segunda-feira, 19 de setembro de 2016

PLANO DE GOVERNO


http://www.b2mlportal.com.br/ricardo/wp-content/uploads/2016/09/PLANO-DE-GOVERNO-REDE.pdf

Blog: Vamos ler é comentar. Quando publicarem o Plano de Governo do Rodrigo Riera, faremos o mesmo.

Viver é Perigoso

14 comentários:

Anônimo disse...

Zezinho,Se precisar de ajuda ai me de um toque. Obrigado
Otoboni

Anônimo disse...

Olá Zelador!
Já baixei o PDF com plano de governo e comecei a ler.
Fui direto no tópico d) Desenvolvimento econômico, pois fiquei curiosos para saber como seriam recuperados os níveis de emprego na cidade.
Gostaria de saber sua opinião.

Edson Riera disse...

Otoboni,

Grato.

Zelador

Edson Riera disse...

Anônimo das 19:49 horas,

Vou ler ainda hoje e comentaremos. Sem ler, imagino que, como todos os planos, são ideias. A retomada será uma trabalho árduo e não dependerá só de iniciativas municipais, considerando o pé em que chegamos. O primeiro passo seria tentar de imediato manter os ainda existentes.

Zelador

Anônimo disse...

Retomada? Ah,entendi,vc ainda alimenta esperança. ..Tudo bem. ..Amém. ...

Anônimo disse...

Zelador,
Uma dúvida me atormenta...
Se o plano de governo do RM fosse aplicável na época, onde e como seriam mantidos os empregos da PKC?

Anônimo disse...

Bom, vc deletou meu comentário sobre quem foi que fez este "Plano de Governo", foi bom, vc contribui para que o povo seja enganado mais uma vez, você faz parte desta elite arrogante da terrinha que no fundo quer mesmo que itajubá seja esta cidadezinha medíocre de sempre.
Que seja governada por este tipo de elemento que vc apoia, este lixo de políticos que o seu chefe conseguiu unir e que ele chegue lá carregado de odio para tentar pelos 4 anos proximos a atrasar mais ainda esta cidade cheia de hipócritas e de gente que só se preocupam com seu umbigo.
Espero que o povo de bom senso, tirando os petralhas e cumpanheiros, de uma lição no dia 2.

Edson Riera disse...

Anônimo destemperado das 10:52,

Qualquer comentário fazendo referências, em forma de insultos, será deletado. Muitos estão sendo, tanto da situação, quanto oposição.

Só raivoso, como esse seu, será publicado. Aí está um perfeito retrato do poder atual na cidade.

Em tempo, até que seria bom ter um chefe. Há quase 30 anos não sei o que é isso.

Zelador

Edson Riera disse...

Anônimo das 09:55 horas,

Primeiro eu não seria do governo. Caso fosse um governo humilde e trocasse ideia com velhos combatentes, diria.
Antes do acontecimento, alguém do governo, ao menos teria que ler os jornais diariamente. Além dos brasileiros, um americano, um Inglês, Francês e Espanho. Pela internet é facinho. As empresas são multinacionais e as noticias e comentários saem primeiro nos países de origem. Teria que ter um relacionamento estreito e direto com a empresa no Brasil, inclusive conhecendo suas outras unidades fabris. Teria que conhecer os seus fornecedores e seus clientes. O custo da energia aqui, impostos incidentes e acordos salariais firmados com sindicatos.
No caso da PKC, o produto fabricado era de chicotes para veiculos motores. Temos o fabricante da principal materia prima, alguns metros adiante. Temos diversos fabricantes de carros no Estado, inclusive o maior do país, a Fiat.
Conhecendo toda a empresa (para isso precisa ter a confiança do empresario, que diga-se, não é dada é conquistada), tem-se que agir, inclusive politicamente, para provar ou arrumar maneiras de convencer que a melhor opção é a terrinha.
Vai por aí.

Zelador

Anônimo disse...

Prezado Zelador,
A Calelauto era fornecedora da PKC.
A PKC chegou a fornecer para a Fiat.
A PKC é uma empresa estruturada, com gestão moderna, conhece e avalia constantemente sua rede de fornecedores.
A PKC optou estar em Itajubá no momento em que a economia como um todo era favorável.
A empresa tentou buscar novos mercados, mas não conseguiu.
A decisão de deixar Itajubá foi uma estratégica corporativa.
Desculpe, mas não teria como um prefeito ou deputado ter poder para manter essa empresa aqui.
Assim também como a Sumidenso em P.A. e a TRW em Lavras.

Edson Riera disse...

Anônimo das 12:54 horas,

O caso da Sumidenso de TRW já aconteceu agora. Coisa recentíssima embora decorrente da crise sem precedentes de 2015 e 2016 no setor automobilístico.

A PKC desistiu de Itajubá muito antes. A Prefeitura e quase todos nós, tomamos conhecimento pela imprensa e pelo sindicato, quando a decisão já havia sido tomada.

No momento de retração forte de mercado e sem perspectiva de recuperação a médio e a longo prazo, a saída encontrada e centralizar produção em determinadas unidades. Essa é a hora chave. Empresas não têm sentimentos. Analisam e juntam a produção onde for mais conveniente. A proximidade com fornecedores e acesso fácil aos clientes é fator decisivo.
A PKC, pelo que me lembre, nunca foi uma grande cliente da Cabelauto, como também a própria AFL, em outros tempos.

Não afirmo que se poderia reverter a decisão da PKC de deixar Itajubá. Mas aquele momento era diferente do de hoje. Na época, nada foi feito, exceto dizer para a empresa, Boa Viagem.

Hoje a preocupação deve estar voltada para a Mahle e Helibrás.

Zelador

Anônimo disse...

Zelador,
Trabalhei na antiga AFL, e tinha muitos amigos na PKC, por isso tenho convicção do que estou te dizendo.
A Cabelauto forneceu sim para a PKC, inclusive classificada como fornecedor com alto índice de qualidade.
Concordo com você que o foco hoje deveria ser com a empresas que estão instaladas. Você cita a Mahle e Helibras, mas tem outras em situação muito pior.
Não posso afirmar, estou vendendo o peixe pelo preço que comprei, mas parece que a Higidente está no bico do corvo.
Assim como diversas outras empresas que não são indústrias, como por exemplo as do setor de construção civil.
O comércio, os serviços e agricultura também estão sofrendo muito.
Porém, quando leio o Programa de governo do Dr. Ricardo, não consigo enxergar ações que poderiam mudar esse cenário.
Como você disse, são ideias. Não vejo é alguma ideia nova, tudo que está ali não é mais do que a obrigação de uma gestão.
Concordo também que a atual administração não é tão "aberta" e "transparente", e que o distanciamento dos antigos parceiros como a UNIFEI é danoso.
Mas permita-me uma crítica, jogar a responsabilidade do desemprego em cima da atual administração não é correto.
Quando leio as postagens do Remy no face, ele coloca como se fosse culpa exclusiva do atual prefeito. Não acho justo fazer isso!
Críticas são necessárias, porém devem ser feitas de forma realista.






Edson Riera disse...

Anônimo das 14:00 horas,

Lógico que a crise do Brasil não é só culpa da Dilma. A queda do mercado chinês influenciou decisivamente, como a queda do preço do petróleo. Mas todos analistas independentes estão chamando a atenção para isso há seculos. Nada foi feito, exceto enterrar ainda mais, usando as armas da mentira, incapacidade e desvios.
Em Itajubá, não ouviram alertas antecipados e fecharam todos os fóruns (conselhos) onde o assunto poderia ser tratado. Faltaram com a verdade ao anunciar a cada noventa dias, a vinda de "pacotes de três" empresas. Que talvez, nunca existiram, tirando a fabrica de capacetes que foi para Jacutinga. Existem pequenas empresas de pequeno e médio porte endividadas e cerrarão as portas sem ajuda na pressão para renegociação e alongamento de prazos. Agora mesmo anunciam um inacreditável empreendimento (paineis voltáicos) com investimento de US$ 200 milhões. Isso gera expectativas e concorrência brutal de outras localidades. O defeito do ROdrigo Riera, ou melhor, umas das características do Rodrigo Riera é não ouvir, e sei lá por qual motivo, provocar dissenções. Vide Unifei, Santa Casa/Mahle e outros. Mas sejamos justos. A culpa não é só dele. Eu, você que conhece bem o assunto e outros, também somos culpados.

Zelador

Anônimo disse...

Zelador,
Tudo bem, concordo que todos somos culpados!
Também concordo com todos os erros cometidos pela atual administração.
Mas não é isso que questiono.
Sinceramente, você acha certo como o Remy trata esse assunto na mídia?
Não é uma forma de distorcer a realidade?
Talvez a tática dê certo para os menos esclarecidos, mas para quem tem um mínimo de discernimento sabe que não é bem assim!
Pega mal, exagera na dose!
Você mesmo diz: A retomada será uma trabalho árduo e não dependerá só de iniciativas municipais....
Tenho o maior respeito por ele, e por você também, mas acho injusto como se colocam as coisas.