sábado, 5 de dezembro de 2015

CANTINHO DA SALA

Joan Miró

VENTOS DE GUERRA


Vez por outra torna-se interessante dar uma olhada nessas cerimônias públicas. 
Como sempre, os políticos usando ternos com tamanhos, no mínimo, dois números abaixo do razoável. A gente entende, pois todos no poder ou próximos, engordam. Sei lá a razão.
Com eleições municipais agendadas para o próximo ano, o que dá de aspirantes a candidatos ao cargo de vereador rodeando o palanque é uma grande grandeza.
Ares de preocupação. Entoam hinos com emoção. Sorrisos confiantes, sinais de constante concordância com as palavras dos chefes, suor à beça incomodando os cortes na face provocados pela "gillette" vencida.
As chances aumentaram. Agora são dezessete cadeiras.
A esperança é a ultima que morre e um botãozinho da camisa tipo "volta ao mundo" chega a estourar, quando ao abraçar o chefe, no final da cerimônia, ele segreda no seu ouvido:
- Vá adiante. Você está muito bem. Mesmo já praticamente eleito, siga na luta. 
Aqueles em busca da reeleição, além das mesmas palavras, ouvem: 
- Se der uma zebra nas eleições, conto com você no meu próximo secretariado. 
Os olhos saem de órbita. Véspera do orgasmo político.
De longe, aqueles que serão candidatos pela oposição (?) fingem indiferença e sonham em receber, de preferência no rádio ou no facebook, uma crítica do Chefe ou de um assessor direto.
É a glória. Certeza de uma subida violenta nas pesquisas.
Ser taxado de membro do seleto "clube dos gatos pingados" é garantia de eleição.
É a vida...

Viver é Perigoso  

LULA INDIGNADO


A PRAÇA É NOSSA


Foto Facebook
Publicado hoje, pela amiga Dalva Feitosa Santana, no Facebook
"Pensei muito antes de escrever este texto.
Posso de repente ser acusada de invejosa e maldosa. Mas vamos lá:
Assim como Alckmin sofreu uma grande derrota devido à sua arrogância o nosso prefeito pode sofrer esta derrota na próxima eleição.
Sempre tivemos uma praça. Uma praça cheia de história e onde cada itajubense tem uma lembrança.
Esta inauguração de hoje é fora de contexto e desnecessária. Ela deveria ter sido reformada sem o desgaste que trouxe para todos com prejuízos de todos os níveis. 
Não é possível passar uma borracha, jogar pra baixo do tapete tudo que aconteceu. Não podemos mais no Brasil de hoje continuar com esta postura do avestruz.
A praça ficou linda então esqueçamos tudo que ocorreu?
Basta de tanta falta de cidadania.
Não podemos deixar que os erros cometidos sejam simplesmente apagados. As cobranças e os esclarecimentos têm que ser feitos, só assim, em cada comunidade, em cada bairro, em cada cidade, em cada estado chegaremos na ponta do iceberg e conseguiremos um país melhor para todos.
Quando vamos aprender que o comodismo e a venda nos olhos que nos são colocadas a toda hora não são o caminho para o crescimento da sociedade no seu conjunto total: responsabilidade, participação, idoneidade??????
Vamos curtir a praça porque ela sempre foi nossa, ela tem uma história e nossos filhos e netos vão continuar a escrever esta história. Conservá-la é obrigação de todo e qualquer administrador público em exercício. Não há que se aproveitar de uma obra para conseguir angariar projeção política. Esta prática já deveria ter saído de moda num político de perfil moderno e inteligente."
Dalva Feitosa Santana

Viver é Perigoso