quinta-feira, 7 de maio de 2015

SOB A LUZ DE VELAS


"Felicidade é boa saúde e má memória."

Ingrid Bergman

TEM GENTE QUE SABE VIVER

Claro, claro que não somos nós, caro leitor! Para nós, há empregos em baixa, demissões em alta, férias coletivas antecipando o que vem por aí. Mas, citando a frase atribuída à ex-ministra Zélia Cardoso de Mello, o povo é apenas um detalhe. Quem mandou não ser banqueiro nem arrumar uma boquinha no Governo?
Enquanto o Governo pede sacrifícios e diz que é preciso ajustar para avançar, as despesas públicas cresceram R$ 5,4 bilhões só no primeiro trimestre. No primeiro mandato da Competenta, as despesas federais passaram de R$ 822 bilhões para pouco mais de um trilhão de reais por ano - sem contar a Petrobras. Sacrifícios, sim - mas nossos. Jamais deles. Lembra daquela famosa cerveja, a Caracu?
Os bancos também vão bem, obrigado. 
O Itaú bateu o recorde de lucros de um banco brasileiro em primeiros trimestres: de janeiro a março, alcançou R$ 5,733 bilhões, 13,8% a mais que no primeiro trimestre do ano anterior.
O Bradesco, de onde saiu o ministro de cortar despesas, Joaquim "Mãos de Tesoura" Levy, também bateu seu recorde de lucros de primeiro trimestre: R$ 4,244 bilhões, 23,3% acima do obtido no mesmo período de 2014.
Faça as contas: seus rendimentos subiram mais de 13%, ou de 23%, de um ano para cá? Mas aguente: dizem que o sacrifício é para o bem do Brasil.
Mas não imagine, caro leitor, que o Governo não corta despesas. Corta, sim! No contexto da Pátria Educadora, já cortou R$ 500 milhões em livros didáticos destinados a professores e bibliotecas públicas.
A quem interessa permitir que os professores se mantenham atualizados? Por que dar oportunidade aos alunos para que se desenvolvam, tendo acesso aos livros?
Carlos Brickmann

 

FIGURINHA CARIMBADA

 
A prefeitura de San Salvatore Monferrato, no Piemonte, cidade no norte da Itália, criou um álbum de figurinhas que virou uma sensação entre os moradores: é que as cerca de 600 imagens colecionáveis são...dos moradores da cidade.
"O objetivo foi o de fortalecer as relações entre os habitantes, manter o tecido social ativo e preservar a memória coletiva", disse o prefeito, Corrado Tagliabue.
Em muitas cidades italianas, os álbuns de figurinhas são uma tradição, mas sempre com imagens de jogadores de futebol de times locais. Ninguém havia pensado em colocar a foto do padeiro, do salameiro, do presidente de uma associação de voluntariado, etc.
Para vencer a timidez e o caráter reservado dos piemonteses, algumas fotos foram realizadas em grupo. Desde que foi lançado, em março deste ano, procurar a própria figurinha ou a de um amigo ou conhecido virou mania na cidade.
Na primeira edição, foram impressos 700 álbuns e 75 mil figurinhas. Nos próximos dias será iniciada a sétima impressão, com tiragem de 200 mil novas figurinhas. Cada envelope com cinco retratos custa 3 euros. 
Para realizar as quase 600 imagens do álbum, foram necessários mais de quatro meses de trabalho.
Todas as fotografias foram feitas por dois vereadores, que ficaram responsáveis inclusive pelo agendamento das sessões de foto e pelo recolhimento das autorizações para o uso de imagem de crianças e adolescentes.
Sem anúncios publicitários, a iniciativa foi financiada pela prefeitura e o dinheiro arrecadado será revertido para associações esportivas e de voluntariado locais.  
BBC
 
Na terrinha, um album com fotografias com personagens locais seria difícil de completar. Muita figurinha difícil. Lógico que também muitas fáceis e repetidas. Seria estranho ouvir: troco três zezinho riera por um dr. aldo. Só falta o virgilio machado para completar a página.
 
É a vida.
 
ER 

              

      

PRÁ PENSAR E AGIR


"Ajudar as pessoas que passam necessidade deve ser uma prioridade para a sociedade. Mas depois que você fez isso, há uma segunda tarefa que é garantir que a pessoa que recebe esses recursos possa se manter sozinha O Brasil conseguiu dar conta da primeira parte do trabalho, mas agora é preciso começar a enfrentar essa segunda parte: Como fazer essas pessoas saírem do Bolsa Família e se sustentarem sozinhas, contribuindo para a sociedade? "

Muhammad Yunus - Prêmio Nobel da Paz

 

 

TODO CUIDADO É POUCO !

Deu no jornal Hoje em Dia
 
Na segunda fase da Operação VIP, que teve início às 6 horas da manhã desta quinta-feira (7), no Sul de Minas, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) colhe provas e informações para subsidiar as investigações. O caso apura a atuação de quadrilha especializada fraudar licitações para contratar shows artísticos.
Estão sendo cumpridos seis mandados de prisão temporária e 11 mandados de busca e apreensão nos municípios de Nepomuceno, Ilicínea e Machado. Os presos estão sendo encaminhados para a Delegacia de Nepomuceno, onde o MP irá ouví-los e analisar o material recolhido. Durante as buscas, além de documentos que interessam à investigação em curso, foi apreendida uma arma de fogo.
Participam do planejamento e execução das diligências cinco promotores de Justiça, 18 servidores do MPMG e 52 policiais militares.
A operação é uma ação conjunta entre o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Nepomuceno, do Grupo Especial de Promotores de Justiça de Defesa do Patrimônio Público (Gepp), do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco-Varginha) e do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Combate ao Crime Organizado e de Investigação Criminal (Caocrimo).
No ano de 2013 o MPMG iniciou investigações para apurar fraudes na contratação de shows artísticos e locação de estruturas temporárias (palco, banheiros químicos, etc) na região de Lavras, identificando a participação de prefeitos, servidores públicos e empresários em mais de 40 municípios.
Em outubro de 2013 foi deflagrada a primeira fase da Operação VIP, quando foram propostas ações de improbidade administrativa e ações criminais na comarca de Lavras, com a colaboração premiada de um dos empresários envolvidos.
 
Hoje em Dia

MOÇA BONITA

Marina

ELEFANTE DANÇANDO VALSA

 
Não sei de onde vem isso, mas gosto de textos incompletos que deixam espaço para a imaginação do leitor. Vale também para músicas e quadros. Me considero um razoável observador de manchetes de jornais. Hoje, defronte a uma banca de jornais tirei o chapéu para a manchete do Jornal da Cidade.
Não que concorde ou discorde. Isso não vem ao caso.
Levou-me a ler, reler e admirar a leveza da crítica.
 
"Teatro Municipal fica pronto em junho, afirma diretor da Cabelauto".
 
Para os itajubenses, sutil como um elefante dançando valsa.  Substitui, com vantagens, um editorial de 10 páginas.
 
ER  

BARATA TONTA