sábado, 30 de julho de 2016

MINHA CIDADE DE VOLTA


Após um longo e tenebroso inverno de dez dias, amenizados por excepcionais companhias, voltei hoje para a Boa Vista, ou melhor, para não parecer mania de grandeza, voltei para Itajubá.
De longe, via internet, tomei conhecimento de declarações dos políticos detentores do poder, já em públicas operações para se manter no andar de cima.
Estaríamos vivendo a mais pujante era desenvolvimentista da história da cidade. 
O apoio popular dado à Administração Municipal seria também o maior já dado na história da cidade. Dezessete dos mais significativos políticos da comunidade teriam se juntado e nomeado 160 bravos elementos para concorrer, voluntariamente, ao cargo de vereador.
Ficaram comprovadas parte das afirmações. 
Um sempre esperado Teatro Municipal, Restaurante Popular subsidiado por recursos públicos. Fontes, pontes e passarelas.
Transplante de órgãos, comprovados de forma, quase que visual, por centenas de cidadãos que esperavam, por horas, atendimento médico e rogando por exames clínicos em extensas filas.
Era para qualquer cidadão, chegando de longa estadia fora das mini-muralhas ditatoriais construídas pelo poder, caísse de joelhos e elevasse os braços em direção ao sol nascente agradecendo de 15 em 15 minutos. Para quem não sabe, ele nasce lá pelas bandas do Pinheirinho.
Está bom, mas está ruim.
Quero muito mais que isso (para alguns seria menos).
Quero minha cidade de volta. Quero saber o que irá acontecer. Quero saber como, quando e de que jeito.
Quero os distintos poderes, realmente distintos.
Não quero mais políticos profissionais, não quero repetição, não quero mais palavras e não quero mais assistir privilégios.
É o mesmo que quero para Minas e para o Brasil e conclui que não dá para para dividir querência em municipal, estadual e federal.
E tem que começar pelo municipal.

Viver é Perigoso
  
   

Um comentário:

Anônimo disse...

Não entendo vc meu camarada!

Não quero mais políticos profissionais, não quero repetição, não quero mais palavras e não quero mais assistir privilégios.

Então o q vc quer desta gente?

Alias tai um bom sligam para a campanha de seu candidato; Quero minha cidade de volta.

Vamois nos entender, o que queremos afinal?