segunda-feira, 29 de junho de 2015

MOÇA BONITA


SUBINDO A RAMPA


MUDANÇA !

 
Nossos observadores anônimos confirmam que o Secretário da Educação, Robson Vaz comunicou à Câmara Municipal que reassumirá no dia 1 de julho o seu cargo de vereador.
O cargo de vereador lhe pertence. Foi lhe  concedido pelo resultado das urnas. O cargo de Secretário da Educação pertence ao Prefeito.
Ou foi uma estratégia do  prefeito reforçar a defesa de sua administração junto ao legislativo ou aconteceu algum desgaste entre eles.
O Robson foi um dos melhores vereadores da administração passada, senão, o melhor. Cumpriu sua função de fiscalizar a administração do Prefeito Jorge.
Hoje a história é outra.
Atentem para o nome do novo Secretário(a) da Educação.
Veremos.

ER

BATENDO NA PORTA ERRADA

 
Deu no jornal "O Sul de Minas"  que as entidades, CDL - Câmara de Diretores Lojistas, ACIEI, Lions, Sindicato do Comércio e Simmmei, se manifestaram contra o projeto de lei que aumentou o número de vereadores dos atuais 10, para 17.
Enviaram cartas para ao Presidente da Câmara pleiteando que a questão seja rediscutida. A preocupação de todos é com o aumento de custos. 
A "Tranparência Itajubá" desde a apresentação do mencionado tem-se postado veementemente contra.
Interessante a manifestação das entidades itajubenses em assunto de interesse geral.
Mas, e eles sabem disso, encaminharam a manifestação para a pessoa e endereço errado.
Todos, inclusive os alunos do extraordinário Grupo Escolar Rafael Magalhães, situado na Boa Vista, é claro, sabem que 7 vereadores (sempre os mesmos) votam com o Prefeito.
Jamais, em momento algum, tomariam alguma posição que não fosse em obediência, leal, sincera e fiel, as determinações do Executivo.
Então...não adianta.
Que montem uma comissão e roguem por uma audiência com o Prefeito para a exposição de suas preocupações.
Dica: Na ocasião, alertem ao Prefeito que será muito mais difícil e custoso controlar 17 do que 10.
Ah ! Não incluam ninguém da Transparência Itajubá na Comissão. Se tal acontecer a reunião corre o sério risco de não acontecer.  
 
ER