segunda-feira, 31 de agosto de 2015

MOÇA BONITA

Sara Sampaio

VENTOS DE GUERRA

 
Escreveu o Vereador Professor Rui:
 
"...Amigos vivemos um período no mínimo estranho por parte de nossa imprensa local. Fui citado na capa de um jornal semanal e tradicional de nossa cidade, o referido jornal tenta criar uma animosidade entre minha pessoa e a nossa querida UNIFEI. Digo estranho e também decadente fazer jornalismo em cima de fofocas, fica até engraçado.
Vou explicar de novo, em momento nenhum eu desqualifiquei a pesquisa sobre o aumento de vereadores em Itajubá feita por um professor e alguns alunos da UNIFEI, apenas alertei para a necessidade de maior debate sobre o tema."
 
Blog: Não foi bem assim. O nobre Professor Rui se entusiasmou, como é do seu estilo, e ao vivo, em cores e na presença de seleto público, buscou tornar desacreditada a pesquisa sobre o número de vereadores, feita pela EfeiJr.
Ao invés de descarregar sua chateação em cima do jornal "O Sul de Minas", que nada fez, além de destacar o posicionamento da direção da nossa Escola, melhor seria reconhecer que precipitou-se na defesa do aumento de 10 para 17 vereadores.
No passado, comungamos o mesmo pensamento (o Professor e este seu eleitor) para a volta da Câmara com 15 vereadores, como foi durante muitos anos.
O melhor e definitivo reparo a ser feito pelo Professor Rui, seria votar pelos 10.
Os tempos são outros e a crise, verdadeiro atoleiro, que assola o país exige medidas duras a começar pelos municípios.
Será fundamental a reconquista da credibilidade pelos políticos. Simples. Tem que ser iniciada por propor e votar as medidas necessárias e imploradas pelo povo. O correto seria, ordenadas pelo povo.
Todos os custos deverão ser drasticamente reduzidos, a começar pelos salários do Executivo e Legislativo e repasses.
Do Judiciário, recompensado por gordos reajustes e ajudas para manutenção de diversas matizes, não podemos ainda falar. 
Como todos os brasileiros, exceto anonimamente, não penetramos no Olimpo e comentamos sobre padres, juízes e delegados.
 
Viver é Perigoso     

NOSSO HOMEM EM HAVANA


PODIA SER DIFERENTE

 
O assunto é pessoal. O protagonista foi um empresário de sucesso e um homem que exerceu a Vice-Presidência da República.
Nunca conseguimos entender as duras palavras sobre a questão, colocadas em entrevistas concedidas pelo Sr. José Alencar.
Agora, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu como filha legítima do ex-vice-presidente da República José Alencar, morto em 2011, a professora Rosemary de Morais, de 59 anos, moradora de Caratinga, no Vale do Rio Doce. Na decisão, os ministros da 3ª Turma da Corte entenderam que a paternidade foi presumida depois das tentativas fracassadas para que José Alencar se submetesse a exames de DNA. "A negativa do réu impediu que o juiz verificasse o acerto de sua defesa", afirmou o ministro Moura Ribeiro, relator do processo, que corre em segredo de justiça". A decisão foi confirmada pelo advogado de Rosemary, Vinícius Mattos Felício.
É a vida...
 
Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Joan Miró

O PRIMEIRO "SEM FUNDO"

 
"...Lembro bem meu primeiro cheque sem fundo: morador de pensão no Recife, fiz a graça de levar uma paquera, até prove em contrário a mulher da minha vida àquela altura do devaneio, para almoçar no “Leite”, o mais antigo restaurante do Brasil, aberto desde 1882.
Até hoje lembro do lombo de bacalhau do Porto Imperial que sujou meu nome. Chique no último essa forma de entrar no SPC, o velho Serviço de Proteção ao Crédito, naquele governo Sarney de 80% de inflação na rabiola. E olhe que a musa do Bongi –bairro da deusa- nem era de se impressionar com essas frescuras, como descobriria depois –tão vida simples, meu Deus! Coisa de matuto do interior alucinado por mulher da capital. Pense na tristeza do Jeca!
O segundo sem fundo também foi por amor, já em SP, anos 1990, mas deixa pra lá, só lembro que o jantar com champanhe me levou meio contracheque (holerite para os paulistas) e a orquídea que mandei para a casa dela me inscreveu direto na lista dos inadimplentes do Serasa. “Eu vejo flores em você!” Dias depois, foi mais lindo ainda: o governo Collor sequestrou uma grana que eu havia recebido do Fundo de Garantia da editora Abril, lá se foi meu FGTS..."

Xico Sá (para El País)

Viver é Perigoso

AGUARDE CURITIBA !