quarta-feira, 3 de setembro de 2014

SOB A LUZ DE VELAS



"Não é possível apertar as mãos com os punhos fechados".

Golda Meir

CONFORME PREVISTO...

 
O candidato ao governo de Minas Fernando Pimentel (PT), afirmou ontem que não há “vinculação direta” entre as eleições presidenciais e estaduais.
Disse Pimentel:
“É claro que a presença dos candidatos à Presidência é boa, mostra a importância de Minas no cenário político, mas eles vem fazer campanha para a Presidência. Eu não acho que tem essa vinculação tão direta. A campanha para governador acompanha fielmente a da presidente Dilma, mas o voto para governador independe do voto para presidente”
Anteriormente o candidato disse que tem “bom relacionamento” com a ex-colega de partido Marina Silva e também com Aécio Neves.
 
Blog: Está certo o Pimentel. Não é fácil carregar uma mala sem alça, muito embora a Dilma tenha dado guarida para ele durante 4 anos em um Ministério (não me lembro qual).
 
ER 

DÉCLARER FORFAIT


Quando menino na Boa Vista, é claro, era usada com certa frequência a expressão " deu forfé".
Isso queria dizer que a namorada ou amigo ou um time de futebol adversário não tinha comparecido a um compromisso ou encontro combinado. Uma espécie de renúncia ou fuga. Era usada quase sempre de forma pejorativa. Mais para frente, acabou sendo substituída pela expressão "deu bôlo".
Já mais moço e começando a trabalhar em São Paulo, junto com um grupo de amigos, fui conhecer o Jockey Club.
De repente ouvi o locutor usar a expressão:
- " O cavalo tal declarou forfé "
Aprendi: "déclarer forfait" ou seja, o cavalo não irá correr no páreo seguinte.
Resumindo: A Dilma "déclarer forfait" ontem em entrevista programada na Rede Globo.
 
É a vida.
 
ER   
 

PROFESSOR


MOÇA BONITA

Sofia

O PREÇO DA JUSTIÇA

 
Com o aumento pedido pelo Supremo Tribunal Federal, cada ministro brasileiro receberá praticamente os mesmos vencimentos da Suprema Corte americana. Com três diferenças: a população americana é 50% maior que a brasileira, o país é bem mais rico e o pagamento ao ministro é tudo o que ele recebe. No Judiciário americano, só há carro oficial para uma pessoa: o presidente da Suprema Corte. Todos os demais ministros, desembargadores, juízes, cuidam do próprio transporte. No Brasil, a partir dos tribunais de Justiça, todos os desembargadores e juízes têm carro, motorista, gasolina, manutenção, seguros, tudo por conta do Estado generoso e rico. Só em São Paulo há cerca de 400 desembargadores.

Carlos Brickmann

SENHOR PROPINA

 
Uma campanha mundial contra a corrupção da Transparência Internacional lançada nesta terça-feira, na Suíça, tem como um dos personagens citados o deputado federal Paulo Maluf.
 
Maluf é chamado pela ONG internacional de “Mr. Kickback” ou “Senhor Propina”, em português.
 
A campanha diz que são poucas as pessoas que têm em sua homenagem um verbo próprio, uma alusão ao “malufar, ou roubar dinheiro público” e acusa o parlamentar de receber US$ 344 milhões em propina durante os quatro anos em que foi prefeito de São Paulo, na década de 1990.

Blog: Era só o que faltava.
 
ER