segunda-feira, 13 de julho de 2015

LAVANDERIA


Dilma passará e engomará dinheiro sujo lavado.
 
No Brasil, quem engana a Receita Federal não perde por esperar. Ganha! Surgiu uma medida provisória que vale por um serviço premium de lavanderia. Brasileiros que lavaram dinheiro sujo enxaguando-o no estrangeiro poderão legalizar suas fortunas clandestinas, repatriando-as com as bênçãos do governo Dilma.
Em troca de uma mordida de 35%, o governo se dispõe a passar e engomar verbas de má origem. Para o ministro Joaquim Levy (Fazenda), o tapete vermelho estendido para recepcionar a verba ilegal é “oportuno”. Para os potenciais beneficiários também.

Josias de Souza

CANTINHO DA SALA

Jean-Michel Basquiat

UMA NOTÍCIA BOA E OUTRA NEM TANTO

 
Deu no Site da Setop-MG
 
O governador Fernando Pimentel e o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Murilo Valadares, assinaram na tarde desta segunda-feira, na Cidade Administrativa, ordem de serviço para a retomada imediata de obras paradas em todo o estado. O pacote, orçado em R$ 463 milhões, inclui 52 intervenções que, de acordo com a atual gestão, foram paralisadas no governo passado.
A notícia boa foi a inclusão da retomada da construção do Aeroporto de Itajubá. A não tão boa, foi garantir recursos para ampliação do Presídio de Itajubá.
As intervenções serão executadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) e pelo Departamento de Obras Públicas (Deop-MG). 
A paralização das obras do Aeroporto, no estágio em que se encontram, foi uma burrice corrigida. Não sinto alegria em investimentos para ampliação do Presídio.
Uma no cravo, outra na ferradura.
Claro que a inclusão das duas obras tem o dedo dos Deputados Ulisses e Odair.
Aos outros, Bilac e Dalmo, cabe aplaudir.
É a política.
 
ER

ETERNAMENTE EM BERÇO EXPLÊNDIDO


LIVRO, PRESENTE DE AMIGO


Comemora-se hoje o "Dia Mundial do Rock". Para quem gosta do gênero (e quem não gosta ?) tornou-se indispensável a leitura do livro "Rock and Roll - Uma História Social", do Paul Friedlander (Editora Record). Para ser lido, relido e consultado.
Como está escrito, é como um curso intensivo sobre o rock and roll. O livro traz os dados básicos, mas não ignora os detalhes que marcaram as três primeiras décadas de história do rock.
Afinal de onde saiu o rock and roll ?
Em suas origens o rock and roll era essencialmente uma música afro-americana. Os ritmos sincronizados, a voz rouca e sentimental e as vocalizações de chamado-e-resposta características dos trabalhadores negros eram parte da herança da música africana e tornaram-se os tijolos com os quais o rock and roll foi construído.
A fusão do blues rural, com o blues urbano, com o gospel e o jump band jazz, proporcionou, no início dos anos 50, a chamada rhythm and blues, que veio a ser a maior fonte do rock and roll. O folk e a música country, tradicionais estilos brancos, também contribuiram com ingredientes importantes para o inicio do rock and roll. Em meados de 50, essa mistura, proporcionou a catálise musical e emocional para que muitos músicos brancos ultrapassassem os limites da tradicional música country e entrassem na era do rock.
A primeira geração de roqueiros clássicos:
Fats Domino (Blueberry Hill - 1956)
Bill Haley (Rock Around the Clock-1954)
Chuck Berry (Maybellene-1955)
Little Richard (Tutti Frutti-1956)
A segunda geração de roqueiros clássicos, com Elvis Presley, Jerry Lee Lewis, Buddy Holly e os Everly Brothers, surgiu em 1957.
O primeiro sucesso de Elvis, foi uma música de um blues-man (Big Boy Crudup). Foi a sensacional "That´s All Right (Mamma).
O primeiro astro branco de rock and roll foi Bill Haley, que nasceu William John Clifton Haley, no subúrbio de Detroit de Highland Park. Começou a tocar música country em 1945. Em abril de 1954, gravou "Rock Around the Clock", que foi escrita por Max Freedman e Jimmy DeKnight. A música que inicilmente não fez sucesso, atingiu as paradas ao ser utilizada como canção-tema do filme "Sementes da Violência". Tornou-se o disco de rock mais comercializado da história.
Como curiosidade, é bom lembrar o que disseram na época sobre o Rock:
"É a mais brutal, feia, desesperada e viciada forma de expressão que eu já tive o desprazer de ouvir. Ele é cantado na maior parte por estúpidos cretinos e por meio de suas reiterações imbecis e letras hipócritas - obcenas - na verdade sujas." - Frank Sinatra
O rock and roll é veneno posto no som." - Pablo Casals (o maior violoncelista do mundo)
" A boa música é, simplesmente, aquela que leva o ouvinte a um estado mais elevado de sua existência.". Tom Manoff (compositor).

Viver é Perigoso

HABEAS CORPUS