quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

VOU SEMPRE DE T-SHIRTS



BLZ Hering, no Alvoradão, na Boa Vista, é claro. Da linda e contagiante Paula, assessorada pela Daniela e o Lucas. De lá eu saio bonito.

Um pouco sobre T-Shirts.

"Para a música, a roupa sempre significou mais que um simples tema, principalmente para o rock. E foi no cenário pop da segunda metade do século que a roupa e o rock se encontraram num casamento feliz e duradouro, onde a camiseta surge como uma peça considerada muito mais que uma vestimenta, mas uma verdadeira bandeira cultural.

Em uma edição da década de 80, a revista Rolling Stone, medidor e porta-voz do rock e da contracultura, registra: “As camisetas são os trajes definitivos do rock. São os tambores falantes dos anos 70 e 80, significadores de dez dólares, identificadores ideológicos.” Uma questão interessante é a briga entre a música e o cinema pelo crédito de ter iniciado a moda das camisetas.

Antes de Marlon Brando encarnar Kowalsky vestindo uma justa t-shirt, o trompetista de jazz Chet Baker já teria o hábito de aparecer em público usando a peça, à qual sempre foi fiel. Podemos citar, também, Bob Dylan, que na capa de seu disco Highway 61 Revisited, de 1965, ostenta uma camiseta por baixo de uma jaqueta de couro de motoqueiro.

Como fenômeno de massa, as t-shirts refletiam a mudança de mood à partir dos anos 70. A nova tendência era para uma convergência e democratização da moda. E quem selou, definitivamente, essa passagem do hippie-indiano e tribalista para a nova realidade foi um outro roqueiro, John Lennon, com a famosa declaração à revista Rolling Stone: “O sonho acabou”. Ele mesmo trocou as exuberantes indumentárias dos Beatles pelo trio jeans, tênis e camiseta, que se tornavam os novos ícones universais da vestimenta. E após todas essas décadas, a música e a camiseta continuam juntas. Ao que tudo indica, continuarão neste casamento feliz por muito tempo."

Julia Salgueiro

Viver é Perigoso

CONGESTIONAMENTO


Para facilidade de acesso os processos de indiciamentos do Sr. Lula da Silva serão controlados por códigos de barras.

Clarin da Boa Vista

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

BASTA !


A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, seus 137 sindicatos filiados e os milhares de empresas a eles associadas acompanham, com grande preocupação, o agravamento da crise ética, política e econômica que ameaça o presente e o futuro do nosso país.

Os efeitos são devastadores!

Os desmandos e o descalabro empurraram o Brasil e os brasileiros para a mais cruel recessão de sua história, com inflação elevada, juros recordes no mundo, taxa de investimento incompatível com a retomada do crescimento, recuo do consumo das famílias e a uma multidão de desempregados de mais de 12 milhões de brasileiros.

Precisamos de um choque de ética, de brasilidade e de compromisso com o país!

O primeiro passo é a punição exemplar dos responsáveis por esse cenário de calamidade, ao qual deve seguir-se um patriótico pacto entre os brasileiros - um grande entendimento nacional que assegure ao Brasil e aos brasileiros o acesso a um futuro de prosperidade na economia, de tranquilidade na política e de prevalência da ética.

Unida no sonho legítimo de reconstruir o país, a sociedade brasileira exige dos governantes - no Judiciário, Legislativo e Executivo - a realização de profundas mudanças estruturais, essenciais à retomada do crescimento, nos campos da política, tributário, da previdência e das relações trabalhistas.

O Brasil merece, os brasileiros querem e juntos vamos conseguir!

Esta é a mensagem que se ouve, de forma crescente e cada vez mais candente, quando sintonizamos a VOZ DAS RUAS. 

O Brasil exige paz para trabalhar, produzir e gerar empregos!

FIEMG

Blog: O que iremos fazer ? Aceitamos sugestões.

Viver é Perigo (email do Celem)

MAIOR VÍTIMA DE ABUSO DE AUTORIDADE

Viver é Perigoso

NA CALADA DA NOITE


Antigamente a gente não dormia enquanto os filhos não chegassem. Preocupação natural.
Hoje, a gente não dorme enquanto não se encerram as sessões da Câmara e do Senado. Certeza de esculhambação.

Clarin da  Boa Vista