terça-feira, 9 de junho de 2015

CINQUENTENÁRIA ENXUTA



Completou 50 anos no último sábado.
Tudo começou com um sonho que Keith Richards teve durante uma turnê dos Stones pelos Estados Unidos em 1965. Ele acordou em um quarto de hotel na Flórida uma manhã e notou que, no meio da noite, tinha se levantado e gravado um riff acústico e um refrão em uma fita cassete, deixada em sua mesa de cabeceira.
Alguns dias depois, Mick Jagger terminou os versos, e a banda partiu para gravar a faixa. Primeiro, uma versão acústica, nos Chess Studios, em Chicago, e depois, uma versão elétrica, na RCA, em Hollywood.
Richards conta ter imaginado o riff original sendo executado por instrumentos de metais – assim como Dancing in the Street, de Martha and the Vandellas – e queria um som mais duro. Um pedal Gibson trazido pelo faz-tudo dos Stones, Ian Stewart, foi a solução.
A guitarra distorcida de Richards explodiu pelos alto-falantes e Jagger transformou cada sílaba em uma acusação, como se estivesse enfiando seu dedo médio no peito de algum executivo desavisado.
 
BBC

DILMA NO PAÍS DA FANTASIA

 
A nova etapa de concessões de infraestrutura projeta investimentos de R$ 198,4 bilhões em rodovias, aeroportos, portos e ferrovias. De acordo com o programa, entre 2015 e 2018, os investimentos previstos são de R$ 69,2 bilhões. A partir de 2019, serão mais R$ 129,2 bilhões.
Os investimentos são divididos em:
Ferrovias - R$ 86,4 bilhões;
Rodovias - R$ 66,1 bilhões;
Portos - R$ 37,4 bilhões;
Aeroportos - R$ 8,5 bilhões. ( desse valor, está previsto o investimento de R$ 78 milhões em aeroportos regionais)
 
Blog: Se acontecer, o que é quase impossível, o governo federal deverá oferecer dinheiro emprestado para os investidores. Um setor da sociedade (o nome não será citado) deve estar vislumbrando uns R$ 6 bilhões como agrado (equivalente a 3%).
Alguém em sã consciência pensa o contrário ?
 
ER 

BURRICE GERAL

Professores e servidores da rede estadual de ensino do Paraná decidiram hoje encerrar a greve que, somada a duas paralisações recentes, completou 49 dias letivos.
A categoria aceitou a última proposta apresentada pelo governo estadual e receberá 3,45% de reajuste a partir de outubro. Na mesma rede social que utilizou para anunciar o fim da greve, o sindicato dos professores reconhece que o percentual concedido é inferior aos 8,17% de aumento que a categoria reivindicava, mas lembra que os dias parados não vão ser descontados do pagamento dos professores que, em contrapartida, terão que repor as aulas perdidas.
Em janeiro de 2016, os servidores devem receber novo aumento, com a inflação acumulada em 2015, mais 1 ponto percentual. A mesma medida deve ser tomada em janeiro de 2017.
De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, também não serão abertos processos administrativos contra os diretores de escola que entregarem os relatórios mensais de frequência dos professores e funcionários e nenhum professor temporário será demitido por ter aderido à greve.
Com o fim da greve, iniciada em 25 de abril, cerca de 1 milhão de alunos matriculados em cerca de 2,1 mil escolas que estavam sem aula poderão retornar às escolas amanhã (10). A secretaria já adiantou que os 200 dias letivos e as 800 horas-aula exigidas pela Lei de Diretrizes e Bases serão cumpridos conforme um calendário de reposição das aulas que ainda vai ser elaborado e terá que ser homologado pelos núcleos regionais de Educação.
Além da duração, a paralisação dos profissionais foi marcada pelo excesso policial, ao impedir que grevistas e manifestantes se aproximassem da Assembleia Legislativa do Paraná, no dia 29 de maio. Pelo menos 170 manifestantes, na maioria professores, ficaram feridos na ação policial.

Congresso em Foco

ER

AGORA VAI !