segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

CONSELHÃO


TAPEM OS OUVIDOS


Voltamos. Depois de quatro dias vivendo 24 horas/dia com 2/3 dos netos no litoral norte, de volta para a terrinha. Gosto de olhar praias. Não gosto de ir, sentar e morcegar nas areias. 
Com as crianças é diferente.
Sem sinais da crise. Praias, restaurantes, hotéis e logicamente, estradas lotadas.
Impressionante a agressão aos ouvidos em todos os ambientes, inclusive nas praias. 
Proliferam ruídos tratados por funk, axés e sertanejos universitários.
Um deserto musical.
As crises, econômica e política, podem não ser reparadas, mas a crise musical é uma realidade.

Viver é Perigoso