domingo, 19 de junho de 2016

NÃO DANÇOU ?

BETA PRIMEIRA E ÚNICA


Beta, nome da segunda letra do alfabeto grego. Como é chamada uma das pessoas mais cativantes que conheço. Conhece o viver como ninguém e um pouco próximo do além do viver, como poucos. Viver, como conhecemos.
Caso você não tenha tido a oportunidade de ouvir presencialmente a Beta, na certa, falta-lhe ainda alguma coisa.
Presença tranquila, estimulante e encorajadora. Uma mão sempre estendida e um constante olhar de solidariedade.
Visão grande ocular. Fantástica memória para pessoas e as ligações entre elas. Senso de humor contagiante.
Horas ao seu lado passam como minutos.
Conversamos no sábado. alguns minutos em três horas. Falamos sobre coisas, projetos e pessoas.
No capítulo sobre pessoas, houvemos por bem, organizar a agenda. Iniciamos por três irmão conhecidos, Sem, Cam e Jafé.
Para quem não se lembra, eram os três filhos de Noé. Fomos avançando até chegar aos dias de hoje.
Não conheço, e olha que já procurei muito, alguma outra pessoa chamada por Beta. Também não conheço ninguém como a Beta.
No meu universo de sonhos, imagino a Beta como o Flautista de Hamelin, fantástico conto dos Irmãos Grimm.
Por falar em irmãos, e não por mania de grandeza, sou irmão da Beta.

Viver é Perigoso 

SODOMA E GOMORRA


Sérgio Machado, o “homem-bomba”, que em suas confissões à justiça denunciou metade da classe política brasileira, avisou que talvez não existam hoje “nem cinco” não envolvidos com a corrupção.
Sua afirmação me lembrou um dos relatos bíblicos mais famosos e enigmáticos: o das cidades de Sodoma e Gomorra. Deus decidiu destruí-las. Gozavam de uma natureza rica e cobiçada, mas pecavam, entre outras coisas, pela falta de hospitalidade com os imigrantes.
Deus estava disposto a perdoar até mesmo com somente 10 justos, mas não os encontraram, e Sodoma e Gomorra foram destruídas pelo fogo.Abraão, pai dos crentes, interveio para que Jeová não acabasse com elas. Fez uma proposta: Se existissem nelas 50 homens justos, o castigo seria evitado? E se fossem somente 40 ou 30 ? Abraão foi baixando o número. E se existissem pelo menos 10 ?
No caso vivido pelo Brasil hoje, não é que não existem 10 justos no país. Existem aos milhões. Os brasileiros estão, isso sim, enojados com os pecados da corrupção daqueles que os representam e governam.
A Sodoma e Gomorra brasileira é a classe política na qual a cada dia é mais difícil encontrar entre os milhares de deputados, senadores, ministros, prefeitos, etc. um punhado de justos que não tenham mordido a fruta proibida da corrupção, seja para proveito pessoal ou para assegurar sua permanência no poder.
A grande maioria dos especialistas admite que se ocorressem eleições hoje, seria difícil aos brasileiros encontrar não 10 políticos não corruptos, como na história de Sodoma e Gomorra, mas um só candidato que, além de ser capaz de conduzir o destino do país, seja também honrado.
Hoje não é necessário um Deus que castigue, destruindo-a, essa cidade da política. Ela mesma está se destruindo, ao perder a credibilidade ante a sociedade.
O que fazer? Se perguntam, a cada dia mais atônitas, as pessoas nas ruas.
No relato bíblico, existe uma figura emblemática: a mulher de Lot, a quem Jeová pede que ao deixar a cidade antes de ser destruída, não olhe para trás. Ela desobedece. Não consegue separar-se do passado. Jeová a castiga transformando-a em estátua de sal.
Ao Brasil dos justos, o que trabalha e é capaz de viver só com o que lhe pertence, resta uma única saída: deixar para trás os políticos corruptos e olhar adiante. Buscar novos horizontes, novas promessas surgidas entre pessoas ainda não contaminadas, dispostas a enobrecer a política ao invés de embrutecê-la.
Não existem soluções milagrosas. Só a democracia nos impede de cair na barbárie. Precisamos de pessoas capazes de pensar no país mais do que nelas mesmas. Capazes de fazer política e governar sem buscar vantagens e privilégios que ofendem os que vivem de sua própria fadiga.
Insistir, nas próximas eleições, em continuar votando nos corruptos de sempre, significaria perpetuar o pecado da saudade do passado da mulher de Lot.
A esperança, como fica claro por tudo o que está surgindo, não está no ontem nem no hoje, mas no amanhã.
O Brasil não terá alguns homens e mulheres justos capazes de pensar e reconstruir o país que os brasileiros honrados sonham, e pelo qual trabalham e se sacrificam ?
As urnas são sempre o melhor confessionário e a melhor vingança contra a política dos sem escrúpulos.
As urnas são a delação premiada da sociedade contra os corruptos do poder.

Juan Arias - El País

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA

Bar

COISAS DA VIDA


Nos anos 50 o G.E Rafael Magalhães reunia a fina flor da molecada da Boa Vista e Avenida. Tempos áureos.
Personagem inesquecível o Anísio, que não era da Boa Vista e nem da Avenida. Era do Morro Chic. Para todos nós, quase um estranho no ninho.
Cabelos arrepiados, canela fina, olhar desafiador, brigão e provocador no extremo. Tinha uma característica muito especial: Tudo de bom que acontecia na sala, e olhem que eram raros momentos, ele se adiantava como dono. Fazia uma média danada com as Professoras, que na época ainda não eram Tias, eram respeitosamente tratadas por Donas.
Ao contrário, quanto acontecia um mal-feito, de imediato ele se adiantava e dedava o culpado, mesmo que ele tivesse participado junto com o outros, no feito.
Mas, durante curtos espaços de tempo, era agradável e tinha boas histórias para contar do Morro Chic, quase outra cidade para os colegas, afinal, existia a linha de trem para separar.
Trazendo para os complicados dias de hoje, a tomada como jovem Administração Municipal da terrinha, faz lembrar o Anísio.
O acontecido é interessante ? foi nós que fizemos. Aeroporto, Br459, Minha Casa Minha Vida, Creches, Pontes. Diriam em outros tempos para a Dona: Foi eu !
No caso de extrema dificuldade na área da saúde, atrapalhadas no estacionamento rotativo, paralisação de obras, redução de correção salarial, etc , Gritam e publicam: Foram eles Dona !
Tive informações recentes, que o Anísio formou-se pelo Senai e foi trabalhar na GM em São José Dos Campos. Aposentou-se na Embraer. Como sempre foi do Sindicato, adquiriu estabilidade. Agora, já beirando os setenta anos, ameaça a sair candidato a vereador naquelas bandas.

É a vida...

Viver é Perigoso