quarta-feira, 22 de outubro de 2014

NOUVELLE VAGUE

Truffaut
Nos anos 60 e 70, a diversão master na terrinha era o cinema. Os chics Presidente e Alvorada, o velhinho Apolo, o distante FI e o espetacular Cine Paratodos, na Boa Vista, é claro.
Por essa época, creio que por questão de contrato, exceto no Alvorada, que só passava "filmaço", os cinemas, obrigatoriamente, tinham que passar uma "bomba" francesa ou italiana.
A "esquerda caviar" da época não perdia uma sessão dessas.
Filmes da chamada "Nouvelle Vague".
Os filmes dos diretores como Godart, Truffaut, Resnais, provocavam na esquerda festiva estudantil, grandes debates nos bancos da Praça.
Fitas (assim eram chamadas) em P&B, parca iluminação, pessoal triste, músicas estranhas e histórias sem pé nem cabeça.
De repente, no meio do filme acontecia o fim. No fim, começa a história e o meio ficava perdido. Subitamente as cortinas fechavam, as luzes eram acesas, casais de namorados surpresos e assustados e a plateia atônita.
Ai de quem fizesse um comentário negativo sobre a película. Alta cultura.
A moçada (não tão moçada) que está comandando a cidade hoje, com certeza não tem conhecimento sobre esses filmes que marcaram um tempo. Mas na certa, os seus pais, sim.
Os velhos devem ter passado para a criançada a paixão pelos filmes da "Nouvelle Vague" ou do realismo italiano.
Tudo sem começo, meio e fim, ou inversamente.
Na terrinha, aparentemente, a administração municipal segue o roteiro francês.
Impera a sequência invertida, ou não.
Assim vejo.
Não questionem jamais, como nos filmes franceses.
Ou você é burro ou pessimista.
É a vida  

OÁSIS NO SUL DE MINAS

 
Lógico que acredito no que declarou o competente Tales Mota, Gerente da Copasa, ao jornal Itajubá Notícias, hoje nas bancas: 
 
“Do rio que captamos água para Itajubá, que é o rio Sapucaí, houve uma queda de vazão, mas, pelo histórico, já teve situações até piores. Para abastecer Itajubá, temos água suficiente. Hoje, está passando cerca de oito mil litros de água por segundo e nós utilizamos cerca de 300 litros, então, para a cidade, não tem problema."
 
Continuando: de 8.000 litros/segundo disponível a cidade usa apenas 300 litros/segundo ? 
Perdão, mas lendo e assistindo tantos dramas devidos a falta de água, não temos como não policiar o consumo na nossa casa.
Talvez a terrinha seja a única cidade do Brasil onde o precioso líquido não esteja em falta.
Muito bom.
 
ER

METAMORFOSE AMBULANTE


DEMITIDO

 
Rubens Barrichello não é mais comentarista de Fórmula 1 da TV Globo. 
Dizem que o contrato foi rompido por ter o Barrichello ter chegado ao Autódromo de Sochi, somente no último domingo.
O Grande Prêmio da Russia foi realizado no domingo anterior, 12 de outubro. 
Devagar e sempre.

ER

PRÁ PENSAR

 
Tomou o barco ontem  nos EUA, aos 93 anos, o jornalista Bem Bradlee, editor-executivo do jornal "Washington Post" no caso Watergate, escândalo que levou à renúncia do presidente Richard Nixon.
Disse ele:
 
"Enquanto o jornalista diz a verdade, não é seu trabalho se preocupar com as consequências. A verdade nunca é tão perigosa quanto uma mentira a longo prazo. Eu realmente acredito que a verdade liberta os homens".

Ben Bradlee - maio73








Compartilhe

IBOPE É LULA !


DOMINADO



DataDilma e IbopeLula. Tudo a ver. Passem no caixa.

Clarin da Boa Vista

O BRIGADEIRO


A baixaria não vem de hoje. Conta o Cláudio Tognolli:
 
O tenente Eduardo Gomes, na Revolta dos 18 do Forte de Copacabana, em 1922, teria tomado um tiro nos chamados  "países baixos" e ficado emasculado.
Na sua candidatura à presidência, em 1945, com o lema "Brigadeiro é bonito e é solteiro", a oposição soltava nas mídias notinhas de que ele era o "capão bonito".
E dizem, que até um doce, que não tinha nome até então, foi batizado de "brigadeiro" pela oposição, naquela campanha presidencial: tudo porque o doce brigadeiro não tem ovos na receita original…

É a vida.

ER

ALÔ ALÔ SÃO PEDRO !