quinta-feira, 4 de agosto de 2016

SO LONG, MARIANNE



Viver é Perigoso

SO LONG, MARIANNE


Diz a música famosa do Leonard Cohen:

Então até logo, Marianne, é hora de começarmos
a rir e chorar e chorar e rir novamente sobre tudo

Marianne  e Axel Jensen, ele, conhecido escritor norueguês, fogem para a ilha de Hydra, Grécia, onde vários artistas internacionais se juntavam habitualmente, e compram uma pequena casa branca onde Axel escreve. 
Anos depois, Axel sai de Hydra abandonando Marianne e o filho de seis meses de ambos. Certo dia, Marianne estava na mercearia e recebe um convite de um homem para se juntar ao grupo de pessoas que está sentado na rua. Esse homem era Leonard Cohen. Leonardo Cohen diz-lhe que ela é a mulher mais bonita que já viu e mais tarde vivem juntos no Canadá, com o filho de Marianne.
Durante os anos 60 vivem entre Montreal, Nova Iorque e Hydra e a canção “So Long, Marianne” é composta, muito tempo antes de Leonard Cohen terminar a relação, que durou sete anos.
Marianne, faleceu na semana passada, em Oslo, aos 81 anos. A morte chegou veloz. Poucas semanas depois de ter sido diagnosticada com leucemia.
Foi o cineasta norueguês Jan Christian Mollestad, quem informou a Leonard Cohen que Marianne estava internada e com o pior dos prognósticos.
Leonard Cohen, escreveu e Mollestad leu o bilhete para Marienne, que sorriu e estendeu a mão.

“Bem, Marianne, chegamos a esta época em que somos tão velhos que nossos corpos caem aos pedaços; acho que a seguirei muito em breve. Saiba que estou tão perto de você que, se estender sua mão, acredito que poderá tocar a minha. Você bem sabe que sempre a amei por sua beleza e sua sabedoria, mas não preciso me estender sobre isso, já que você sabe tudo. Só quero lhe desejar uma boa viagem. Adeus, velha amiga. Todo o amor, a verei pelo caminho.”

Viver é Perigoso

FINAIS OLÍMPICAS

Viver é Perigoso

CONTINUA VALENDO


PUBLICADO NO BLOG EM NOVEMBRO DE 2009

Um assunto que poderia, ao menos, ser discutido pelas autoridades locais. 

"Gente, a prioridade hoje é a construção do rodoanel, com os caminhões passando por fora do perímetro urbano da Cidade.

O projeto já está rascunhado, originando-se na rodovia BR-459, vindo de Pouso Alegre, saindo a esquerda na reta de Piranguinho, passando por trás, cruzando a rodovia Itajubá - Maria da Fé, antes de se chegar na Sede Campestre do Clube Itajubense, passando próximo à pedreira da Imbel, indo desembocar de novo naBR-459, próximo da  Cabelauto.

Isso alavancaria o desenvolvimento da Cidade para o outro lado, com construções de postos de gasolina, hoteis, restaurantes, oficinas e conjuntos residenciais.

Valorizaria de imediato a entrada da Cidade, ficando mais humana e o principal, desafogando o trânsito da Cidade toda.

Esse projeto tinha que estar dentro do tal de PAC. Mas como tenho escrito, nossa força política é zero, exceto para conseguir cadeia.

A criatividade é fundamental nesse momento. Há que se buscar parceria com o Exército que dispõe de máquinas e operadores preparados.

Negociar os terrenos à beira do rodoanel que serão muito valorizados e por que não, buscar uma parceria com a iniciativa privada para explorar um pedágio nesse trecho ? Creio que se viabilizaria economicamente.

Para isso é necessário vontade política e as forças que dirigem a Cidade pensarem um pouco mais no Itajubá de amanhã. Temos gente para isso."

Viver é Perigoso


UM DIA SAI !


Deu no Itajubá Notícias:

Desde terça-feira (02) as obras do Aeroporto de Itajubá, executadas pela Construtora Aterpa, estão paralisadas. A previsão inicial era de que o aeroporto ficasse pronto em 2015, essa data foi alterada para final de 2016, início de 2017.
A construção começou em 2011 e desde então já foi paralisada outras duas vezes, uma no final de 2013, devido irregularidades no projeto de estudos ambientais, e outra em 2014 por falta de recursos financeiros.

Blog: Quando a obra anda é graças ao esforço do Executivo Municipal. Quando a obra é paralisada é por culpa do governo estadual.
Premeditando o breque, desta vez será, exclusivamente, por culpa do Deputado Ulysses Gomes.

É a vida...

Viver é Perigoso