terça-feira, 12 de maio de 2015

MUITA CALMA NESSA HORA !

 
Pela ação danosa, inexplicável e injustificável, os envolvidos estão às vésperas de serem enquadrados na categoria dos inimputáveis.

Clarin da Boa Vista 

ENTENDERÃO NADA

Pirro, foi rei do Épiro e da Macedônia, tendo ficado famoso por ter sido um dos principais opositores de Roma.
Por ter sido um homem impressionantemente belicoso e um líder infatigável, embora não tivesse sido um rei propriamente sábio, Pirro foi considerado um dos melhores generais militares do seu tempo. Aníbal considerou-o o segundo melhor, a seguir a Alexandre Magno. Pirro era também conhecido por ser muito benevolente. Como general, as maiores fraquezas políticas de Pirro eram a falta de concentração e apetência para esbanjar dinheiro.
A sua força militar era extraordinária: 3.000 cavaleiros, 2.000 arqueiros, 500 fundeiros, 20 000 tropas de infantaria e 19 elefantes de guerra. Com ela, o objetivo de Pirro era não só evitar o avanço dos Romanos, como subjugá-los.
Quando Pirro invadiu a Apúlia (279 a.C) os dois exércitos defrontaram-se na Batalha de Ásculo onde Pirro obteve uma vitória a alto custo. Os romanos perderam 6.000 homens e Pirro perdeu 3.500.
Quando lhe deram os parabéns pela vitória conseguida a custo, diz-se que respondeu com estas palavras:

 "Mais uma vitória como esta, e estou perdido."
O seu nome tornou-se famoso pela expressão "Vitória de Pirro", que não se referea uma vitória difícil mas a uma vitória inútil, potencialmente acarretadora de prejuízos irreparáveis, prejudicial ao vencedor. A expressão é uma metáfora para descrever uma vitória que de tão sacrificada, de tão desgastada, de tão violentamente conquistada, praticamente não valeu a pena alcançar, ou seja, o custo foi mais alto do que as vantagens obtidas.
Serve para exemplificar que nem sempre a vitória pertence ao vencedor.
Dados da web -
Blog: Estamos devidamente lascados.

ER