segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

TIROTEIO NA INTERNET


Muito pratrasmente falando, devido as condições da época, dizia-se que na Baixada Fluminense os cabritos pastavam agachados para não levar rebarbas de tiros. A coisa era feia.
Mais ou menos como agora, na terrinha, nos grupos do Facebook.
Tiroteio infernal.
No segundo comentário postado o internauta já não sabe mais do que se trata. Pau puro.
O assunto, muitas vezes até interessante, fica relegado a um plano inferior. 
O cacete é dirigido, pelos valentes, para o comentarista com pensamento diferente.
Não quer montar em porco ? Não comente e não curta.
Quer participar ? Leia e comente, devidamente equipado com capacete, luvas, óculos especiais, jaqueta de couro e... faça seguro.
Coisa para kamikase ou fakes.

Viver é Perigoso  

2 comentários:

Anônimo disse...

Saia justa no codema. Depois de decisão de cumprir as leis que proíbem propaganda e som alto nos carros e a prefeitura publicar no jornalzinho dela que estava proibido desde janeiro, secretario do meio ambiente da meia volta e sobe no muro. pressão de vereadores - Gadalupe, Malacacheta e do Bar - dos donos dos carros de som. Ano eleitoral é uma m.... como gostam de comparar P.Alegre proibiu em 2010.

Edson Riera disse...

Anônimo das 09:05 horas,

Desde que as regras sejam cumpridas, ou seja, limites, locais, horários, etc, penso que a publicidade normal poderia continuar. É mais acessível e muitos sobrevivem disso.Não incomodaria tanto.
Carros de som nas campanhas políticas são perfeitamente dispensáveis e já aconteceu no passado e funcionou.
Os vereadores tiveram muito tempo para fazer ecoar suas vozes, suas ideias e seus posicionamentos nos microfones da Câmara. Calaram-se.

Zelador