terça-feira, 26 de janeiro de 2016

FERRADOS !


De uma forma geral, o brasileiro não fica preocupado ou atento ao tomar conhecimento que a dívida do governo federal atingiu R$ 2,79 trilhões (isso mesmo) em 2015. 
Para 2016, o Tesouro já previu que a dívida pode alcançar R$ 3,3 trilhões. 
Aliás, o conhecimento do montante deve até proporcionar ao brasileiro, pendurado nos cartões e no cheque especial, até um certo conforto. 
Saber que alguém deve mais do que a gente até alivia.

Viver é Perigoso



4 comentários:

Anônimo disse...

Zelador; vamos cuidar da nossa casa primeiro. Quanto deve o seu pupilo rieirnha Sabemos que ele endividou a prefeitura, mas, quanto. Não me venha com a desculpa que não sabe de nada, sabe sim! Ele deve passar essa informação nos fartos almoços familiares que ele oferece a você.

marcos.caravalho disse...

Seu Zé(lador),

O "probrema" é que os devedores físicos ( os "pessoal" comum, do povo, da galera)
- vão parar nos cartórios de protestos;
- recebem cartas estilo Don Corleone de escritórios "ixxxpertos" que compram dívida de bancos com deságios colossais- embora as tais já estejam aprovisionadas nos balanços desses bancos;
- recebem, muitas vezes, oficiais de justiça, devidamente escoltados pelo pessoal da cintura grossa, "prum cafézinho" e entrega pros depósitos da viúva perdulária de sua (deles) TV, sua (deles) geladeira, do micro ondas, da máquina de lavar, do video game do juninho, etc...

Os credores da viúva devedora, pessoas jurídicas (bancos, offshores de maganos e otoridades diversas, etc), ficam com os rendimentos dos juritos mui amigos por conta dessa pindura de quase 50% do PIB-2015.

Os sem-carimbo que têm algo a receber dessa mesma viúva, porém têm problemas com o guardinha da porta rolante do Banco ( "-o quê que o cidadão "vai estar precisando" ???" Não pode ficar vadiando aqui, não moço, vamu raliá, vamu raliá...) ficam pendurados "ad aeternum" no beiço dos morubixadas do INSS, da RF, dos "administradores" (bleargh...) da Divida Ativa, etc
O mote definitivo: devemos, não negamos; pagamos quando se puder.

Perdidos estamos; perdidos ficaremos mais algumas décadas, cujas, precisamos muito viver sem aporrinhação antes de ver grama nascer por baixo.

Vai ser muito ruim pegar a barca de Caronte com o gosto amargo de que muito pouco nos foi permitido conquistar (com sangue, suor e cerveja), "muito-muito" nos foi tirado no impostômetro oficial.

Evoé

Edson Riera disse...

Anônimo das 22:50 horas,

É marca registrada do Rieras. Quando tudo vai bem, cada um na sua. Com problemas, nos solidarizamos de imediato. Tudo vai bem.

Zelador

Edson Riera disse...

Marcos,

Estou prevendo a realização de um concurso nacional, com milhares de vagas, para o cargo de oficiais da justiça.

O trabalho vai ser enorme.

Zelador