sábado, 29 de agosto de 2015

TEATRO DE ITAJUBÁ

 
É uma conquista, sem sombra de dúvida, a construção em andamento do Teatro Municipal de Itajubá. Como todos sabem, surgiu de uma permuta feita pelo município com o Grupo industrial Plasinco, que é dono na terrinha da Cabelauto.
A empresa ficou com o prédio industrial da Cabelte e em troca está construindo o nosso teatro.
Tudo caminharia bem não fosse a necessidade urgente da negociação de um aditivo no contrato firmado entre a Plasinco e a Prefeitura.
Muita calma. Nesta hora o aditivo funcionará ao nosso favor.
Não se pode chamar de galpão o prédio onde funcionou a Cabelte. Trata-se de uma construção industrial moderna com instalações elétricas, iluminação, águas pluviais, esgotos, resíduos industriais, ar comprimido e estrutura para receber, inclusive, equipamentos de grande porte. Com docas para embarque e desembarque. Sem levar em conta o enorme tamanho da área onde se encontra.
Em tempos de crise poderia ser avaliada em R$ 6 milhões, tranquilamente.
Segundo informado, o nosso teatro estaria sendo bem construído pela Plasinco. Mas ainda trata-se de um galpão com poltronas.
Um caminho inicial para um teatro.
Podemos, com justiça, reivindicar no aditivo, a instalação de iluminação própria para teatro, com canhões de luz, holofotes, som específico, tudo controlado por mesa computadorizada, como instalado nos teatros das capitais. Além de equipamentos hidráulicos para as devidas movimentações de palco.
E quem sabe...patrocinar um grande espetáculo de inauguração.
Mesmo com esse esperado aditivo, o Grupo Plasinco ainda estaria fazendo um grande negócio. Dessa forma, concordaríamos com o Prefeito que afirmou ter sido o maior negócio de sua vida.
Reconhecer os trabalhos anteriores dos Prefeitos Chico e Jorge que possibilitaram a permuta, já seria exigir demais.

Viver é Perigoso

OREMOS !