terça-feira, 28 de julho de 2015

OREMOS !


Deu no jornal "O Tempo"

A redução de salários, aliada a proibição de pagamento de horas extras, além dos cortes em contratos, não têm sido os únicos problemas das prefeituras em tempos de crise. Com a arrecadação em baixa, muitas cidades de Minas enfrentam um novo problema para gerir as contas públicas. Com a obrigação de não ultrapassar em 54% o comprometimento da receita corrente líquida com a folha de pessoal, conforme manda a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), centenas de cidades têm dispensado funcionários. O problema, segundo o presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), o prefeito de Pará de Minas, Antônio Júlio (PMDB), é grave e afeta em níveis diferentes 70% das 853 cidades do Estado.
 
Blog: Pelo visto, a terrinha se inclue fora dessa. Caso não esteja enganado, ouvi uma entrevista do nosso Prefeito dando conta que o comprometimento da receita líquida com a folha de pessoal estava em 48% (carente de confirmação). Se providências não foram tomadas, com a queda de arrecadação, que certamente vem acontecendo, podemos estar no limite do permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
Em tempo, não creio que recursos oriundos da venda de imóveis poderão ajudar.
Será triste para todo mundo.
Oremos.
 
Viver é Perigoso 

MOÇA BONITA

Luana

NA PONTA DA LÍNGUA

 
Ouvido hoje de um vendedor em uma barraca da Feira Livre da Boa Vista, é claro:
 
- "Pode se aproximar doutor, aqui não temos problema algum. Deixamos claro para todos os nossos fregueses que estamos cooperando com as investigações. Negamos veementemente qualquer pagamento ilícito a agentes públicos para obtenção de contratos ou vantagens. Reafirmamos que que todas as nossas atividades e contratos seguem rigorosamente a legislação vigente”.
 
Como não comprar dele ? Comprei.
 
Viver é Perigoso

PAPO FURADO

Interessante como a aparência, modo de vestir, etc, acaba identificando as pessoas. 
Antigamente era fácil adivinhar:
Funcionário do Bradesco, vendedor de Carnê do Baú da Felicidade, pastor neo-evangélico, e por aí afora.
Ah! estudantes de engenharia pela inseparável jaqueta azul.
Hoje, não existe jogador profissional de futebol sem um corte de cabelo estranho e tatuagens das mais diversas.
Vez por outra é preciso dar uma mudada no visual.
Ninguém tem mais fisionomia de petista bem sucedido que o nosso Deputado Ulysses. Não era assim.
A medida que o Ulysses foi avançando na política, visualmente falando, foi caminhando para a padronização.
Atrasado, uma vez que pelos tempos bicudos ora atravessado pelo PT, os membros mais antenados do partido foram dando uma modernizada no visual.
O Laudelino não conta.
Talvez fosse melhor deixar o terno, a gravata vermelha e a barbicha de lado por uns tempos.
Só até passar o perigo.
Quanto a jornalista, loira, gentil, olhos azuis, segue muito distante do padrão.
É a vida

Viver é Perigoso

TERRA BOA


Polícia Federal: A cada enxadada uma minhoca.

Clarin da Boa Vista