quarta-feira, 19 de outubro de 2016

SOB A LUZ DE VELAS


O governo, qualquer governo, faz mal à imprensa.
A imprensa, toda a imprensa, faz bem ao governo – principalmente quando critica.
Governo não precisa do 'sim' da imprensa. Governo evolui com o 'não' da imprensa.
A proximidade da imprensa com o governo abafa, distorce o jornalismo.
A distância entre governo e imprensa é conveniente para ambos, útil para a sociedade e saudável para a verdade.
Jornalismo é tudo aquilo de que o governo não gosta. Tudo aquilo de que o governo gosta é propaganda.

Luis Cláudio Cunha

Viver é Perigoso

5 comentários:

Anônimo disse...

Zelador:

- tudo bem que o "semanário da cidade" não tenha tido outro "assunto liberado para ser tratado";
- tudo bem que vc seja um "conhecido cidadão itajubense";
- tudo bem que o "semanário da cidade" tenha cometido uma "barriga";
- tudo bem que vc seja um cidadão que "muito quer a sua cidade e onde passa todo o seu tempo, quando a situação assim o permite";
- tudo bem que a "preocupação constante com a cidade é inerente aos que a amam e têm por meta dias melhores";
- tudo bem que o blog vive sem publicidade e sem proximidade do ar condicionado do poder (embora nem o Elio Gaspari saiba o que significa isso);
- tudo bem que o proprietário do blog também vá receber "inevitáveis telefonemas de congratulações pela coragem" (todos sinceros!); e
- tudo bem que a coluna (ou seria um editorial) tenha sido agressiva...

Mas, afinal, indo ao cerne da questão, a explicação dada nessa coluna (ou seria um editorial) tem sentido, ou não?

Edson Riera disse...

Anônimo das 06:57 horas,

Um semanário bem feito, dias após uma renhida eleição, publica uma manchete em letras garrafais, uma notícia de anos atrás, inclusive já postada há três anos, positivamente, no blog, ou foi por desatenção, ou sabotagem de alguém da redação ou para tentar elevar a moral dos cidadãos e anunciantes, tipo "agora vai". O blog, dentro de seu estilo conhecido, fez as devidas observações. Como na terrinha estamos cheios de profissionais de elite, inclusive no meio político, qualquer observação feita nas áreas nas quais se julgam donos, é tida como uma agressão. Aí, sem o domínio do momento, partem para uma gratuita agressão, pondo fim a uma convivência interessante.
O blog não mudará e como o Zelador não tem ex-amigos, quem agrediu com insultos impressos, não era amigo.

É a vida.

Zelador

Anônimo disse...

E.R.

Bom dia.
Fique triste não, o bocudo é assim mesmo, mas no fundo ele adora você.
Ele não gosta é dos anônimos covardes.

Virgilio de Oliveira Machado - O Véio

Edson Riera disse...

Caro Véio,

Incorreremos, certamente, em erros taxando de covardes os anônimos ou como foi o caso do semanário, o próprio "Viver é Perigoso". As pessoas da Província, onde expressar opinião contrária é crime, terminam por se resguardar. Trabalham, têm filhos e não podem correr riscos de perseguições, demissões e dificuldades outras.
Existe uma classe no planeta muito mais nociva, que são aqueles que agem covardemente fora do anonimato. Com esses devemos nos preocupar. Felizmente ainda não deparamos com nenhum desses.

Abraço

E.R

Anônimo disse...

Bom dia.
É isso aí, Véio, console o nosso querido zelador!

Virgulino de Laranjeira Canivete - O Veinho.
(anônimo corajoso).