segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

UMA SAÍDA PARA O LUÍS


Minha gente. Nunca antes na história deste país alguém foi tão atacado quanto eu. Esperei que a mídia paga e a desacorçoada oposição cansassem de bater.
Dando satisfação somente para o povo brasileiro calarei a boca de todos aqueles que tentaram me injuriar com essa besteira de sítio em Atibaia.
Terminando os meus dias no governo, no qual eu e meus companheiros levamos os brasileiros ao paraíso, obrigatoriamente, tinha que me mudar do Palácio.
Voltaremos para o nosso cantinho de São Bernardo, combinei com a Marisa.
A coisa encrencou quando fui combinar com o caminhoneiro o frete da mudança. O desgraçado, querendo aproveitar, pediu 10 paus para levar as tralhas de Brasília para São Bernardo, sob o argumento que atravessar o trânsito de São Paulo e a Serra de Mairiporã, encareceriam o carreto. 
Perguntei-lhe : e sem os dois obstáculos, por exemplo, até Atibaia ? De pronto ele retrucou: - 6 paus.
Por que Atibaia, assustou-se a Marisa.
Benzinho, disse eu, o Bitarzinho, amigo dos meninos, tem por lá uma chacrinha que insiste em me passar nos cobres. Podemos deixar a mudança lá enquanto vamos apurando um dinheirinho e compro as terrinhas para descansarmos vez por outra. E claro, economizamos 4 paus no frete.
Foi o que aconteceu.
Já em São Bernardo comecei as negociações com o Bitarzinho para comprar o sítio. Como não sou trouxa nem nada, antes de fechar o negócio, fui algumas vezes com a Marisa, espiar e conhecer a propriedade. Confesso que sou inseguro na compra de bens, razão pela qual, estivemos lá 111 vezes para conhecer bem. Estamos quase fechando o negócio.
Nesse meio tempo, num domingo de manhã, na saída das missa das nove na Catedral da Sé, que não perdemos por nada, encontrei, assim de passagem, com dois amigos bastante religiosos. O Léo e o Marcelo, que mexem com construções e negócios assim.
- Oi Lula, está sumido desde que saiu do governo. Precisamos nos encontrar um final de semana desses para uma cervejinha, falar do Corinthians e dos meninos. De política sabemos que você não gosta mais de falar.
- Claro Léo. Estou ajeitando um sitiozinho em Atibaia e quando fechar o negócio aviso vocês, dou o endereço e a gente põe o papo em dia. Feito, responderam os amigos.
O Léo e o Marcelo seguiram conversando com meus filhos e amigos que vinham logo atrás. Amenidades, com toda a certeza.
Tempos depois o Lulinha comentou que os empresários tinham me achado muito triste. O Lulinha e o Bitarzinho teriam dito a eles que eu andava muito preocupado com o negócio do sítio de Atibaia. Disseram que eu já teria recursos para fazer uma proposta, mas a propriedade exigiria umas boas reformas, tais como um laguinho para pescar, uma hortinha climatizada para a patroa, um campinho de futebol, uma cozinha dessas modernas e mais umas cinco suitizinhas para acomodar a turma.
Na segunda-feira seguinte ao domingo do encontro, o meu amigo Bumlai me telefonou dizendo que o o Léo e o Marcelo iriam providenciar um reforminha no sítio do Bitarzinho. Que eu não precisava ficar melindrado com o agrado e ninguém encheria o saco pois o imóvel não me pertencia. E mais, tinham combinado com o Bitarzinho para não atualizar o preço face as benfeitorias.
Fizeram tudo e nem tomei conhecimento.
Agora no final do ano, com o 13º nas mãos e ia fechar o negócio, aparece esse escândalo danado na mídia paga.
Nem sei se exerço mais o meu direito na compra do imóvel.
Vocês querem me mostrar onde está o erro ?

Viver é Perigoso          

10 comentários:

Anônimo disse...

Zelador, essa insistência do Celem Mohallem com esse assunto de monitoramento de enchentes é irritativa. Ainda mais quando a gente sabe que isso não serve para nada. Basta um video-monitoramento bem feito, on-line, que não saia do ar, com câmeras em locais estratégicos, que já resolve a questão. Ainda mais que hoje em dia todo mundo tem celular com acesso à internet. É só tomar como exemplo o site da loja A Mineira.

Mas, a verdade seja dita: Itajubá ganharia muito se tivesse uma câmara municipal com vereadores como o Celem Mohallem, Roberto Lamoglia, Wander Machado, Luis Santiago, Remy Andrade e o próprio zelador, entre alguns poucos outros, que são pessoas que podem contribuir, e muito, para a nossa cidade. Eu votaria fácil em qualquer um desses.

Chega de Rui (cruz credo!), Joel, Robson, Waldomiro, Santi e essa corriola toda.

Chega de Hebe Camargo itajubense, Geraldo Canha, Klécius, Paulino, Chico, Laudelino, Jorge e esses outros que a gente sabe que não vai dar em nada.

Edson Riera disse...

Anônimo das 15:52 horas,

Senti-me confortável ao lado do Celem, Roberto, Wamder, Santiago e Remy. Ninguém tem nada para falar do comportamento deles. São cidadãos de bem. Têm opinião e a exprimem.
Grato pela possibilidade do seu voto.
Não creio que nenhum deles saia candidato.

Zelador

Anônimo disse...

Anônimo das 15:52 horas,

Você só poder parente de São Pedro para dizer que o monitoramento de enchentes não serve para nada. Entendo que o assunto é irritante sim, quando não conhecemos e entendemos bem do assunto, qualquer assunto, não cabe a nós apenas desmerecer por puro pré-conceito. O importante do monitoramento é a previsão, é saber em quanto uma possível cheia e suas consequências vão atingir a cidade, se fosse apenas para visualizar o nível, o canal da loja A Mineira já está de bom tamanho. Mas a falta de informação e planejamento para com este assunto traz graves consequências, vide as construções em encostas, vales e várzeas de rios, etc. Enfim, se você queria apenas falar dos "possíveis" candidatos já teve a sua resposta. E para complementar e clarear as suas ideias, apresento a seguir alguns sites para você conhecer e entender um pouco mais sobre monitoramento de cheias, enchentes, gestão e planejamento de bacias hidrográficas:

http://simge.meioambiente.mg.gov.br/alertas-de-enchentes

http://www.cprm.gov.br/sace/index_bacias_monitoradas.php#

http://www.inea.rj.gov.br/Portal/MegaDropDown/Monitoramento/Centrodemonitdedesastresamb/Alertadecheias/index.htm&lang=PT-BR

http://defesacivil.itajai.sc.gov.br/telemetria/telemetria.php

http://www.planejamento.mppr.mp.br/arquivos/File/bacias_hidrograficas/planejamento_manejo_e_gestao_unidade_1.pdf


http://www.aguasparana.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=7



Celem disse...

Como não tenho me pronunciado publicamente sobre o assunto monitoramento, a não ser uma vez aqui no blog faz tempo, o anônimo dá algumas pistas de quem seja. Só coloco o seguinte: se o sistema não serve pra nada, por que estão tentando reativá-lo, com uma nova equipe na universidade e o empenho dos poderes municipais? Basta ler os jornais passados. Basta lembrar a falta de informações na última cheia. Quanto a candidatura, apesar do excelente time de companheiros proposto, mas não. Entendo que há outras formas de contribuir com as políticas públicas. Agradeço a lembrança.
Abs.
Celem

Anônimo disse...

Anônimo 16:49, muito legal, muito bonito. Agradeço o envio dos links. Bom assunto para um mestrado ou doutorado. Pena que na prática, só funcione na teoria. Ao contrário, Itajaí não teria mais de 80 mortos e 300 mil desabrigados nos últimos 05 anos.

- Como um simples interessado, achei o intervalo (1,0 h) entre as medições muito largo. Em uma hora, o nível pode subir absurdamente. Vide a enchente de 2000, em Itajubá. Vide, também, as pancadas de chuva em Itajubá, no começo deste ano.

- Como uma pessoa com nível de instrução mais baixo, que mora em local de risco, vai saber interpretar gráficos? Se for depender do aviso da Defesa Civil, principalmente em Itajubá, para tirar suas coisas, pode esquecer!

- Gráficos bonitinhos, cheios de informações. Se tivesse imagens de câmeras ao vivo, nos respectivos locais, ficaria mais fácil a compreensão para um maior número de pessoas e não apenas para os “especialistas”.

- Resumindo: Bonitinho, cheio de gráficos, cheio de informações gerais. Sem utilidade prática direta e imediata. Continua não servindo para nada. Video-monitoramento, on-line, é mais útil.

Edson Riera disse...

Anônimos,

Como dizem no Rio de Janeiro há séculos: "Mineiro só é solidário no câncer".

Zelador

Anônimo disse...

Prezado zelador, só para encerrar: Considero realmente o Celem Mohallem um lutador, embora não o conheça pessoalmente. Também acho que ele não me conhece. Digo isso, baseado nas movimentações que vejo. Está sempre agitando pelo bem da cidade. Posso não concordar com uma coisa ou outra. Sei que é aposentado. Muito inteligente. Poderia, sim, contribuir, e muito. É o que penso, como um simples cidadão. Como já disse, Itajubá não merece Rui, Joel, Robson e essa corriola toda que está aí. Bom seria se esse pessoal capacitado pudesse tirar o "emprego" dessa corja que se instalou na CMI (aumentando número de vagas, aumentando os próprios salários, ao seu bel-prazer, etc. etc.).

Edson Riera disse...

Anônimo das 12:05 horas,

Concordo. O Celem é um cidadão idealista e conhecedor como poucos da Bacia do Alto Sapucai e do meio ambiente. Seria bom, inclusive de ir lá assistir reuniões, a existência de uma Câmara como você mencionou e nós sonhamos.
Sou do tempo que não existiam políticos profissionais. O cidadão dedicava uma parte do seu tempo para a comunidade. Reeleições ? nem existiam. Estudei ainda no prédio central da Unifei e nos intervalos de aulas o pessoal corria para a Praça. Quando passava por lá um vereador, nos levantávamos do banco em sinal de respeito.

O Blog vai tratar do assunto citando os possíveis próximos candidatos com um perfil próximo.

Abraço,

Zelador

Celem disse...

Oi Zé e anônimo, apesar de a assunto ter passado para postagens mais antigas e considerando que a discussão ocorreu num bom nível, noves fora o "irritativa", pondero:
1- não considero útil para os órgãos de segurança pública e de defesa civil, para geração de uma informação importante, um sistema de monitoramento de cheias só de observação;
2- O sistema tem que responder 2 questões básicas sobre uma onda de cheia: a- quando que chega; b- quanto que chega (vazão);
3- acoplado a isso um programa de manchas de inundação para informar com antecedência onde as águas vão chegar. Ou não. O rio não sairá da calha p. ex..Básico.
Agradeço as palavras elogiosas mas compartilho os elogios com outros companheiros, já que nessas lutas nunca estamos sozinhos.
Informação adicional: poderemos ter, num futuro não muito distante, 4 sistemas operando, com muitas estações sobrepostas na bacia do Sapucaí. Se acontecer, será desperdício dos escassos recursos públicos.
Abs.
Celem

Edson Riera disse...

Celem,

Grato pela aula.

Abraço,