quarta-feira, 1 de junho de 2016

GOODBYE MARILYN



Norma Jean Mortensen, simplesmente Marilyn Monroe. 

Nessa festa de aniversário eu envidaria todos os esforços para comparecer. Caso não tivesse tomado o barco, aos 36 anos, em 1962, Marilyn estaria completando hoje os seus 90 anos.
Fomos apresentados em 1961 (ou seria 1962 ?), quando do filme de Billy Wilder, "Quanto Mais Quente Melhor" no Cine Paratodos, logicamente na Boa Vista.
Apesar da diferença de idade (ela tinha 21 a mais), nos entendemos perfeitamente. Ainda tenho, relíquia de muitos anos, um mini-poster sépia de uma foto da atriz, sentada na beira de uma calçada.
Muito além de uma loirinha alegre. Fez cursos de história da literatura e lia muito. Lia os grandes escritores. Hemingway, Beckett, Kerouac e James Joyce. Em tempo, foi casada com Arthur Miller. Inspirou Dalí, De Kooning e Warhol. Admirava Botticelli, Goya, Degas e Rodin.
Em tempo, Marilyn tomou o barco aos 36 anos, em 1962. Ah! além do "ar mágico e sedutor" tinha 1,67 de altura, 94 de busto, 611 de cintura e 89 de quadril.
Marilyn, com a devida vênia dos mais próximos, sempre me encantou. Talvez, pela voz.

Viver é Perigoso



PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES


Alunos da Faculdade de Medicina de Itajubá arrecadaram mais de duas toneladas de alimentos durante campanha de trote solidário deste ano. A campanha foi realizada entre os dias 09 e 13 de maio na cidade.
A entrega dos alimentos foi realizada nos dia 19 e 20 de maio, já as cestas básicas foram entregues nos dias 30 e 31. As instituições beneficiadas foram o Centro de Apoio Sagrado Coração, CEREVI, Lar Providência, Vila Vicentina Nossa Senhora Aparecida e Desafio Semeador.

Viver é Perigoso

CONFESSE INBOX


De forma muito especial, os brasileiros, em touradas, torcem pelo touro. Nos bang-bang americanos, pelos índios, para o circo pegar fogo e por aí adiante.
Muitos dos brasileiros, quase todos já sem paciência com tantos descaminhos, no fundo no fundo, mas bem lá no fundo, dão uma torcidinha para o Eduardo Cunha sair desta. Não que signifique alguma esperança de melhora, pelo contrário, mas para que a sua presença continue a incomodar os companheiros, para dar mais serviço para os juízes e para que os militantes ainda possam utilizar os cartazes e faixas "Fora Cunha". 

Viver é Perigoso

COMUNICAR É O NOSSO NEGÓCIO


Quando se juntam os trapos, o Padre ou o Pastor, declaram solenemente: "até que a morte os separe". 
As competentes Célia Rennó e Maria Paula, poderiam muito bem dizer na abertura do programa que marca a volta da dupla ao ar, desta vez, pela rádio web, no endereço www.estereosul.com.br:
"até que nos tirem do ar".
O Programa se chamará "Integração" e começa na próxima segunda, às 11:00 horas. O ouvinte poderá participar pelo telefone.  
Tudo bem, debates sobre saúde, cultura e segurança são importantes, mas a pauta do momento é política, é Itajubá, são eleições.
As duas moças não costumam fugir de polêmicas.
Ouviremos.
Sucesso para as amigas.

Viver é Perigoso 

FALA MENINO !


Viver é Perigoso

MANCHETES CRIATIVAS


Quando me formei em 1973, pela nossa Escola, é claro, fui trabalhar no centro da cidade de São Paulo. No horário do almoço saia para dar uma caminhada pelas ruas São Bento, Direita, Praças da Sé, Patriarca e João Mendes. Divertia-me lendo as manchetes dos jornais populares expostos nas bancas.
Pessoal criativo. (lembro-me da "Ma-ma-mataram o ga-ga-gaguinho")
Recebo via e-mail e leio sempre, as notícias postadas pelo Secretário Solano, imagino eu, no site da Prefeitura.
Entendo a missão do Secretário de Comunicações de criar notícias e manchetes positivas para o governo municipal, principalmente, em ano eleitoral.
Está hoje no site: 

"Iniciativas da Prefeitura atraem grandes empreendimentos para o município: construção do Instituto Senai de Inovação está avançando."

Ah ! então tá.

Lembro-me bem da manchete de um jornal da terrinha, de oposição ao então Prefeito Rosemburgo Romano, sobre o tradicional recapeamento asfáltico das ruas mais movimentadas, que acontece em ano de eleições.
A oposição, da qual o zelador fazia parte (meio relaxado, mais fazia), criticou com todas as suas poucas forças e foi manchete num pasquim oposicionista da época:

" Prefeito cobre a cidade com um manto negro "

Foi por pouco tempo. O povo concluiu que era gostoso dirigir o carro sem as costumeiras trepidações do calçamento tradicional, principalmente, depois do mesmo sofrer qualquer e simples intervenção da Copasa.
Hoje, como o mundo gira, aquela aguerrida oposição se tornou situação (menos eu).
O "manto negro" virou progresso.
Começam a recapear as principais ruas da cidade. 
Nada como um dia após o outro.

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA


Patrícia Lucchesi, moça do  premiadíssimo comercial, "o primeiro sutiã a gente nunca esquece", continua bonita nos seus 40 anos e com um filho de 23 anos.

Viver é Perigoso