine a força que não haveria se universidades, associações, entidades, tivessem objetivos comuns para a cidade, e trabalhassem juntas , coesas, para a obtenção de seus propósitos.

A contundência , o ser incisivo e agudo, colocaria a classe política sempre em posição de guarda . Uma vez definida as metas pela população, o xeque-mate seria questão de tempo. A força seria inconteste. 

Há uma falha que tem se mostrado incorrigível no sistema político brasileiro : A participação popular restringe-se a dar um voto a cada 4 anos . Os políticos ao receberem o voto, sentem-se agraciados com uma carta branca e a população , por sua vez, dá-se por satisfeita com esta ínfima contribuição e lamuria os descaminhos sem forças para confrontá-los. 

Será utopia ver uma comunidade trabalhando compactada e sendo contundente na busca de suas vontades ? O lógico não seria a comunidade ditar suas prioridades aos seus representantes políticos, devidamente remunerados para executá-las , sem sequer piar ?

Remy Andrade Filho

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: