segunda-feira, 2 de março de 2015

NAUFRÁGIO À VISTA !

 
O maior indício que o barco do governo Dilma está fazendo água é o desembarque do aliado PMDB. Em caso de naufrágio a inundação começa pelo porão.

Clarin da Boa Vista

O PRIMEIRO MINISTRO DA JUSTIÇA DO BRASIL

Em 1543, Dom João III, Rei de Portugal, encarregou o Sr. Pero Borges de supervisionar a construção de um aqueduto em Elvas.
As obras foram paralizadas antes da conclusão. 
Um clamor de desconfiança se levantou do povo desconfiado de estar o corregedor Pero Borges  recebendo algum "agrado" monetário por fora.
Os oficiais da Câmara de Elvas escreveram então ao rei, solicitando que o caso fosse investigado. Uma comissão averiguou detidamente as contas e apurou que o doutor Pero Borges tinha desviado 114.064 réis, mais de 10% do total da verba - uma fortuna naqueles tempos.
No dia 17 de maio de 1547, condenado "a pagar o dinheiro extraviado", ele também foi suspenso por três anos do exercício de cargos públicos.
Antes de completar dois anos de suspensão, o Sr. Pero Borges foi nomeado pelo Rei Dom João III para o cargo de ouvidor-geral do Brasil em 17 de dezembro de 1548.
Em março de 1549 desembarcou na Bahia na comitiva do então governador geral da colônia, Tomé de Souza.
O seu cargo, que lhe proporcionava um bom salário (200.000 réis/ano)  equivaleria hoje ao de Ministro da Justiça. Registrando que o seu primeiro salário foi recebido antes de embarcar em Portugal.
No Brasil, Pero Borges se deu bem. Não apenas ficou no posto pelos três anos de duração do primeiro governo-geral como também acumulou o cargo de provedor-mor da Fazenda (o equivalente a ministro da Economia) no governo seguinte, de Duarte da Costa, a partir de 1553.
É a vida...
 
(recorte da revista época)
 
Viver é Perigoso 

ATÉ TU DIEGO ?


Maradona, tudo indica, deu uma emborrachada no bico do tênis.

É a vida...

ER

FRANCAMENTE !

Ouvi sábado um trecho do programa "Falando Francamente" da JovemFM. Gosto de ouvir a conversa, logicamente franca, entre os Engenheiros Mafra e Roberto Lamoglia. Flue como um papo descolado sobre as questões diversas.
 
Às vezes concordo com as opiniões emitidas e outras não. Algumas passam batido.
 
Foi abordada a questão dos órgãos de comunicação que foram colocados de maneira, ao meu ver,   ilegal, desinteligente, apolítica e na contra-mão do momento. Foram inscritos no Index (relação dos livros que os católicos eram proibidos de ler)  a JovemFM e os jornais "O Sul de Minas" e "Jornal da Cidade".
 
Repito o que tenho escrito sobre o assunto: O Prefeito e sua equipe estão errados.
 
Políticos com grande experiência, o Prefeito Rodrigo Riera, seu Vice Christian sabem que o caminho não é esse. Com certeza estão tomando essa atitude exdrúxula por não terem respostas positivas sobre as dúvidas levantadas pelos órgãos de comunicação e nas chamadas redes sociais.
 
Imagino a situação do Secretário de Comunicação Solano, que nos contatos digitais que temos não demonstra nenhum traço de autoritarismo.

Alguns casos  que andam sendo questionados:
 
O aterro da varzea da Piedade. O envolvimento direto da administração municipal no aterro das margens da BR-459 e do Ribeirão do Piranguçu é indefensável. Não faz o menor sentido.
 
O não projeto de revitalização do centro cometeu todos os desencontros possíveis e não se sabe a quantas anda ?
 
Nenhuma obra (algumas de interesse geral e imediato da população) da Prefeitura que tivesse "início, meio e fim ". Em quase todas falta alguma coisa. Falta de planejamento ?
 
A participação direta e o esforço do Senhor Prefeito na obtenção de verbas para o desenvolvimento do Hospital Escola, ficou sensívelmente atenuada, pelo afastamento e consequente afastamento da Fundação Mahle do gerenciamento da Santa Casa. Com habilidade as nossas duas casas de saúde poderiam avançar juntas. Pode ser explicado ?
 
Absurdo da aceitação do depósito do lixo, de mais cidades vizinhas, em Itajubá. Por que ?
 
A insensibilidade do poder público com a perspectiva de demissões e fechamento de industria na cidade. Só assistir ?
 
Páginas poderiam ser escritas sobre pequenos e grandes desencontros acontecidos e que vêm acontecendo. Para tudo deve ter explicação, justificativas e apresentá-las não diminui ninguém.
 
Diferente do governo federal que afundou de vez e não sabemos e nem conseguimos prever os próximos acontecimentos, no governo municipal muito ainda poderá ser feito. 
 
Os Caros Administratores poderiam ouvir aqueles que lhes dizem o que não gostam de ouvir e estão prontos porém, para colaborar. Poderiam também ouvir mais seletivamente aqueles que os cercam por algum interesse e estão prontos a abandoná-los.
É a vida.
 
ER  

A MAIOR PIZZA DO MUNDO !


COM O NOSSO DINHEIRO


EXPLICADO !

Ouvido ontem nas proximidades da Pastelaria do Coró, na Boa Vista, é claro:
 
- Cara depois de quase dois meses calada a Dilma voltou a falar. Que silêncio preocupante !
 
- Ah! problema nenhum. Os assessores já explicaram o acontecido.
 
- Desembucha Cara, o que aconteceu ?
 
- Pelo vestido de rendas da posse deu para ver que ela estava um pouquinho acima do peso e uma amiga com tendência suicida a avisou. Ela consultou o famoso especialista argentino Dr. Máximo Ravenna, que a ordenou fechar a boca por 60 dias.
 
- Ela entendeu ao pé da letra. Não comeu nada e não falou nada. Agora o Dr. Ravenna esclareceu para ela que a recomendação era somente relativa a alimentação.
 
- Explicado.
 
Viver é Perigoso  

A MISÉRIA DA POLÍTICA

FHC escreve a principal coluna do Estadão aos domingos. Escreveu ontem com o título "A miséria da política" as seguintes primeiras linhas. Assustador.
 
"Otimista por temperamento, com os necessários freios que o realismo impõe, raramente me deixo abater pelo desalento. Confesso que hoje, no entanto, quase desanimei: que dizer, que recado dar diante de tanto horror perante os céus ? "
 
e conclui:
 
"Num momento que exigiria grandeza, o que se vê é a miséria da política. "
 
Clarin da Boa Vista