sexta-feira, 11 de março de 2016

BEAU GESTE

As famílias de Itajubá atingidas pelos alagamentos no começo do ano terão desconto na tarifa de água da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Além disso, o Governo de Minas irá destinar 1.050 manilhas para a Prefeitura Municipal e massa asfáltica para recuperação das vias. Essas ações são resultados da intermediação do deputado Ulysses Gomes que, após acompanhar o prefeito Rodrigo Riera em visita às áreas inundadas, conseguiu que o governador Fernando Pimentel recebesse uma comitiva de prefeitos de cidades do Sul de Minas que sofreram com o intenso período chuvoso.
Sobre o desconto na tarifa de água, Ulysses explica que será feito um mapeamento das regiões atingidas para definir a cobrança. “A Copasa está analisando duas regras. A primeira é a garantia da tarifa social para as famílias identificadas como carentes. A segunda é permitir que famílias atingidas que tiveram aumento no consumo de água devido às enchentes possam pagar a conta dos próximos meses com base na média de gastos anteriores”.
Já as mais de mil manilhas para drenagem nos bairros que foram prejudicados com as fortes chuvas serão utilizadas nas ruas José Galdino, no bairro Nossa Senhora de Fátima; Delfim Moreira, no bairro Medicina; Marechal Juarez Tavora com ligação no Ribeirão Anhumas, também no Medicina; e Tatuí com ligação na BR 459, no bairro Santa Rita de Cássia. Quanto à emulsão asfáltica, serão necessárias cerca de 150 toneladas. (dados Ulysses Gomes)
Viver é Perigoso

6 comentários:

JORNALOSULDEMINAS disse...

Toda intenção pode ser ou não boa. Prefiro esperar a chegada das manilhas e a redução das contas aparecer nas faturas para depois comentar a intenção.

Edson Riera disse...

Jornal o Sul de Minas,

Os últimos tempos têm nos colocado em constante vigília. Acredito no Deputado Ulysses. A publicação e divulgação da notícia, mesmo na internet, aumenta o compromisso.

Abraço,

Zelador

Anônimo disse...

Zelador, pera lá...DEPUTADO MAJORITÁRIO DA TERRINHA, Secretario na ALMG, O CARA!
Vem depois de um tempão com esta MIXARIA e todo s ficam com estes "dedos", olha isso cabe bem pra que seja guardado, lá, onde o LULA costuma dizer.
Só poderia ser petistazinho mesmo.
Se eu fosse o RR não aceitaria estas coisas.
Me decepciona não RR, mande isso pra Santa Rita, PIRANGUINHO ou pra....
FALA SERIO.

Edson Riera disse...

Anônimo das 20:09 horas,

Não estamos em condições de dispensar nenhuma colaboração.

Zelador

Anônimo disse...

Edson, você viu a notícia da Unifei? Bem sensato e com visão o deputado Ulysses, ao contrário do nosso prefeito, vide as cheias de ontem...

http://www.unifei.edu.br/noticia/autoridades_fazem_reuni%C3%A3o_para_discutir_combate_cheias

O deputado estadual Ulysses Gomes e os prefeitos das cidades de Cristina e Pedralva, Marcio Barros Ribeiro e Joel Silva, se reuniram com o reitor da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), professor Dagoberto Alves de Almeida, o vice-reitor, professor Paulo Sizuo Waki, e com os professores Geraldo Lúcio Tiago Filho, diretor do Instituto de Recursos Naturais e o professor Benedito Cláudio da Silva, presidente da comissão para elaborar uma proposta para reativar o sistema de monitoramento de enchentes, para buscar contribuições da Universidade em um trabalho para evitar que aconteçam novas catástrofes na região provocadas pelas chuvas.
O encontro aconteceu por iniciativa do deputado Ulysses, que salientou “a importância de se fazer um trabalho de prevenção das enchentes, principalmente conscientizando as prefeituras de que determinadas atitudes precisam ser tomadas”.
Os prefeitos apresentaram o cenário de suas cidades após as fortes chuvas que provocaram grandes perdas de bens públicos, como os livros da biblioteca da escola, veículos de um posto de saúde e bens de particulares.
Os professores Tiago e Benedito apresentaram o Projeto SP3M – Sistema de Previsão, Monitoramento, Modelagem e Mitigação de Eventos Extremos para a Bacia Hidrográfica do Rio Sapucaí – que propõe estudar a Bacia do Rio Sapucaí realizando medições para verificar o comportamento dos rios conforme o volume das águas e sugerindo ações factíveis como a recuperação da mata ciliar. Além de mapear os locais que sofrem constantes alagamentos e para verificando as causas e as ações que podem ser realizadas.
O professor Tiago enfatizou que “esses acontecimentos são a resposta da natureza ao comportamento humano e que se faz necessário a mudança da postura da sociedade”.

Edson Riera disse...

Anônimo das 08:47 horas,

Não havia visto. Vou ler e falar sobre o assunto, que é importante.

Grato,

Zelador