sábado, 19 de julho de 2014

TOMOU O BARCO

 
Tomou o barco hoje em Campinas, Rubem Alves.
Presença constante no "viver é perigoso", Rubem Alves nasceu em 1933 em Boa Esperança, aqui pertinho da terrinha.
A sua família mudou para o Rio de Janeiro em 1945.
No período de 1953 a 1957 estudou Teologia no Seminário Presbiteriano de Campinas, tendo se transferido para Lavras  em 1958, onde exerce as funções de pastor naquela comunidade até 1963.
Casou-se em 1959 e teve três filhos: Sérgio, Marcos e Raquel.
Em 1963 foi estudar em Nova York, retornando ao Brasil no mês de maio de 1964 com o título de Mestre em Teologia pelo Union Theological Seminary.
Denunciado como subversivo, em 1968, foi perseguido pelo regime militar.
Deixou a igreja presbiteriana e retornou com a família para os Estados Unidos, fugindo das ameaças que recebia. Lá, torna-se Doutor em Filosofia (Ph.D.) pelo Princeton Theological Seminary.
Sua tese de doutoramento em teologia, “A Theology of Human Hope”, publicada em 1969 pela editora católica Corpus Books é, no seu entendimento, “um dos primeiros brotos daquilo que posteriormente recebeu o nome de Teoria da Libertação”.
De volta ao Brasil,  foi contratado para dar aulas de Filosofia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Rio Claro.
Em 1971, foi professor-visitante no Union Theological Seminary.
Em 1973, transferiu-se para a Unicamp como professor-adjunto na Faculdade de Educação.
No ano seguinte, 1974, ocupa o cargo de professor-titular de Filosofia no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.
No início da década de 80 torna-se psicanalista pela Sociedade Paulista de Psicanálise.
Em 1988, foi professor-visitante na Universidade de Birmingham, Inglaterra. Posteriormente, a convite da "Rockefeller Fundation" fez "residência" no "Bellagio Study Center", Itália.
Na literatura e a poesia encontrou a alegria que o manteve vivo nas horas más por que passou.
Admirador de Adélia Prado, Guimarães Rosa, Manoel de Barros, Octávio Paz, Saramago, Nietzsche, T. S. Eliot, Camus, Santo Agostinho, Borges e Fernando Pessoa, entre outros, tornou-se autor de inúmeros livros. Foi colaborador em diversos jornais e revistas com crônicas de grande sucesso.
Rubem Alves era membro da Academia Campinense de Letras, professor-emérito da Unicamp e cidadão-honorário de Campinas.
(Projeto Releituras)
 
ER

ABOBRINHAS

 
Preparem-se para ouvir e ler abobrinhas do Lula até o início de outubro. Após, nas raras aparições, chamará o povo de ingrato.

Clarin da Boa Vista

MOMENTOS MÁGICOS


GOSTARIA DE ENTENDER A RAZÃO


Questão que sempre me incomodou :
 
O Professor Henrique, foi conhecido por todos os itajubenses como Professor Surica. Homem de grande valor que dirigiu o esporte itajubense. Grande educador e por muitos anos Professor de Educação Física do Colégio de Itajubá. Personagem inesquecível.
 
Entendam:
 
Numa justíssima homenagem, no dia 11 de dezembro (1969) foi publicada no "Minas Gerais" a LEI ESTADUAL Nº 5380 DE 4 DE DEZEMBRO DE 1969, dando a  denominação de “Gymnasium Prof. Henrique Marques da Silva - “SURICA” , à quadra coberta do Itajubá Tênis Clube, da Cidade de Itajubá.
 
No dia 5 de fevereiro de 1970, Itajubá perde em um acidente trágico o seu competente e admirado Prefeito Tigre Maia. A cidade ficou abalada com a perda.
 
No dia 12 de maio de 1970, o Vereador Domício Guedes apresenta na Câmara o Projeto de Lei 1.164, dando o nome de Quadra de Esportes Tigre Maia (em construção em convênio com a Diretoria de Esportes do Estado) à quadra coberta do ITC.
 
No dia 21de maio de 1970, foi publicada a Lei Municipal 883 dando a denominação de "Tigre Maia" à quadra coberta do Itajubá Tenis Clube, da cidade de Itajubá. Foi assinada pelo então Prefeito, Luiz Rennó Chaves.
 
No dia 9 de dezembro de 1976 o então Prefeito Rosemburgo Romano propôs que fosse dado o nome de Prof. Henrique Silva a uma das ruas do loteamento N.S. do Carmo.

No dia 9 de maio de 1977, foi publicada a Lei Municipal Municipal 1.160  denominando Rua Professor Henrique da Silva - Surica a rua localizada entre as quadras 1 e 3 do Loteamento N.S. do Carmo, assinada pelo então prefeito, Dr. Pedro Mendes.

Voltamos.

Não tenho conhecimento dos detalhes que  levaram a mudança. Não sei também da legalidade de Lei Municipal prevalecer sobre a Lei Estadual.
Talvez a família do nosso Professor prefira que não comentar o acontecido. Já deve ter chateado demais.  Com toda a nossa admiração pelo Capitão Tigre Maia, creio que alguma atitude possa ser tomada pela atual administração. O nome colocado entre as quadras 1 e 3, para mim não bastou.
Tenho conversado com os administradores da cidade sobre o assunto. Mostram certa surpresa e...desconversam.
Ficou ruim para todos.
Como ex - aluno e devedor de lições, gostaria que o Professor Surica ficasse melhor gravado na história de Itajubá. 
 
Ainda é tempo.
 
ER  










 
 

VIVA O POVO BRASILEIRO

 
A gente nunca se acha velho, mas, de repente, nos surpreendemos velho mesmo. Não só porque o corpo não responde mais de forma que respondia aos estímulos ou à vontade do seu dono, como a pessoa desenvolve até um certo fastio.
Hoje, tenho poucas ilusões sobre a humanidade. Os avanços tecnológicos parecem ameaçar coisa que podem vir a não ser cara às pessoas no futuro, mas hoje me são fundamentais, como a privacidade e a liberdade.

João Ubaldo Ribeiro

COLOCAR NO CHÃO É O NOSSO NEGÓCIO


Quem viu, viu.
Na terrinha, derrubaram o Ipê que dava vida a Praça da Câmara Municipal. Noticiado pela Gloria Maria Werdine Machado, com foto do Carlos Alberto Fortes.

ER

PERDER DE POUCO

 
Dunga deverá ser o novo técnico da seleção. Seu grande mérito foi ser eliminado na Copa da África perdendo da Holanda só de 2x1. Melhor do que ser eliminado por 7x1.

Clarin da Boa Vista

O OUTRO POSTE DO LULA

 
Após um ano e seis meses de mandato, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), atingiu o pior índice de reprovação já registrado desde o início da sua gestão.
Pesquisa Datafolha realizada nesta semana mostra que a insatisfação com a administração de Haddad passou de 36% para 47% entre junho e julho deste ano.

Folha