quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

PARQUE DOS SONHOS

Ilustrativa
Foi definida ontem, dia 5/janeiro, a empresa que que ganhou por 25 anos, prorrogáveis por mais 25, a área de 120.187 m2 no Bairro da Estiva. Ganhou é modo de dizer, pois pagará para a Prefeitura R$ 300 mil e ficará responsável pela implantação do Parque Municipal.
A felizarda foi a  INCAN Construção e Incorporação Ltda, que foi representada pelo Sr. Douglas Clodoaldo de Oliveira Costa. 
Agora será aquela luta para descobrir que empresa é essa. Quem são os proprietários e qual a experiência e capacidade para tocar o parque.
Pelo Google, parece ter uma ligação com a Inccam Construção e Incorporação, com atuação na terrinha.

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Fred Tomaselli 

ASSUSTADOR



Dois anos atrás, ela convocou uma cadeia nacional de rádio e televisão para comunicar: 

"Passamos a garantir, para o futuro, uma massa de recursos jamais imaginada para a Educação e para a Saúde. A fabulosa riqueza que jazia nas profundezas dos nossos mares, agora descoberta, começa a despertar. Desperta trazendo mais recursos, mais emprego, mais tecnologia, mais soberania e, sobretudo, mais futuro para o Brasil. Começamos a transformar uma riqueza finita, que é o petróleo, em um tesouro indestrutível, que é a Educação de alta qualidade. Estamos transformando o pré-sal no nosso passaporte para uma sociedade mais justa."

Para gerenciar a riqueza submersa a mais de quatro mil metros no Atlântico, Dilma Rousseff criou a estatal Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A.(PPSA). Deu-lhe amplos poderes para defender os interesses da União, o que inclui a gestão dos contratos de partilha, controle dos custos e das operações de exploração e produção de todo petróleo extraído da camada pré-sal.

Hoje, sobram certezas sobre o desgoverno na condução dos negócios do pré-sal. A empresa estatal (PPSA) criada para recolher a "massa de recursos jamais imaginada" para Saúde e Educação mal começou e já está sucateada.
Tem 15 empregados, acumula prejuízos e patrimônio líquido negativo. Sem dinheiro, atravessou 2015 sobrevivendo da caridade privada. Fornecedores cederam-lhe licenças temporárias gratuitas de software.
Com 28 meses de existência, a estatal do pré-sal pode ser vista como novo símbolo do governo Dilma. 
Parecia que ainda era construção, mas já é ruína.

Extraído de Artigo escrito pelo jornalista José Casado para O Globo


Viver é Perigoso

RETALIAÇÃO