quarta-feira, 17 de junho de 2015

É A VIDA...


"...Reuniu suas forças e pegou pela primeira vez seu pai no colo.
Colocou o rosto de seu pai contra seu peito.
Ajeitou em seus ombros o pai consumido pelo câncer: pequeno, enrugado, frágil, tremendo.
Ficou segurando um bom tempo, um tempo equivalente à sua infância, um tempo equivalente à sua adolescência, um bom tempo, um tempo interminável.
Embalou o pai de um lado para o outro.
Aninhou o pai.
Acalmou o pai.
E apenas dizia, sussurrado:
— Estou aqui, estou aqui, pai!
O que um pai quer apenas ouvir no fim de sua vida é que seu filho está ali. "

Fabrício Carpinejar (trecho) - Post Paulo Leão

Viver é Perigoso

SÓ BLUES


CHRISTIANE RIERA


Saiba um pouco mais sobre Christiane Riera, que tomou o barco em 11 de maio de 2012.  

Christiane Riera foi dramaturgista com Mestrado e Doutorado em Dramaturgia e Crítica Dramática pela Yale University/Yale School of Drama, onde defendeu sua tese sobre o processo colaborativo em grupos de teatro brasileiro contemporâneo, com foco no Teatro da Vertigem e na Companhia do Latão.
Formada em Letras e mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (USP), onde concluiu sua tese sobre Nelson Rodrigues, sob orientação do Prof. Roberto Ventura, fazia seu Pós-Doutorado no Departamento de Cinema da ECA/USP com um projeto de pesquisa em dramaturgia para o cinema sob a supervisão da Profa. Dra. Esther Hamburger.
Passou sete anos nos Estados Unidos, estudando e trabalhando com teatro. Foi crítica colaboradora do jornal The Village Voice, em 2001. Naquele mesmo ano, foi freelancer como consultora em dramaturgia avaliando textos teatrais para o The New York Theater Workshop. Naquela época, já havia trabalhado por três anos como consultora para o Yale Repertory Theater e estagiado no The Flea Theater, em TriBeCa.
Sua experiência em montagens como dramaturgista inclui "O Misantropo", dirigida por Lisa Channer; "Tango Palace", dirigida por Miranda Hoffann; "O Doente Imaginário", dirigida por Mark Rucker; "Macbeth", dirigida por David Kennedy, e "Crumbs from the Table of Joy", dirigida por Seret Scott.
De volta ao Brasil, trabalhou por quatro anos como consultora de roteiros para a produtora de cinema Gullane Filmes, desenvolvendo projetos de longa-metragem com os diretores Cao Hamburger, Laís Bodansky, Heitor Dhalia e Carlos Cortez. Ainda nessa produtora, coordenou os oito primeiros episódios da série "Alice", para a HBO, sob a direção de Karim Aïnouz e Sérgio Machado. Naquela época, também traduziu e produziu, ao lado de Maria Luísa Mendonça, o espetáculo "Essa Nossa Juventude", do dramaturgo americano Kenneth Lonergan, que obteve duas indicações para o prêmio Shell.
Depois de trabalhar como consultora de dramaturgia no roteiro do longa "O Jardineiro Fiel", dirigido por Fernando Meirelles, foi convidada para coordenar o departamento de desenvolvimento de projetos da produtora O2 Filmes num acordo de co-produção com a Focus Features/Universal Studios. Exerceu essa função por três anos, até agosto de 2009, e teve a oportunidade de avaliar centenas de roteiros e coordenar a dramaturgia de vários longas-metragens.
Ainda na O2 Filmes, desenvolveu os episódios para a segunda temporada de "Os Filhos do Carnaval", com a roteirista Elena Soarez e o diretor Cao Hamburger, e também para a segunda temporada de "Antônia", série em co-produção com a TV Globo, sob a coordenação de Jorge Furtado.
Ainda para O2, coordenou o desenvolvimento da série em co-produção com a HBO “Destino SP”, atualmente em produção, com direção de Fabinho Mendonça e Alex Gabassi.
Colaborou criticamente com inúmeros profissionais brasileiros, entre eles os roteiristas Marçal Aquino, Fernando Bonassi, Bráulio Mantovani, Elena Soarez, Anna Muylaert, Patrícia Andrade, Victor Navas, Luiz Bolognesi, e os diretores Cláudio Torres, Breno Silveira, Paulo Morelli, Nando Olival, Toniko Melo, Lula Buarque de Holanda, Mauro Lima, Laís Bodansky, Tata Amaral, Paulo Machline, Luciano Moura, entre outros. Colaborou no roteiro do filme “Xingu”, dirigido por Cao Hamburger.
Como crítica, escreveu artigos para a revista Theater e Bravo! Em maio de 2000, recebeu o prêmio Truman Capote por "excelência em escrita crítica", outorgado pela Yale University.
Foi crítica de teatro do jornal “Folha de S.Paulo” em 2010 e 2011.

"Acho muito difícil falar dela sem usar superlativos. Mulher tão linda e tão inteligente, que às vezes chegava a assustar no primeiro contato. Mas o susto desaparecia em minutos, quando víamos o tamanho de sua doçura e do seu afeto pelos amigos. Coisa de quem nasceu em Minas Gerais, ela dizia. Tinha um conhecimento admirável de teatro, e uma disposição ainda maior para compartilhá-lo. Foi uma guerreira até o fim e nos deixou de presente um manual de vida. Espero que a gente, algum dia, aprenda a usá-lo".
Sérgio Roveri

Viver é Perigoso
 

RECORDES NA TERRINHA

 
Compensa dar uma ida até lá para acompanhar as performances dos atletas, digo, pedestres. 
A pista fica no cruzamento da Rua Nova com a Francisco Masseli.
Instalaram um semáforo digital para controlar as idas e vindas dos atletas, corrijo, dos pedestres.
Um ativo assessor do governo municipal informou que a fixação do tempo  para a travessia foi baseada em testes e experiências práticas.
A Prefeitura deve ter gasto uma nota preta para trazer até a terrinha o Sr. Usain Bolt para servir de padrão para determinação do espaço tempo necessário para a passagem de cada leva de cidadãos.
O Sr. Bolt, que nas horas vagas é recordista mundial, chega a alcançar o tempo de 9,58 segundos para percorrer 100 metros. Consegue a proeza devidamente paramentado de vestimentas próprias e em piso de resina sintética. Que dizer, mais ou menos 45 kms/hora.
Ao altivo e independente cidadão itajubense, com sapatos e roupas (além de preparo físico atrasado e idade avançada) impróprios para a prova, foi concedido pelo pessoal do trânsito um folgado tempo proporcional ao alcançado pelo Usain Bolt.
Deu prá ti um baixo astral (Kleiton e Kledir) ?
Vá até a Rua Nova e assista quebra e mais quebras de recordes.
É a vida...

Viver é Perigoso  

ALEMANHA TOUR

 
- Que beleza camarada Gomes. Que monumento é aquele ?
 
- Camarada Dirigente, já dei aula sobre isso. Trata, como todos sabem, do Portão de Brandemburgo. É uma das belezas aqui de Berlim e um dos marcos mais conhecidos da Europa.
Foi encomendado pelo rei Frederico Guilherme II da Prússia e construído por Carl Gotthard Langhans entre 1788 e 1791.
Ao longo de sua existência, o Portão de Brandemburgo foi muitas vezes um local para grandes eventos históricos e é hoje considerado um símbolo da tumultuada história da Europa e da Alemanha, mas também da unidade e da paz européia.
 
- Camarada Gomes, já estou vendo uma instalada no começo da Rua Nova e outra na Avenida BPS. Ficaria um show.
 
- Camarada Dirigente, atente para as dimensões: Tem 26 m de altura, 11 m de profundidade e 65 m de largura.
 
- Camarada Gomes, ou já gente as instala de comprido ou contrata uma empresa especialista, aliás conheço uma excelente de Poços de Caldas, para fazer a adaptação.
 
- Uai Camarada Dirigente, se é assim pode contar comigo lá em BH. Agilizo o andamento da papelada. Vai ficar nos trincs.
 
É a vida...
 
Viver é Perigoso
 
-

CANIVETADA


REVANCHE DOS 7X1 ?

Deu na JovemFM

Prefeito Rodrigo Riera informou à Câmara Municipal que atenderá ao convite do Governador Fernando Pimentel para acompanhar a Comitiva do Governo que visitará a Alemanha, no período de 22 a 27 deste mês.

Registrou que todas as despesas desta viagem serão cobertas pelo Governo Estadual.

Blog: Lembrando que a coça dada pelos alemães no Brasil aconteceu em Minas Gerais, mais precisamente, no Mineirão. Em tempo: O Dep. Ulisses irá também ?

Viver é Perigoso