quinta-feira, 3 de julho de 2014

PRÁ PENSAR

 
Este poema, parcialmente reproduzido abaixo, foi composto em 1964 e publicado em 1969. É do poeta brasileiro Eduardo Alves da Costa e atribuído incorretamente ao grande poeta russo Maiakovski.
Na primeira noite eles se aproximam
roubam uma flor do nosso jardim
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem:
Pisam nas flores, matam nosso cão,
E não dizemos nada.
Até que um dia o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo arranca-nos
a voz da garganta.
E já não dizemos nada.
 
EAC 

SEGUEM AS INVESTIGAÇÕES

 
Na madrugada de hoje foi detido um suspeito de ter cometido o projeto da praça. Negou ser responsável pela totalidade do projeto. Admitiu somente ter desenhado o novo coreto. Justificou-se que com WC´s instalados no andar de baixo, providenciais ligações diretas poderão ser utilizadas quando da realização de comícios políticos. Especialistas consideram o argumento uma atenuante. 
 
Clarin da Boa Vista  

E ESTAMOS CONVERSADOS !


Pobre terrinha !

ER

TOMBO !

 
Ouvido ontem na Boa Vista:
 
- Ô Cumpadre, fiquei comovido com o pessoal da Prefeitura.
 
- Desembucha homem ! o que te levou a esse extremo ?
 
- Uai, ouvi dizer que vão tombar o coreto da Praça Theodomiro Santiago. 
 
- Cumpadre, acorda para a vida. Eles não vão tombar por razões de preservação. O tombamento será feito com tratores e marretas.
 
- Ô loco ! não farão isso ! Estou descomovido.

ER

E AGORA ?