quinta-feira, 28 de julho de 2016

SOB A LUZ DE VELAS


O que os nossos antecessores fizeram de bom antes de nós, nós fizemos. 
O que os governos, federal e estadual fizeram de bom, nós fizemos. 
O que não fizemos ou fizemos mal feito, foi por culpa dos governos federal e estadual. 
Quem mencionar qualquer coisa fora disso é invejoso, pessimista e não ama a cidade. Não passam de meia dúzia.
Viver é Perigoso

ABOBRINHA


Na bica de ser preso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encaminhou hoje ao Comitê de Direitos Humanos da ONU uma denúncia contra o Estado brasileiro para tentar barrar ações que considera como “abuso de poder” do juiz Sérgio Moro e dos procuradores da Operação Lava Jato. 
Ao acionar o órgão internacional, o ex-presidente espera criar um constrangimento internacional para evitar uma eventual prisão. 

Blog: A justiça precisa, imediatamente, providenciar a detenção do elemento.

Viver é Perigoso

DOMINGO DE CANDIDATO


Principalmente para os candidatos "marinheiros de primeira viagem", nada mais duro que um domingo de campanha. O friozinho que ainda ronda a terrinha faz a cama ficar mais aconchegante, principalmente, nas gélidas manhãs de domingo.
E com corrida de Fórmula I ? E com decisões olímpicas ? Não é fácil.
Se todos os candidatos assumissem o compromisso de, tão somente, pegar no batente da campanha após o meio-dia...
Mas que nada, esses esfomeados por votos já estão batendo pernas já no escuro da madrugada. Alguns perturbados saem para ajudar os feirantes a montar barracas na Feira do Ceasa. Loucura.
E a missa das sete ? É duro para o candidato evangélico aprender a fazer o "nome do padre". Enrosca-se todo e ainda acha que pode estar pecando, sem falar no grito de "aleluia", meio que fora de hora.
E o candidato católico na Escola Dominical na Igreja Evangélica ? Quando o Pastor (na certa tem outro candidato), informa em alto e bom som: "- vamos ser dirigidos em oração pelo nosso irmão candidato ". Branco total.
Certa vez, num caso desse, o candidato fugiu pela porta afora, quando solicitaram que lesse um versículo do livro de Habacuque.
Depois dos compromissos religiosos, é obrigatório o comparecimento aos campos de futebol. Jogadores chatos, "cabeças de bagre", gordos, mas todos com direito a voto.
Sai caro: Camufladamente (devido a lei eleitoral) a bola nova saiu de seus bolsos. Jogos de camisas ficaram proibitivos (coisa para candidato a prefeito).
Churrasquinho e cervejas após a "pelada", dói no bolso. - Puxa ! como esse pessoal bebe !
Período da tarde, visita aos bairros rurais. Tortura e poeira.
A dor maior é encontrar outros candidatos rindo alto. O riso alto de um adversário abraçando um eleitor, causa um efeito devastador, beirando a pré-depressão.
Jogos do campeonato brasileiro pela TV ? Nem pensar.
E a noite ?
Cultos evangélicos. Horas de duração.
Volta para casa no bagaço.
E o pensamento: "PQP onde é que eu estava com a cabeça quando entrei nessa ?"
É a vida.

Viver é Perigoso

A TOCHA !


Na antiguidade, o fogo era considerado sagrado por muitos povos, incluindo os gregos, que tinham uma lenda segundo a qual o fogo teria sido entregue aos mortais por Prometeus que o roubara de Zeus. Devido à importância do fogo, em muitos templos eram mantidas chamas acesas permanentemente. Este era o caso do templo de Héstia na cidade de Olímpia (Google).
No Brasil, para manter acesa a tradição de esculhambar com tudo, o símbolo olímpico foi abalado.
Tudo bem que muitos honraram e foram honrados com a responsabilidade do transporte da tocha.
Mas convenhamos, muita gente agarrou a tocha sem saber o que estava acontecendo. Muitos, despreparados fisicamente, despencaram-se. Pegou mal.
A TV, logicamente para cumprir contratos interessantes, manteve a obrigação de acompanhar o oba-oba.
A pobre tocha foi apagada em diversos trechos e em alguns, até vaiada.
Quando da exibição de trechos diários no Jornal Nacional, os expectadores murmuravam: PQP ! 
Daqui uns tempos perguntarão para um dos condutores:
- O Senhor (a) também levou a tocha por ocasião das Olimpíadas do Rio de Janeiro ?
- Cá entre nós e pedindo reservas: Carreguei sim. Num trecho pequeno. Mas por gentileza, não espalhe isso não.

É a vida...

Viver é Perigoso




MOMENTOS MÁGICOS

OLIMPÍADAS

Viver é Perigoso

TEMPORADA DE BATATADAS


A partir do dia 16 de agosto estará liberada a propaganda política. A situação. dona de um poderia econômico incontestável, já realizou a sua convenção e colocará em campo, segundo informações extra-oficiais, cerca de 136 candidatos a vereador.
Como de costume. devem bancar o material impresso de campanha do pessoal. Santinhos e outros não tão santinhos.
Estima-se uns 20 kgs de papel colorido para cada candidato. Só aí, estamos falando de 2.720 kgs, ou seja, quase 3 toneladas de finas estampas.
Não sei se as gráficas da cidade darão conta de tanta encomenda. A meta seria ocupar todas as impressoras existentes no município, não dando chances para a produção de material de campanha da oposição, que de certa forma ficará aliviada, uma vez que os recursos são escassos.
Um dia entenderão que os santinhos (de papel) não adiantam muito. Melhor mandar fazer uma tirinha auto-adesiva com o nome do candidato e o número. Para lembrança do eleitor.
O drama será arrumar vagas para a turma falar nos comícios, reuniões de bairro, associações e em igrejas.
Como não têm muito o que falar e nesses momentos as palavras fogem, alguns orientadores recomendam que os candidatos decorem meia dúzia de chavões, inclusive podendo ser frases de para-choques de caminhões. Costuma pegar bem, desde que devidamente encaixadas e inseridas do contexto.
Aí é que a porca torce o rabo.
Temos ouvido e lido alguns importantes políticos da cidade, quase que sócios-proprietários de meia dúzias de citações proferidas no passado por algum figurão, buscar desgovernadamente embuti-las nos seus discursos e entrevistas. Soam como estranhas no ninho.
Ouviremos (já estamos ouvindo) joias que beiram o surrealismo.

É a vida...

Viver é Perigoso   

CANDIDATO ZUMBI

Ouvido na Rua Nova:

- Ô Cara, deixe o seu número de candidato comigo. Eu não esquecerei e passarei para o pessoal da família. Somos em trinta e seis. Estamos conversados e definidos. Não esqueça.

- Cara, deu uma ligeira alteração de planos.

- Mas Cara, nos conversamos no último sábado, à noite, com a convenção marcada para a manhã seguinte. Que mudança ?

- O pessoal lá da cúpula do partido, enfim, o Chefão e o pai dele, me chamaram num canto e disseram que não poderiam permitir a minha candidatura a vereador. Disseram que não podem abrir mão de mim no 2º governo deles.

- O que ? Não de darão legenda para concorrer ?

- Não é isso, Falaram que precisam de mim numa diretoria. Já está reservada e conta com um salário de mais de 5 mil. que com umas viagens, diárias e uns extrinhas da pra tirar uns 7.000/mês.

Cara, e você acreditou ?

Vamos dizer que sim. Estou confiante.

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA

Dira

SURPRESAS E AVANÇOS

Inicia-se em 16 de agosto uma campanha eleitoral totalmente diferente das anteriores. Espremida em 45 dias de calendário e apenas 35 dias de divulgação. Terão os candidatos um enorme trabalho para arrancar votos dos eleitores usando de sua cara e capacidade pessoal.

O candidato aparecerá quase nu e cru explicando para o que veio e o que representa um voto nele, e não em outro.

Podemos imaginar um eleitor que, com toda a razão, imagina a política brasileira um exercício contumaz do crime, com suas perversas expressões, estará a escutar de má vontade os candidatos, aderindo em larga escala ao voto em branco, que serve apenas para fortalecer quem explora o meio. Mas grande parte deverá prestar atenção mais nas propostas do que nas críticas, nos acenos de saída de um beco político que levou para a crise, o desemprego e a incerteza.

Não às promessas surradas de lotes na lua, de metrô na porta de casa, mas de coisas mais simples, como a honestidade, a competência, a capacidade de realizar melhorias num ambiente decente.

A onda que passa pela Europa, varrendo métodos que pareciam eternos e cinzentos, poderá varrer personalidades estigmatizadas pelo velho estilo. O eleitor esclarecido está interessado na novidade em primeiro lugar, naquele que, bem ou mal, apresente um aceno de saída da dicotomia direita versus esquerda que se comungam em métodos errados.

O novo perfil almejado é o de quem dará um basta ao fisiologismo, à partilha do poder e à exploração da coisa pública, àquele que antes de tudo se cerca de cúmplices, e não de colaboradores competentes. Àquele que tem um projeto de poder acima de um projeto de desenvolvimento e bem-estar. Terá dificuldades aquele que acenar a partilha do poder entre aliados e associados, sem colocar seu cargo à disposição do verdadeiro destinatário: o cidadão.

Valerão as mazelas de sempre? Apenas em parte. Ainda o eleitorado está longe de ser livre das contas fisiológicas rasteiras, a ignorância também sobreviverá por gerações e continuará a desfigurar o bom e não se aperceber do mal.

As redes sociais, contudo, já atuam como meio democrático e valioso à população, são a grande novidade, abrindo um debate permanente de ideias e opiniões durante ininterruptas 24 horas por dia. Provavelmente serão as redes a “pior” novidade para quem pratica a enganação, poderão arejar o ambiente fechado aos poucos “tradicionais” e dar possibilidade de disputar o voto a quem tem boas ideias e conteúdo.

As sondagens entre eleitores, nas faixas de maior esclarecimento, mostram a sede de bons administradores, experientes, realizados em suas profissões, que saibam realizar mais que obras cíveis, obras sociais e humanitárias, diminuir a burocracia e a tributação, dar eficiências e valor aos entes públicos..

Os sonhos se perderam para nossa juventude, deixando lugar aos pesadelos do primeiro emprego, do tempo que escapa sem perspectiva de uma vida confortada. Os valores singelos da democracia batem forte no peito da nova geração, e serão esses que determinarão surpresas e avanços.

Vittorio Medioli - O Tempo

Viver é Perigoso